sábado, 28 de março de 2015

PROFESSOR RESPEITADO ASSUME MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

O novo ministro da Educação do Governo Dilma,  Renato Janine Ribeiro, é mestre pela Sorbonne e professor-doutor da USP, filósofo e publicou diversos livros na área de filosofia e ciência política, entre os quais "A sociedade contra o social: o alto custo da vida pública no Brasil", obra vencedora do Prêmio Jabuti 2001 na área de ensaios e ciências humanas. Seu nome foi recebido de forma positiva, principalmente entre a intelectualidade.

Janine vai substituir o intempestivo Cid Gomes, irmão de Ciro Gomes, que deixou o ministério depois de uma briga com o deputado Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal.

É o quinto ministro da Educação desde o início do primeiro mandato de Dilma Rousseff, em janeiro de 2011. Antes dele, passaram pela pasta Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo; Aloizio Mercadante, hoje ministro da Casa Civil; José Henrique Paim; e o ex-governador Cid Gomes.

O ministro só assume no dia 6 de abril, quando dará entrevistas à imprensa nacional. Antes, porém, postou um texto no Facebook falando sobre sua escolha para uma das mais importantes pastas do Governo Federal.

Ufa! Não tive tempo até agora de agradecer os cumprimentos nem de comentar minha nomeação para a Educação, pela presidenta Dilma. Primeiro de tudo, obrigado a todos os que postaram comentários ou mandaram mensagens inbox. Incrível como há gente torcendo pelo Brasil! Incrível como há tanta gente acreditando que a educação é O, ou um dos principais, caminho(s)!

Na quinta-feira recebi uma ligação do ministro Aloisio Mercadante (sic), me convidando a ir a Brasilia para vermos a possibilidade de eu ocupar este cargo. Aceitei. Cancelei alguns compromissos - um deles seria participar da performance, longa mas que deve ser fascinante, da Marina Abramovic no Sesc. Fui recebido por ele e pela presidenta, com quem tive longa conversa. Depois, fui ao MEC, onde o secretário executivo, que permanecerá, me fez um briefing inicial de um dos ministérios maiores, mais complexos e mais ricos da Esplanada. Bom lembrar que são 50 milhões de alunos e 2 milhões de professores! É o Brasil que está lá - subindo a ladeira.

Por enquanto, agradeço a todos! E espero que a educação constitua um destes pontos que permitam unir o País, gente de um lado ou de outro mas que sabe que sem educar não se avança.

Espero a compreensão de todos, especialmente dos jornalistas, para o fato de que não tenho como, neste momento, dar entrevistas sobre as questões do MEC. O ministério continua nas mãos competentes do secretário executivo. Tomarei posse no dia 6 de abril e depois disso terei o prazer, e cumprirei o dever, de dar todas as entrevistas que forem necessárias. Só peço compreensão para a necessidade de estudar os dossiês antes de entrar em detalhes sobre eles. 

Afinal, como pode alguém ir para a Educação se não começar estudando?”, escreveu o futuro ministro.

3 comentários:

  1. Esse tá lascado, vai se melar de PT, ou seja, de Mer...!!!

    ResponderExcluir
  2. Menos não é Ewerton, o professor Renato Janine Ribeiro, é no Brasil um dos homens que mais entende de Educação, já esteve em Recife fazendo algumas palestras sobre suas experiências diversas vezes, e também sobre o que na sua opinião, precisa o Brasi iniciar para alavancar a Educação. Não são todos os homens que trabalham com o PT que são corruptos eu seria leviano se assim fizesse, bem como dizer que todos que trabalharam com FHC são corruptos. Há na sua maioria no Brasil homens sérios, os cretinos existem em todos os partidos e não em apenas um como o senhor declina. Vamos torcer para o Brasil sair dessa, sei que não é agora, na minha modesta opinião o Brasil e os países do BRIC e a Europa, especialmente Turquia e Grécia, atolada em dívidas ao FMI, aliás coisa que já tivemos no período FHC e não temos mais. Já tivemos situações bem piores como inflaçaõ de 19% e taxa de juros (SELIC) com 45 % de juros aa, no Governo FHC, e estamos aqui, além de não dvermos nada ao FMI. Sei que as coisas não estão boas, também na iniciativa privada, se ninguém compra a fábrica não produz e se a fábrica não produz ela desemprega, é um ciclo econômico que se dá na iniciativa privada e no serviço público, não muda absolutamente nada. Não estamos no fundo do poço como já tivemos com FHC, quando quebramos por três vezes, mesmo assim o Brasil deu um salto gigantesco no período Lula e no primeiro mandato de Dilma. Vamos ser mais otmistas para o bem dos nossos filhos, dos nossos netos, bem como e especialmente para aqueles que precisam muito mais que nós e que ainda sofrem pela exclusão, principalmente na Educação que já melhorou e na Saúde que ao meu ver nao melhorou nada.

    ResponderExcluir
  3. Um PROFESSOR é escolhido Ministro da Educação, claro que é uma escolha que valoriza a CATEGORIA.

    A EDUCAÇÃO se faz com o apoio de todos. Ninguém é um Deus todo poderoso para obrar milagres, mas que justiça seja feita, os governos do Lula e da Dilma em comparação com os ex-presidentes que governaram este país nos últimos 50 anos não chega nem perto.

    Numa distância de ano luz em comparação ao que ganha um DEPUTADO FEDERAL E SENADOR, hoje, os PROFESSORES podem sim comemorar.

    Infelizmente, os nossos LEGISLADORES legislam em CAUSA PRÓPRIA e em meia hora deram para si e os companheiros R$ 10.000,00 em 2010 e agora em 2014 repetiram a dose com R$ 8.000,00 de aumentos de salários fora todas as mordomias.

    ResponderExcluir