ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

quinta-feira, 15 de março de 2018

A IGREJA DE CRISTO NÃO É LUGAR PARA INTOLERANTES!


O Papa Francisco, que há cinco anos está à frente dos destinos da Igreja Católica, tem participado, no Vaticano, de diferentes encontros ecumênicos.

Numa ocasião, o papa Francisco salientou que “a unidade dos cristãos é um requisito essencial da nossa fé. Um requisito que brota do fundo de nosso ser como crentes em Jesus Cristo. Chamamos à unidade porque invocamos Cristo. Queremos viver a unidade, porque queremos seguir Cristo, viver o seu amor, gozar do mistério de sua unidade com o Pai, que é a essência do amor divino”.

Francisco recordou o caráter divino do caminho ecumênico, pois “a unidade não é fruto de esforços humanos ou fruto da diplomacia eclesiástica, mas um dom do céu”. Segundo explicou, “não somos capazes de chegar à unidade por nós mesmos, nem podemos decidir sobre a forma e os tempos” em que acontecerá esta unidade.

O Sumo Pontífice escolheu o nome pelo qual devia ser chamado pelos católicos em homenagem a São Francisco de Assis, um cristão tolerante que adotou a simplicidade como norma de vida.

Quase todo mundo conhece alguma coisa de São Francisco, seja pelos livros e filmes a seu respeito, pela pregação nas igrejas ou por sua famosa oração, que virou música na voz agreste do cantor cearense Raimundo Fagner:

Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.
Onde houver ódio, que eu leve o amor;
Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;
Onde houver discórdia, que eu leve a união;
Onde houver dúvida, que eu leve a fé;
Onde houver erro, que eu leve a verdade;
Onde houver desespero, que eu leve a esperança;
Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;
Onde houver trevas, que eu leve a luz.
Ó Mestre, Fazei que eu procure mais
Consolar, que ser consolado;
compreender, que ser compreendido;
amar, que ser amado.
Pois é dando que se recebe,
é perdoando que se é perdoado,
e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Jesus Cristo, o filho de Deus, no Sermão da Montanha, registrado no Novo Testamento, ensina que devemos ser humildes, tolerantes, pacificadores e buscar a justiça:

Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os puros de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus.
No Brasil, em Pernambuco e mesmo aqui na nossa região, temos visto atitudes de sacerdotes que contradizem completamente a mensagem de amor de Cristo, de São Francisco, do Papa. São homens descontrolados, que dizem palavras feias, assumem posturas arrogantes, como se fossem coronéis ou donos da verdade.
Seria reflexo de um país que saiu dos eixos ou de uma Igreja que se desliga de sua missão e através de alguns dos seus representantes caminha por estradas perigosas, confrontando ou bajulando as autoridades?
O caminho, creio eu, pobre pecador, é se portar como Jesus ou os verdadeiros cristãos - São Francisco de Assis e o papa que adotou seu nome.
Se Deus é amor, como tanto ouvimos nas Igrejas, a intolerância, a raiva e a prepotência não podem estar presentes nos púlpitos nem em qualquer lugar frequentado pelos que devem promover a união e a paz. 
*Imagem: "A Paixão de Cristo", de Mel Gibson

2 comentários:

  1. Esse papa estar mais preocupado em ser político do que um (sucessor de pedro na terra) como assim ele se coloca.
    Ir de encontro com algumas ideologias não da ibope, o papa emérito Alemão, era cara fechada não jogava para a torcida , não se incomodava com a gritaria da minoria, a pressão foi tamanha que ele pediu pra sair , agora o argentino que navega para onde a correnteza o leva tudo estar perfeito.
    Deixo aqui a minha pergunta, onde estava os tolerantes da igreja enquanto a inquisição queimava gente viva por toda parte do mundo?

    Só algumas das atrocidades

    Matavam mulheres grávidas (pois consideravam que essa mulher carregava o fruto do mal em sua barriga) - teorias contrárias ao que ensina o cristianismo. Desse modo, herege era visto como um revolucionário, e tratado, tanto pela sociedade quanto pelo próprio governo (pois o governo era cristão, a heresia era tido pelo governo como crime de lesa-majestade; a falta contra Deus era punida pela lei civil). Os próprios governos exigiram uma posição da Igreja Católica.

    Agora eu pergunto quem são os intolerantes de verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô seu Eclesiástico Albino: veja se você percebe que da Idade Média até os dias de hoje, o mundo mudou alguma coisa! - Faça algum esforço, seu Albino, que talvez sua vista alcance. - Posto que nos dias de hoje, o papa é o argentino Mario Bergoglio! E este adotou o nome de Francisco! - 2. Da "santa" inquisição pra cá, já houve inúmeros outros crimes dentro da Igreja Católica, assim como nas igrejas evangélicas. - Mas, não será por isso que você vai "provar" que todos os papas são iguais! NÃO, você NÃO prova NADA! - Veja, também, se descobre que existe o Banco do Vaticano! E o que tem feito o Banco do Vaticano nos últimos 35 anos, pelo menos! – É possível que você se surpreenda ao saber que o papa atual está tentando dar um freio nas atividades ilícitas do Banco do Vaticano, também chamado de “Instituto de Obras Religiosas” (IOR)!


      Excluir