quinta-feira, 27 de novembro de 2014

AMERICANO VÊ CIA ENVOLVIDA NA MORTE DE EDUARDO CAMPOS

Passados perto de quatro meses da morte do ex-governador Eduardo Campos, continuam surgindo as teorias de conspiração sobre a tragédia de Santos. Nos Estados Unidos, mais de um jornalista especula que o socialista teria sido assassinado, com participação da CIA no "suposto acidente".

A Revista Carta Capital publicou reportagem reproduzindo as desconfianças da imprensa americana em relação a morte do ex-governador pernambucano.

JORNALISMO INVESTIGATIVO

O jornalista investigativo norte-americano Wayne Madsen publicou um texto em sua coluna no site da Fundação da Cultura Estratégica — afirmando que a CIA, serviço de inteligência e espionagem do governo dos EUA, seria responsável pela morte do candidato à Presidência da República Eduardo Campos. Segundo o autor, o "suposto assassinato" teve motivações políticas

Para jornalista, morte da Eduardo Campos foi causada pela CIA para derrubar Dilma Rousseff

Segundo Madsen, a morte de Campos colocou Marina Silva, sua substituta na chapa, como "ameaça" à campanha pela reeleição de Dilma Rousseff (PT). "A derrota de Rousseff seria um sinal de vitória para a administração de Obama, que quer tirar de cena presidentes progressistas na América Latina", diz o texto.

"Marina Silva, que é pró-Israel e seguidora da igreja pentecostal Assembleia de Deus, é muito mais a favor dos empresários e dos Estados Unidos do que Rousseff, do esquerdista Partido dos Trabalhadores", continua o jornalista. Ele ainda afirma que Dilma e o BRICS (grupo de países emergentes composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) estão tentando "desafiar a supremacia no Banco Mundial operado pelos EUA".

De acordo com Madsen, Marina é uma "marionete" do empresário húngaro George Soros, famoso especulador na bolsa de valores norte-americana e um dos maiores financiadores da campanha de Barack Obama à Presidência dos EUA em 2008. Para o jornalista, ela representa um suposto movimento internacional chamado "Terceiro Caminho", do qual participariam Bill Clinton, Tony Blair, o presidente francês François Hollande e Fernando Henrique Cardoso, entre outros políticos e empresários.

"Quando se torna vantajoso matar um membro do 'Terceiro Caminho' para promover outro, não há problema em eliminar alguém como Eduardo Campos para abrir caminho para uma política mais popular (e controlada) como Marina Silva, especialmente se os interesses de Israel e Wall Street estão em questão", afirma Madsen.

O jornalista corrobora suas afirmações citando outros políticos sul-americanos que morreram em circunstâncias supostamente "misteriosas". Os presidentes Jaime Roldos Aguilera, do Equador, e Omar Torrijos, do Panamá, foram vítimas de acidentes aéreos em 1981 e, de acordo com Madsen, a impressão digital de um ex-agente da CIA foi encontrada nas cenas das duas tragédias.

"Uma análise da história pós-Segunda Guerra Mundial revela que, de todas as maneiras que serviços de inteligência usaram para eliminar ameaças politicas e econômicas, assassinato por queda de avião aparece em segundo lugar, logo após acidentes de carro e envenenamento, e pouco antes do uso de armas de fogo e munição, como o modus operandi favorito da CIA para assassinatos políticos", acrescenta Madsen.

O modelo do avião que levava Eduardo Campos, a falta de registros de voz na caixa preta do veículo e a agência norte-americana chamada para auxiliar nas investigações são indícios, segundo o jornalista, de que a morte do ex-governador de Pernambuco foi orquestrada pela CIA.

Madsen cita as recentes pesquisas eleitorais no Brasil, que preveem a vitória de Marina Silva num eventual segundo turno contra Dilma, como sinal do "sucesso" na operação do governo dos EUA. Para ele, porém, essas mesmas pesquisas não passam de "artifícios de agência de inteligência ocidentais e corporações, usadas para induzir a opinião pública e engatar uma programação previsível de controle da população".

Outro colunista da Fundação de Cultura Estratégica, o jornalista e escritor Nil Nikandrov, concorda com as afirmações de Madsen. Ele publicou nesta sexta-feira (12/9) um texto semelhante, intitulado "Candidata apoiada pela CIA concorre à Presidência do Brasil". 

