SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

terça-feira, 24 de abril de 2018

BETÂNIA FALA DE SUAS LUTAS POR GARANHUNS

DEPUTADO GONZAGA PATRIOTA E VEREADORA
BETÂNIA DA AÇÃO SOCIAL
Betânia Monteiro, conhecida em Garanhuns como “Betânia da Ação Social”, é uma mulher de muita luta que morou na cidade quase sua vida inteira. Saiu da terrinha apenas por uns tempos, porque foi obrigada. Seu marido ficou em cadeira de rodas, precisou de tratamento em Brasília e ela não hesitou em levá-lo à capital federal, acompanhá-lo em todos os momentos necessários e trabalhar dignamente até vendendo almoços,  em frente ao Congresso Nacional,  para garantir a sobrevivência. 

Assim que pôde, voltou para Garanhuns, com o esposo e os filhos, hoje já crescidos. Por seu trabalho na Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Garanhuns e por sempre ajudar as pessoas de condição mais humilde, atuando muito também na área da saúde, ela foi “batizada” pelo povo de Betânia da Ação Social. 

E foi com esse nome de guerra, com poucos recursos, que em 2016 se elegeu vereadora com 2.160 votos, muitos deles dos moradores da Cohab II, onde mora e conhece a maioria das pessoas. Foi a primeira a se eleger como representante do Conjunto Francisco Figueira e dos loteamentos em volta e tem procurado corresponder à confiança sempre apresentando propostas na Câmara Municipal que beneficiem o bairro. 

Entrevistada pelo editor do blog, Betânia da Ação Social falou sobre suas lutas políticas, a atuação na Câmara e o pequeno atrito que teve na semana que passou com o prefeito Izaías Régis, filiado ao PTB, como a parlamentar. 

R.A. - O que representou para a senhora ser eleita vereadora? 

Betânia – Representou a possibilidade de fazer mais pela população de Garanhuns, a quem sempre me dediquei. De lutar, junto com os demais colegas da Câmara, por mais desenvolvimento para o município e qualidade de vida para a população. A nossa cidade é muito bonita, é sempre exaltada pelo seu clima, seus eventos, os pontos turísticos e a hospitalidade. Mas no município também existem muitas pessoas precisando de assistência social, de atendimento na saúde, de creches, de escolas e acredito que é o papel do vereador lutar para atender a demanda das pessoas, principalmente dos que mais precisam do poder público. 

R.A. – Mas a vereadora acredita que na Câmara tem conseguido realizar seus ideais, seus sonhos? 

Betânia – Nós temos limitações, é claro. Porque não somos Executivo e por mais que nos esforcemos, apresentemos requerimentos e projetos, a concretização de uma obra só será possível se o prefeito quiser ou se o município tiver disponibilidade financeira. Na Câmara tenho feito muitos pedidos pela Cohab II e diversos bairros de Garanhuns. Acho que temos de pensar a cidade como um todo. Quando apresentei um requerimento pedindo a instalação de uma Casa de Apoio no Recife pensei em todos os garanhuenses que vão para a capital em busca de tratamento de saúde e não têm um lugar para ficar, tomar um banho, fazer uma refeição ou dormir. E pensei que o município tinha condições. Porque Caetés tem casa de apoio, Lajedo tem, Capoeiras tem. Garanhuns é uma das poucas cidades do Agreste Meridional que não dá essa assistência à população e acho que apesar da população ser maior do que das outras cidades, os recursos aqui são maiores e eu imaginei que teríamos condições. 

Outra proposta minha que foi muito comentada pela imprensa e pelo povo foi a cessão de um ônibus, pelo município, quando do sepultamento de pessoas de família carentes. Acho que não representaria uma grande despesa para a prefeitura e teria um alcance social muito grande para os que vivem uma vida de dificuldade na periferia. Pelo menos num momento de muita dor elas seriam confortadas. 

R.A. - A senhora parece ter uma ligação muito estreita com o deputado federal Gonzaga Patriota. Se mantém fiel a ele há anos. Por que isto? 

Betânia – Gonzaga foi o primeiro a me dar a mão em Brasília. Ele e Miguel Arraes foram sensíveis comigo, no momento que mais precisava. Ainda tive a honra de trabalhar em seu gabinete e aprender muito com o parlamentar. Mas não é só uma questão de gratidão, uma coisa pessoal. O deputado também tem dado atenção a Garanhuns e aos pleitos que faço em nome da população, ele já assegurou verbas para o município em valores que superam um milhão e meio de reais. 

R.A. Eu gostaria de saber por que a vereadora votou contra o aumento da verba para o Natal de Garanhuns? O que está havendo entre a parlamentar e o chefe do Poder Executivo? A Sra. está com raiva dele? 

Betânia – De jeito nenhum. Eu não tenho raiva de ninguém, muito menos dele que fez uma excelente primeira gestão em Garanhuns. Apoiei Izaías em 2012 e 2016, fui eleita para ser governo. Mas isso não significa que tenho de fechar os olhos a tudo e abrir mão da prerrogativa de fiscalizar, que é própria do Legislativo.

