ALEPE

ALEPE
ALEPE

terça-feira, 29 de março de 2016

A BRIGA ENTRE OS CACIQUES

Por Paulo Camelo

"A briga entre os caciques não interessa à população"

Recentemente, em nossa sofrida, explorada e amada cidade do Garanhuns, nos deparamos  com uma “briga” entre  ex-aliados: PSB e PTB.

Evidentemente que essa “briga” eleva a superfície  um  embate outrora  limitado  aos portões dos  palácios governamentais.

É  óbvio que no item   saúde, esteja ela sob a responsabilidade de quaisquer governo das elites ricas, o  usuário é o senhor possuidor da  verdade ao afirmar categoricamente que  o atendimento público hospitalar, laboratorial, etc, vai mal  em todo o país. Não é de se esperar o contrário, porque a medicina é mercantilizada, ou seja, visa o lucro  da  rede privada de atendimento médico.

O atendimento público na área de saúde, só vai melhorar quando o médico for funcionário exclusivo, mas, é claro, com um salário digno. As demais necessidades serão atendidas gradativamente, portanto a resolução da questão salarial e de exclusividade funcional, são essenciais quando pensamos no item qualidade.  Repetindo em outras palavras: o médico exclusivo não atende em consultório ou hospital particular.

Mas, a “briga” dita na versão popular, nos diz: "o buraco é mais em baixo" ou a briga é "mais em cima". Daí, o pessoal do blog imaginar que as notas do PSB e do PTB, foram redigidas por pessoas mais experientes politicamente e na formulação das letras.

Ora, se a briga é mais "em cima", o mais provável, perguntar não ofende: Qual a postura de um Prefeito frente a um Governador adversário? Qual a postura de um Governador frente a uma Presidente da República, a qual seja ex-aliada?

É óbvio que um governante não é dono da cidade ou do estado, o qual deve ter um limite de conduta conforme reza a Constituição da República Federativa do Brasil, a democracia, a convivência pacífica entre os governantes e governados e o interesse público. Donde concluímos facilmente, que o prefeito Izaías Régis, deve pensar antes sobre o que vai dizer em termos de críticas ao governador Paulo Câmara. Do contrário vai prejudicar os interesses coletivos dos munícipes.  

A “briga” não pode ser na mídia, mas através dos mecanismos legais de acesso ao governador do Estado de Pernambuco. O mesmo raciocínio deve ser extensivo ao governador Paulo Câmara, o qual deve ser cauteloso no embate com a Presidente Dilma, mesmo com a ida do PSB para à Direita, ao defender o impedimento da Presidente. Pois é muito complicado de aliado você passar para jogar farpas. Afinal, Izaías foi eleito Prefeito, com o apoio do PSB do governador Paulo Câmara. Mas, é assim mesmo, burguesia é burguesia e nada mais.  

Finalmente, nos deparamos com uma realidade cruel: são mais de 20 anos que a nossa amada Garanhuns, através dos seus Prefeitos das elites ricas, não têm acesso ao governo do Estado de Pernambuco. Agora durma com essa bronca.

*Paulo Camelo de Holanda Cavalcanti, é engenheiro civil e líder popular, ex-funcionário do Banco do Brasil e militante do Partidão

Nenhum comentário:

Postar um comentário