8 comentários:

  1. Mas se raciocinairmos mais um pouco o verdadeiro candidato da CIA erra o TUCANO aecio neves e não marina ela só foi o cavalo paraguaio o verdadeiro neoliberalismo era aecio fhc Aluízio Nunes etc esta é a verdade

    ResponderExcluir
  2. Mas se raciocinairmos mais um pouco o verdadeiro candidato da CIA erra o TUCANO aecio neves e não marina ela só foi o cavalo paraguaio o verdadeiro neoliberalismo era aecio fhc Aluízio Nunes etc esta é a verdade

    ResponderExcluir
  3. PAULO CAMELO, COMENTA:

    É um raciocínio muito simplista, porque Eduardo Campos, já tinha ido nos Estados Unidos, pedir a bença a Obama, aos investidores e negociado a autonomia do Banco Central. Além de ser defensor dos interesses das Classes Dominantes e do Imperialismo Norte-americano. O governo dos Estados Unidos tem com mais precisão a movimentação e tendência da política e da população brasileira. O resultado eleitoral demonstrou isso, ou seja, que Eduardo Campos, seria o mais forte opositor as pretensões da reeleição de Dilma. Era uma político mais habilidoso, novo e ousado. Dilma catucou Aécio como ex-governador de Minas gerais, mas a mesma iria encontrar dificuldade para detonar o ex-governador, falecido, Eduardo Campos. Aécio capitalizou o descontentamento por falta de opção. Lembre-se que Aécio não é tão habilidoso quanto era Eduardo Campos. Veja o exemplo de Pernambuco. Ou seja, o Paulo Câmara representou o novo, enquanto Armando Monteiro, o velho e o atraso. Portanto, Paulo Câmara e Eduardo Campos, ambos tinham potencial para dialogar com a juventude, a mesma que foi as Ruas em junho de 2013. Lembrando que a movimentação de junho de 2013 tinha uma conotação meramente anarquista e jamais esquerdista. A juventude rebelde de junho de 2013, não permitiu a participação de nenhum Partido político, seja de Direita, seja de Esquerda, e muito menos a UNE e a UBES, suas entidades estudantis descaracterizadas. Finalizando, quero dizer que Marina não é marionete de quem quer que seja. É só observar sua trajetória política.
    AGORA DURMAM COM ESSA BRONCA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engenheiro Civil,Paulo Camelo.

      Sua análise também contribui para esclarecimentos de alguns pontos.As linhas traçadas com suas curvas nos trazem alguma luz no fim do túnel.

      A história precisa sim registrar esses fatos que vem à tona mais uma vez. Duas tragédias que ainda hoje deixaram dúvidas, as mortes de Dr. Marcos Freire e Dr. Ulisses Guimarães.

      Excluir
  4. Acontece que nas pesquisas posteriores a morte de Eduardo Campos dava Marina Silva como a única que ganharia de Dilma as eleições no segundo turno. Até ali não se sabia que era um cavalo paraguio, e quando Aécio cresceu pela inconsistência de Marina que era ôca, o trabalho poderia já ter sido iniciado, é bom que se apure, são seis vidas ceifadas estupidamente, independente de seus objetivos partidários.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu preciso ler mais o que algumas pessoas mais sábia do que eu poderá nos ajudar para poder se dar uma opinião mais consistente.

      Eu sempre tive minhas dúvidas intimamente diante dos argumentos dos peritos que analisaram a tragédia.

      Que teve muitos olhos grandes em cima do homem inteligentíssimo que foi Dr. Eduardo Campos, isto eu nunca tive dúvidas.Por tudo o que eu li não me satisfez os esclarecimentos.

      Mas agora apareceu uma luz no fim do túnel e novos esclarecimentos poderão vir à tona.

