SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

domingo, 28 de janeiro de 2018

OPOSIÇÃO A PAULO CÂMARA MOSTRA FORÇA EM PETROLINA

Animados pelo resultado da última pesquisa eleitoral realizada em Pernambuco, que coloca o senador Armando Monteiro à frente do governador Paulo Câmara, na disputa de 2018, as oposições promoveram um ato expressivo, neste sábado, em Petrolina, com a presença de mais de 3.500 pessoas, segundo os organizadores.

Participaram da manifestação política os senadores Armando Monteiro (PTB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB), os ex-governadores Joaquim Francisco e João Lyra Neto (PSDB), os ministros Fernando Filho e Mendonça Filho e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB).

Mais de 60 prefeitos e ex-prefeitos, 11 deputados – entre estaduais e federais - além de trabalhadores e empresários, compareceram à manifestação, sendo recebidos pelo chefe do executivo municipal, Miguel Coelho. O grupo programou para o dia três de março próximo evento, em Caruaru, no Agreste.

Em seu discurso, o ex-governador João Lyra Neto destacou que o encontro representa a unidade política em torno do futuro de Pernambuco. Já o ex-governador Joaquim Francisco ressaltou a experiência e história de todos os líderes em prol do desenvolvimento do Estado. Ex-ministro das Cidades, Bruno Araújo lembrou que, em outubro, os pernambucanos vão eleger um líder que guiará os destinos do Estado pelos próximos quatro anos. “Pernambuco vai às urnas para votar num líder. E foi isso que faltou em 2014, a eleição de um líder. Estamos aqui hoje para buscar, junto com os pernambucanos, um líder que vai devolver ao Estado o respeito e a liderança que precisamos. Vamos em frente com um Pernambuco novo”.

Deputado federal no terceiro mandato, o ministro Fernando Filho lembrou que todas as lideranças do grupo de oposição estão colocando os interesses pessoais em segundo plano para construir um projeto que faça o Estado voltar a crescer. “O passado foi bom, mas não volta mais. Estamos provocados a fazer alguma coisa nova, a apontar um nome novo, a construir uma aliança que possa colocar Pernambuco no lugar que merece”, enfatizou.

Para o ministro da Educação Mendonça Filho, o desejo de mudança dos pernambucanos é algo consolidado. Ele ressaltou a falta de articulação política da atual gestão, que não conseguiu avançar em relação aos anos anteriores. “Os pernambucanos já definiram que querem e vão mudar em outubro deste ano. Por isso, esse movimento vai na direção do povo. Estamos discutindo aqui um projeto novo para Pernambuco. Pernambuco como está, sem líder, sem direção, não pode continuar. E essa mudança não pode ser tarefa só das lideranças políticas. Tem que nascer e ser um movimento do povo e para o povo pernambucano. E quando o povo pernambucano quer, acontece”, afirmou.

O senador Armando Monteiro realçou que três palavras constituem a essência do grupo oposicionista: unidade, compromisso e convocação. “Esse projeto não pode ser só da classe política, esse é um novo tempo para Pernambuco, de novas posturas e atitudes, de oferecer uma nova agenda ao Estado. Estou pronto para assumir o compromisso de colocar os interesses do conjunto acima das ambições individuais. Na hora própria, vamos ter a capacidade de promover a decisão e me submeterei a essa decisão”, colocou.

Último a falar, o senador Fernando Bezerra Coelho ressaltou a força e unidade política em torno do grupo de oposições e garantiu que o sentimento de mudança nos pernambucanos é um caminho sem volta. “Esse grupo reúne biografias com um compromisso só: o de resgatar a autoestima dos pernambucanos. Saímos todos de Petrolina absolutamente unidos. Temos disposição, história, experiência e luta para enfrentar esse novo momento para Pernambuco”, cravou.


O “Pernambuco Quer Mudar” é o maior movimento de oposição já consolidado na história do Estado, reunindo até o momento os partidos: PSDB, DEM, PV, PRTB, PTB, PRB e Podemos.

3 comentários:

  1. Esse Fernando Bezerra Coelho é mesmo um traíra.Foi ministro do Lula e Dilma e votou para derrubar a Dilma do Poder.Foi eleito senador puxado por Paulo Câmara e Jarbas Vasconcelos e agora se junta aos que juntaram e estão votando contra os trabalhadores do Brasil.É muito cara de pau!

    ResponderExcluir
  2. Em cada município uma realidade e uma falsidade,uma traição e um palanque totalmente desconectado com o Estado e o Brasil.

    De 1970 até hoje eu vi somente 2 comitês serem quase iguais em Lagoa do Ouro nas eleições de 2014.Governo formado por Eduardo Campos,Dilma,Armando Monteiro e Humberto Costa,Teobaldo e Romário Dias.Oposição formado por Eduardo Campos,Dilma,Armando Monteiro e Humberto Costa,Claudiano Martins e Sílvio Costa.

    Em 2018 as bolas andam invertidas e de cabeça pra baixo,pela esquerda e pela direita,é uma verdadeira salada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UMA RETIFICAÇÃO: .... as eleições foram em 2010 quando saíram candidatos a governador Eduardo Campos a reeleição e os candidatos a senadores foram Armando Monteiro e Humberto Costa e pude entrar nos dois comitês e não via quase ninguém com raiva um do outro.Mesmo assim no palanque existiram acusações fortes uns contra os outros.

      Em 2014 os candidatos foram Armando Monteiro do PTB e João Paulo do PT e Paulo Câmara do PSB e Fernando Bezerra Coelho do PSB com o apoio de Jarbas Vasconcelos e mesmo assim as acusações entre os políticos foram da besta fera de grande e estúpidas e tome bicudos e bacurais.Que pobreza,hei!

      Excluir