ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

MOBILIDADE URBANA

Por Edmar Barros Ribeiro Dias*

Todos sabemos que, “nenhum homem é uma ilha”. Quando elegemos um candidato a cargo executivo, seja Governador ou Prefeito, sabemos que acompanham estas autoridades, profissionais técnicos e políticos, para preenchimento de cargos importantes, portanto, é de grande responsabilidade o preenchimento desses cargos.

Aqui em Garanhuns, não poderia ser diferente, e o Prefeito tem, na maioria das vezes, acertado nas suas indicações, contudo, algumas vezes, ele substitui aqueles que não rendem o suficiente, e não preenchem suas expectativas.

Existem cargos administrativos que, nós, de fora, não podemos avaliar, nesses casos, o Prefeito faz suas avaliações, nunca confundindo amizade pessoal com a performance do escolhido.

Tive a oportunidade, neste blog, de falar sobre mobilidade urbana, um assunto estampado todos os dias nos principais meios de comunicação.

Participei de algumas palestras sobre o assunto, em Recife, e em Salvador, e, observa-se aqui na nossa cidade que, a mobilidade urbana não tem sido olhado pelas autoridades constituídas, como prioridade, ou, talvez, o escolhido para o cargo, não tenha habilidade para exercê-lo.

É uma atividade de prevenção contra acidentes, maior fluidez e mais segurança para a população.

As fábricas, cada vez mais produzindo seus veículos, em tempo recorde, que, naturalmente, vão para as estradas, avenidas e ruas das cidades, enquanto que, a construção de avenidas, pontes e viadutos, precisa-se de tempo, para planejar, licitar, concluir e entregar à população, no mínimo, otimistamente, de dois anos.

O que devemos fazer?

Antes de novas construções, devemos dar mobilidade a essa situação que encontra-se exaurida, pelos gargalos e, por conseguinte, os constantes congestionamentos, devido à falta de opções na fluidez do trânsito em nossa cidade. Mobilidade urbana, não é simplesmente punir com multas os motoristas infratores, é sim um estudo técnico-científico no sentido de beneficiar os transeuntes e dar maior fluidez ao trânsito. São ações rápidas, eficazes, que na falta de novas avenidas, minimiza o sofrimento da população e dos condutores de veículos, nos intermináveis engarrafamentos.

Existem sugestões para, rapidamente, melhorar a fluidez do nosso trânsito: por exemplo,  a Av. Idelfonso Lopes, que fica localizada entre a Casa Lotérica e o Hospital Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, neste trecho, não pode ser mão dupla, podendo ocorrer graves acidentes; a Praça João Pessoa, que parece mais um pandemônio, ou um labirinto, como queiram, onde veículos vêm da Av. Treze de Maio, e se encontram com os que vêm da Av. Santo Antônio, e também os que vêm do Pop Shopping, transforma-se em um caos, sem falar nas filas duplas que se formam na Rua Dr. José Mariano, constantemente.

O número elevado de pontos de táxi na Avenida Santo Antônio, a artéria mais importante do centro da cidade, ocupam vagas que deveriam ser destinadas à fluidez do trânsito, colocando essa frota de táxi, tão útil à população, nas vias perpendiculares.

Enfim, muita coisa pode ser melhorada, para que possamos nos deslocar com mais segurança e rapidez, pelas diversas ruas e avenidas de nossa cidade.

Um outro fator, é o estacionamento em ruas perpendiculares e paralelas, estreitas, esse deve ser proibido o mais breve possível.

Enfim, o homem, a quem Deus deu a iniciativa, a coragem de fazer, e a inteligência, saiba direcioná-los em prol da comunidade.

Finalizando, é preciso que, as autoridades envolvidas neste assunto, tenham mais sensibilidade e um olhar mais amplo e direcionado ao bem da população.

*EDMAR BARROS RIBEIRO DIAS

ADVOGADO E ADMINISTRADOR DE EMPRESAS

Um comentário:

  1. Tantas outras pequenas intervenções, podem ser feitas, naturalmente dialogando-se com as partes interessadas,trariam resultados satisfatórios para todos,ou pelo menos para a maioria.

    ResponderExcluir