SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

PCB DIVULGA NOTA SOBRE O JULGAMENTO DE LULA

Em tempo recorde, o julgamento em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi marcado para o dia 24 de janeiro, em Porto Alegre no Rio Grande do Sul. A rapidez, seletividade e articulação com os grandes meios de comunicação demonstram a clara intenção de setores do Judiciário, Polícia Federal e da burguesia brasileira articulada com o imperialismo em tentar inviabilizar a candidatura de Lula para as eleições presidenciais de 2018. Esse objetivo político move atualmente toda a Operação Lava Jato, que montou uma verdadeira indústria de delações premiadas, amenizando penas dos corruptores capitalistas e de políticos vinculados às cúpulas do PMDB e PSDB.

Cabe ressaltar os vínculos de alguns juízes e delegados com o departamento de Estado dos EUA, vínculos consolidados através de tratados de cooperação formal e informal nas investigações, cursos e eventos formativos em conjunto. A mensagem do imperialismo associado à burguesia brasileira é clara: não há mais espaço e margem para a conciliação de classes. A inviabilização da candidatura de Lula pode representar uma nova fase do golpe contra os trabalhadores. Para implementar um programa econômico de radicalização do neoliberalismo, privatização de empresas e recursos nacionais, retirada de direitos trabalhistas, previdenciários, sociais e democráticos dos trabalhadores, a judicialização da política é um instrumento de implementação deste projeto para as classes dominantes.

Lula não é nem será o candidato do PCB para as eleições presidenciais, mas entendemos que o ex-presidente tem o direito a ser candidato. As manobras de setores da burguesia e do Judiciário buscando inviabilizar sua candidatura visam aprofundar o golpe e retirar de cena, no tapetão, uma candidatura que, com a crise do capitalismo, não interessa mais a esses setores. Vale ressaltar que a conciliação dos governos petistas, ao não realizar as mínimas transformações estruturais, não enfrentar a oligarquia financeira e regional, os tubarões das comunicações, o grande capital e o imperialismo, contribuiu muito para o fortalecimento dos setores reacionários, inclusive na Polícia Federal e no Judiciário.
Também é inegável que os governos de conciliação do PT incentivaram uma política de financiamento e expansão de grandes monopólios nacionais para a América Latina e África, justamente aqueles que ajudaram a tirá-lo do governo. Sabemos que a corrupção é parte endêmica no mundo dos negócios entre os monopólios e seus representantes políticos e quem aceita entrar nesse jogo está sujeito às consequências. O PCB sempre criticou e denunciou tais práticas.
Infelizmente, nem Lula nem o PT parecem compreender o esgotamento nacional e internacional do projeto rebaixado de conciliação. A crise sistêmica do capitalismo e a necessidade de a burguesia manter e aumentar a sua taxa de lucro fazem com que se apostem em novas formas de dominação de classe e se intensifiquem as disputas interburguesas. Mesmo sob ataque, Lula mantém o discurso de alianças com setores conservadores e reacionários, sinaliza diálogo e acordos com o mercado financeiro e mantém a lógica apassivadora na organização dos trabalhadores.
Nesse sentido, para o PCB, a luta contra os golpes da burguesia passa principalmente pela organização popular e mobilização nas ruas. A começar por fevereiro na luta contra a reforma da previdência do governo Temer. A luta do povo argentino, apesar de parcialmente derrotada, deve ser um exemplo de mobilização e organização. Nesse momento, está claro que a luta dos trabalhadores contra os ataques da burguesia não pode se restringir ao terreno eleitoral, mas principalmente, desde já potencializar a mobilização e reconstrução do movimento operário e popular brasileiro a fim de superar a lógica da conciliação de classes.
Comissão Política Nacional do PCB

APOIO: PCB (Partido Comunista Brasileiro) de Garanhuns/PE

Um comentário:

  1. Jarbas comemora, Justiça suspende processo de dissolução do PMDB-PE
    Decisão foi publicada hoje (19) pela manhã pelo desembargador Eduardo Sertório Canto. Com a suspensão da dissolução, o PMDB continua sob o controle do deputado Jarbas Vasconcelos e sob a presidência do vice-governador Raul Henry.

    MINHA OPINIÃO PESSOAL>>>>

    Dr. Jarbas Vasconcelos tem sido um crítico ferrenho dos erros cometidos pelo seu partido o PMDB já faz muito tempo.

    Passou 8 anos do Lula batendo muito forte no partido que ele ajudou a fundar e criar em Pernambuco.Conseguiu tirar Renan Calheiros da Presidência do Senado.

    Criticou o seu e meu ex-partido de ser fisiológico.No auge da abertura da primeira CPI após um século apresentou em 2005 nas amarelinhas uma PROPOSTA DE EMENDA CONSTITUCIONAL PROPONDO O FIM DAS COLIGAÇÕES PARTIDÁRIAS.

    Todos do PMDB foram contra: Renan Calheiros,Michel Temer,Eduardo Cunha,Romero Jucá,Gedel Vieira,Moreira Franco, José Sarney,Jáder Barbalho,Eliseu Padilha e cia.

    Nos 13 anos do PT foi um ferrenho crítico do governo do PT e chegou a dizer que as bolsas famílias eram esmolas.Depois até março de 2016 torceu,rio e vibrou quando coertivamente o juiz Sérgio Moro da operação lava jato prendeu.Chegou a dizer que iria soltar fogos para ver Lula ir preso.Para mim foi dos maiores erros que ele cometeu em toda sua vida,pois o Lula trouxe para Pernambuco no governos dele e do Eduardo Campos uma refinaria de petróleo e a transposição do Rio São Francisco.

    Votou contra a Dilma por corrupção nas práticas das peladas fiscais e dos créditos suplementares quando o próprio vice presidente Michel Temer assinou mais de 10 bilhões de pedaladas fiscais e dos créditos suplementares.

    Depois Dr. Jarbas Vasconcelos foi obrigado a votar por 2 vezes contra o presidente do Brasil Michel por corrupção eleitoral e obstrução de justiça quando o dono da FIBROI que nunca foi do filho do Lula foi preso e acusou Aécio Neves e Michel Temer de serem chefes de organizações criminosas.

    Este é o Dr. Jarbas Vasconcelos com suas críticas contra o sistema eleitoral brasileiro.Em 2005 eu escrevi para o Jarbas em Brasília e lhe parabenizei por ter apresentado a PEC proibindo todas as coligações partidárias.

    Mas infelizmente o PMDB-PSDB-PFL com o PP,PSD,PPS,PTB,PR nunca quiseram reforma politica nenhuma.O partido que tem lutado para mudar esse sistema corrupto formado dos políticos potencialmente criminosos tem sido o PT juntamente com 293 outros Deputados FEDERAIS que desde dezembro de 2010 vem votando contra esse sistema principalmente quando o SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL E O SENADO votaram contra todas as doações empresariais aos partidos e aos políticos e o EDUARDO CUNHA com 220 deputados tentaram derrubar o VETO da PEC do Eduardo Cunha que LAGALIZAVA TODAS AS DOAÇÕES.

    Para mim este foi o motivo ao lado da operação lava jato que levaram 361 deputados federais e 62 senadores aplicarem o golpe contra uma mulher honesta,Dilma Rousseff.

    ResponderExcluir