ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

FILOSOFIA DE SHAKESPEARE

O engenheiro Paulo Camelo, em artigo publicado neste blog, critica o prefeito Izaías Régis por ter dito, durante o Festival de Jazz a frase “não sei falar inglês porra nenhuma”. O engenheiro defende que Garanhuns tenha um gestor que haja mais com a razão e menos com a emoção. No referido artigo, o representante do PSOL cobrou agilidade na assessoria de Izaías, que “não sabe falar inglês, apesar de suas viagens aos Estados Unidos”.

Quem seria esse homem de razão para governar Garanhuns? O próprio Paulo Camelo? E o que o socialista deseja da Assessoria do Prefeito, que o impeça de pronunciar um “porra” ou que lhe dê algumas noções da língua de Shakespeare?

Uma coisa simples é transformada numa questão filosófica. 

Como diria o teatrólogo inglês "ser ou não ser, eis a questão".

9 comentários:

  1. Paulo Camelo vai exigir pra sê prefeito fazê um curso no CCAA.

    ResponderExcluir
  2. izaias fala inglês porque não faz parte da legião estrangeira, portanto meu caro paulo dromedários você calado é um poeta.

    ResponderExcluir
  3. Porra Paulo Camelo!Tu só sabe criticar,isso é coisa de comunista invejoso mesmo,se um dia chegar ao poder faz igualzinho aos petistas.

    Carlos Vitor- Boa vista

    ResponderExcluir
  4. PAULO CAMELO, DIALOGA COM ROBERTO ALMEIDA:

    É muito simples entender essa questão: O Prefeito, seja de quaisquer município, não deve vir a público pronunciar certas palavras que não condizem com o ambiente. Além do mais existiam vários turistas de outras cidades, os quais levam uma má impressão da cidade. Evidentemente que não precisa falar inglês. Mas, não me preocupo com a explicação do bloguista Roberto Almeida, pois a Classe Média entende tudo isso e os turistas também.

    TENHO DITO

    ResponderExcluir
  5. Eu acredito que todo governo tenha de ter oposição até mesmo pra que haja fiscalização e cobranças melhorando assim a gestão. Agora a oposição peca e perde a chance de ficar calada e quieta numa situação como essa. Deixa o homem trabalhar sr Paulo Camelo.
    Pedro Araújo, Jaboatão dos Guararapes, PE

    ResponderExcluir
  6. José Fernandes Costa24 de fevereiro de 2015 14:17

    E desde quando "porra nenhuma" é palavrão!!?? - As freiras aqui em Recife, nos colégios católicos, ensinam o tempo todo às alunas dizerem "porra nenhuma"!!! - E elas, as freiras, dão aula falando "porra nenhuma" o tempo todo!! - E agora vem esse CAMELO criticar o prefeito de Garanhuns, só porque, num momento de muito entusiasmo ele disse isso!! - 2. Eu também não falo inglês PORRA NENHUMA!! - PÔÔÔ... PUTZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!! /.

    ResponderExcluir
  7. Eu também não sei falar Inglês porra nenhuma. Esta é uma gíria e um dito popular. E não podemos de forma alguma menosprezar e ignorar um Prefeito da qualidade do Isaías Régis simplesmente porque ele proferiu uma frase dita sem pensar ou porque tomou uma cerveja.

    Será que um homem dessa qualidade não poder expressar um sentimento vulgarmente dito nos bares e nos botequins da periferia da cidade? Quando o Lula bebia sua pituzinha e 51 o José Jorge zombava da cara dele chamando lhe de alcoólatra. Por sinal, na educação o Lula deu de 100 x 0 no ex-professor, ex-secretário de Educação de PE e ex-senador da República, o qual, não teve a coragem de aprovar o Piso Nacional do Magistério quando foi Relator do Fundef e Fundeb (FHC e Lula).

    ResponderExcluir
  8. A propósito do "porra nenhuma", o transporte de passageiros de ônibus Garanhuns/Recife/Garanhuns não vale "porra nenhuma". Existia um tal expresso da Jotude, que foi extinto pela Progresso. O povo, principalmente de Garanhuns, não merece "porra nenhuma" de transporte de qualidade para viagens à capital? Essa "porra" de transporte oferecido pela Progresso precisa de correção por parte dos poderes públicos, inclusive o prefeito da cidade, para que esta tenha serviços de transporte de passageiros para à capital e vice-versa, com qualidade compatível com a cidade turística das flores, das colinas, do clima maravilhosa, água mineral, educação... etc.

    ResponderExcluir
  9. PAULO CAMELO, COMENTA:

    Não adianta tentar minimizar a questão ora levantada, ocorrida no primeiro dia do Festival de Jazz, versão 2015. Mesmo porquê, a maioria dos leitores desse blog, são membros da classe média, a qual entende perfeitamente o recado que foi dado.
    TENHO DITO.

    ResponderExcluir