SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

O IMPACTO DO TRANSPORTE ALTERNATIVO NA ECONOMIA DE GARANHUNS

Com o objetivo de traçar o perfil do motorista, do transporte e das viagens feitas nas linhas municipais e distritais de Garanhuns, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) realizou, de 4 de setembro a 17 de outubro deste ano, uma pesquisa para avaliar o impacto do transporte alternativo na economia local. O relatório servirá para a elaboração de políticas públicas visando  melhorias no serviço do município.

Localizado no Agreste Meridional de Pernambuco, Garanhuns se tornou, ao longo do tempo, o município-polo da região. 

Por isso na pesquisa aproximadamente 400 motoristas foram entrevistados. A atividade é responsável por grande movimentação econômica do setor automobilístico – incluindo os serviços de manutenção. Para medir a dimensão da participação na economia, os participantes responderam qual o local de compra do veículo. Ao todo, 177 (44,9%) optaram por comprar veículo em Garanhuns, outros 116 (29,44%) citaram outras cidades do Estado. Alagoas e São Paulo também foram citados na pesquisa de campo.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico, Geandré Nogueira, a compra e venda de veículos para o serviço de transporte alternativo tem um considerável valor, se mostrando, também, influente na participação da economia. “Mais de 90% faz manutenção do carro aqui, pouco mais de 87% abastece em nossos postos de combustível e mais de 90% compra pneus em nossas lojas”, completa o titular da pasta, evidenciando uma movimentação superior a 85% dos motoristas na economia garanhuense.

O estudo mostra que o valor médio dos gastos com combustível tem amplitude de R$ 120,00 até R$ 540,00, tendo assim uma média de gastos semanais de R$ 250,00 por condutor – equivalendo a 12 mil reais mensais. Anualmente, esse valor pode chegar até R$ 4 milhões. Quanto a venda de pneus o valor anual injetado na economia ultrapassa os R$ 800 mil.

A média semanal de passageiros, vindos de municípios vizinhos para trabalho, atendimento médico, compras ou estudo, é de três viagens. O comércio é o mais beneficiado, já que a média de gastos de 52% dos entrevistados, numa única visita, é de até 300,00 reais. “Percebemos que as respostas dos passageiros e dos motoristas coincidiram nesse momento. A maioria visita o comércio e em segundo lugar ficou o polo médico”, destaca a estagiária do Departamento de Economia da SDE, Paula de Sá.

A pesquisa contou com a colaboração da Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT) e servirá para, em conjunto com a Secretaria de Planejamento (Seplan), elaborar estratégias para beneficiar de maneira empreendedora os motoristas que atuam no transporte alternativo.

(Texto: Cloves Teodorico. Foto: Divulgação).

OPINIÃO – O estudo deixa bastante claro a importância do transporte alternativo em Garanhuns, trazendo para o comércio da cidade, diariamente, dezenas ou mesmo centenas de pessoas de outros municípios. Na verdade podemos dizer que existe a “Grande Garanhuns”, formada por cidades como Jucati, Jupi, Lajedo, Canhotinho, Angelim, São João, Capoeiras, Caetés, Bom Conselho, Terezinha, Brejão, Paranatama, Lagoa do Ouro, Correntes, Iati, Saloá, Águas Belas, Quipapá, Calçado, São Bento do Una e até municípios de Alagoas.

Os moradores de todas essas cidades movimentam a economia de Garanhuns e o transporte alternativo cumpre um papel importante em trazê-las para cá e leva-las de volta para lá. Daí que não se pode simplesmente dar um basta aos pontos de vãs que se espalham em torno do centro.

Quando candidato a prefeito, em 2012, Silvino Duarte tinha no seu plano de Governo uma ideia muito boa de construir uma “Rodoviária Municipal” para abrigar o transporte alternativo das outras cidades.

H
Hoje o ex-prefeito é aliado de Izaías Régis (PTB) e acredito que o atual gestor pode levar à frente o projeto do seu colega (inclusive de partido).

O gestor me parece que já tem recursos em caixa para construção de uma nova Ceaga no município. Quem sabe no local da antiga Central de Abastecimento se faz a Rodoviária Municipal. Poderia ser na rodoviária antiga também (perto da Praça Mestre Dominguinhos), desde que se consiga resolver o problema daquele hotel que enfeia a cidade e impede um melhor uso daquela área.

Alguém no futuro vai ter de dar um jeito nisso (na rodoviária antiga e no transporte intermunicipal) e que seja Izaías, um prefeito que pelo que vem fazendo está disposto a mudar a realidade de Garanhuns. (R.A.).

2 comentários:

  1. A prefeitura através da A.M.T.T. precisa colocar um ponto único na Boa vista, ou na praça Capitão Tomás Maia, que abranja as VANS, de (Brejão, Lagoa do ouro, Correntes, Terezinha, Bom conselho, Palmeira dos índios, Arapiraca)..

    ResponderExcluir
  2. O TRANSPORTE ALTERNATIVO AUMENTA MUTO A ECONOMIA DE GARANHUNS, MAS PORQUE O GOVERNO MUNICIPAL JÁ TENTOU VARIAS VEZES IMPEDIR ESSE TIPO DE TRANSPORTE, INCLUSIVE OS MOTORISTAS NÃO PODEM CIRCULAR PELO CENTRO PARA LEVAR PASSAGEIROS A DETERMINADOS LOCAIS. HOJE AS ASSOCIAÇÕES DE MOTORISTAS PRECISAM DE ADVOGADOS PARA ENFRENTAR ESSE PROBLEMA, JÁ FIZERAM VÁRIOS PROTESTOS, POIS MUITAS VEZES JÁ TENTARAM OS IMPEDIR DE TRANSPORTAR PASSAGEIROS PARA GARANHUNS. O GOVERNO DEVERIA COMPREENDER QUE PRECISA DESSES TRABALHADORES, E DEIXAR DE LEVAR EM CONTA INTERESSES DAS EMPRESAS DE ÔNIBUS. ROBERTO, FAÇA UMA REPORTAGEM SOBRE ISSO, ENTREVISTE OS PRESIDENTES DE ASSOCIAÇÕES DE TRANSPORTE ALTERNATIVO, PELO MENOS EM CAETÉS E CAPOEIRAS, E VOCÊ DESCOBRIRA A VERDADEIRA POSIÇÃO DO GOVERNO SOBRE ESSE ASSUNTO.

    ResponderExcluir