No caso da proposta aumentando os gastos com a decoração de Natal eu apenas questionei o porquê de 306 mil a mais do que o projeto do ano passado se a gente sabe que 70% do material é reaproveitado. E como tenho visto muita reclamação com a saúde defendi que se fizesse mais investimento nesse setor, essencial, porque mexe com a vida humana. Aí vieram dizer que me comportei como oposição. Não se trata disso. Não estou contra a Magia de Natal que é uma festa linda. Apoio inteiramente o resgate das nossas tradições. Agora, não se vive só de festas. O povo precisa de emprego, precisa comer, precisa ter médico, exame ou mesmo hospital, quando necessário. Temos de ter responsabilidade na hora do uso do dinheiro público e ver quais são as prioridades. No meu modesto entender ação social, saúde, pavimentação, saneamento, educação, essas coisas são prioritárias. 

R.A. – O Governo Municipal não está priorizando esses setores? 

Betânia – Veja bem. Há reclamações da população, em todos os bairros, contra a falta de creches, com a falta de oportunidades de trabalhar em Garanhuns e principalmente com o setor de saúde. Porque existem filas nos postos, alguns estão em má condições e às vezes falta até o remédio básico, como um simples dipirona. E tem gente que espera muitos meses para fazer um determinado exame. Acho que na saúde não se pode esperar. Porque se for um caso muito sério a pessoa morre. E não podemos perder vidas por conta de burocracia, negligência ou porque se priorizam outras coisas. Repito que Izaías fez uma excelente primeira gestão, pavimentou 400 ruas. Verdade que no segundo mandato não está no mesmo ritmo, tem gente sentindo a diferença. Então acho que agora é a hora de voltar a trabalhar com todo gás, recuperar as ruas onde o asfalto foi mal feito, pois no João da Mata e na Cohab II, por exemplo, algumas vias estão cheias de buracos. E sobretudo priorizar o social e a saúde. 

Gosto muito do Festival de Inverno, do Viva Dominguinhos, da Magia do Natal. Mas não podemos viver só dos eventos, até porque eles representam só um momento e o ano tem 365 dias. Acho que Garanhuns merece mais e acredito que o prefeito Izaías Régis pode atender as demandas da população. Para mim não peço nada, já me sinto bastante honrada em ter sido eleita vereadora e sempre sobrevivi sem precisar de mandato político. Se precisar eu volto a vender marmita na rua, como fiz em Brasília. Todo meu trabalho é pelo coletivo, é pela cidade, é pelo povo. Acredito que esse é o dever do homem (no meu caso mulher) público.

ENTREVISTA NA MARANO

A entrevista acima foi feita no final de semana e editada hoje. Nesta segunda-feira, também, a vereadora esteve na Rádio Marano, no programa de Gláucio Costa, quando conversou durante meia hora sobre a polêmica por ter votado contra o aumento de gastos na decoração de Natal da cidade.

Betânia deixou claro que seu voto não teve o objetivo de criar obstáculo para a festa natalina, que prestigia todos os anos, com sua família. Por outro lado, enfatizou muito a sua luta pela saúde, voltou a defender a instalação de uma Casa de Apoio pela prefeitura, na capital, e disse que defende esta bandeira porque já sentiu na pele o problema.

"Eu precisei de tratamento médico para um filho e depois para meu marido e sofri por não ter lugar para ficar no Recife, no caso da necessidade. Infelizmente 25 anos depois a situação é a mesma e às vezes eu levo um paciente para a capital e tenho de pedir ajuda numa casa de apoio de uma das cidades pequenas da região", disse a vereadora.

Segundo a parlamentar existem recursos para a saúde, Garanhuns dispôs no último ano de R$ 11 milhões para o setor e por isso não se justifica que existam tantas reclamações. "Acho que dá para acabar com as filas, não deixar faltar remédios e atender com mais agilidade quem precisa de exames", ressaltou.

Provocada pelo radialista a falar sobre o apoio que recebeu na campanha da primeira dama Socorro Régis e sua filha Michelle, revelada pelo prefeito Izaías Régis, Betânia confessou ter ficado muito feliz pelo gestor ter tornado público esse apoio tão importante. 

Ela disse que tudo faria para honrar os votos da família do prefeito e também dos 2.160 garanhuenses que confiaram nela. "Meu primeiro compromisso é com todos que me elegeram, que confiaram numa mulher simples, sem muitos recursos, para representá-los na Câmara Municipal frisou.


Um comentário:

  1. Apreciei muitissimo sua postura e CONSCIENCIA pelo BEM SOCIAL, Betania. Óbvio que obterá cada vez mais o apoio, forças, do Povo. Além de todos esses objetivos de LUTA, peço que entre mais afincada na CAUSA SAÚDE POSSIVEL, COM EXAMES CONCEDIDAS E SEM DEMORA, afinal a VIDA urge ter prioridade maxima. Apesar do Izaias só considerar a dele e da familia.Enfim, torço por seu pleno ÊXITO, nas investidas de tornar os representantes politicos de Garanhuns de fato trabalhadores e respeitaveis,pelo menos a parte que lhe compete aplaudimos.Deus te abençoe querida !

    ResponderExcluir