      Excluir
  5. PAULO CAMELO, E SUAS CONSIDERAÇÕES:

    1 - O governo militar conseguiu a proeza de inibir o surgimento de novas lideranças políticas, seja de direita ou de esquerda, a exceção de Lula;
    2 - Eduardo Campos era um caso raro, o qual escapuliu por "entre os dedos", isto é, da lógica de inibição comandada pelo governo militar, para se lançar na condição de político emergente. Aqui não importa sua posição política, mas sim sua rápida ascensão, sua habilidade e sua ousadia;
    3 - Mas, Eduardo Campos, não era um político que seria capaz de por em risco a supremacia das Classes Dominantes. Pelo contrário, era um autêntico representante do Capital;
    4 - Igualmente, Lula é um político que surgiu no movimento sindical no período do governo militar. É, também, um político raro de inserção nacional. Aqui não vale sua posição política, nem tão pouco o Mensalão e Petrolão;
    5 - Então, tanto Lula, o qual tem um certo controle (já foi bem maior) das massas, como também Eduardo Campos, o qual enfrentava e procurava detonar a hegemonia do PT, poderiam ser obstruídos por quem quer que seja, porque ambos são mais importantes para a política hegemônica dos Estados Unidos, do que o próprio Aécio. Uma vez que, Aécio não tem controle das massas;
    6 - Para quem participou do Movimento Estudantil na época do governo militar, sabe muito bem do que estou dizendo. A agitação promovida por Lula nas greves do ABC Paulista, poderia ser o caminho de cooptação pelos órgãos de repressão, conforme se constata no livro de Romeu Tuma Jr (filho do agente da repressão, Romeu Tuma). O Cabo Anselmo, era um agente agitador infiltrado entre os militantes esquerdistas, os quais forem entregues aos aparelhos de repressão pelo próprio Cabo Anselmo. A delação premiada no caso do Petrolão, é um caso semelhante, guardando as devidas proporções ;
    7 - Lula, por ser líder popular, num sistema de aparente democracia era a peça chave do ex-presidente dos EUA, George Bush. Isto é, para fazer o contra-ponto na América Latina, com o ex-presidente da Venezuela, Hugo Chaves. Não é à toa que George Bush, se deixou fotografar com Lula, este último visivelmente “calibrado”;
    8 - Então, pergunto: Para que matar algum expoente do Capital, no caso Eduardo Campos, o qual não é esquerdista e têm, mesmo parcialmente, o controle das massas?
    9 - É público e notório que o PT reza, e bem feito, na Cartilha dos EUA e das Classes Dominantes;
    10- O caso da morte de Marcos Freire é diferente. Após o ex-presidente Jânio Quadros, o ex-senador Marcos Freire, era o melhor político e o de maior potencialidade e de melhor capacidade de mobilização das massas, isto é, em pleno vigência do governo militar. Ou melhor, possuía um discurso muito consequente em Defesa das Liberdades Democráticas e conseguia mobilizar as massas. Ou seja, Marcos Freire, tido como Galã e eloquente, por si só não oferecia perigo a supremacia militar, mas tinha uma enorme capacidade de mobilizar as massas, aí sim, poderia oferecer perigo real. Mas, ainda não se sabe, até hoje, se houve atentado devido a precária investigação, como também é o caso da morte acidental do ex-presidente Juscelino Kubitschek.
    TENHO DITO.

    ResponderExcluir
  6. Meus caros blogueiros, leitores, críticos ou não, a verdade é que o Brasil enquanto os bilhões de reais estiverem sendo espalhados pelo país afora para se eleger os picaretas, segundo o ex-presidente Lula, nós não estaremos livres dessas e outras tragédias.

    Os nossos políticos em geral são tão pequenos, ignorantes, burros, metidos a sabidos, a besta que, sabem de cor que o sistema eleitoral brasileiro está errado em gênero, número e grau.

    Gênero: sofrem os homens e as mulheres.Muitos querem crucificar a Presidenta Dilma como se fosse ela a responsável pela economia não ter crescido.Os responsáveis foram os 280 deputados que votaram no efeito cascata produzido pelo aumento absurdo que eles deram em seus salários de $4 10.000,00 para cada um deles quando o Brasil vinha de uma Crise com o IPI reduzido para 0%.

    Número: para se eleger deputados estaduais e federais a cifra fica bem pertinho das casas dos $4 5.000.000,00 a 10.000.000,00 quando eles ou elas ganharão apenas em 4 anos mais ou menos R$ 1.700.000,00.

    Grau: A folha de pagamento de todos os políticos brasileiro ultrapassam hoje mais de 8 bilhões de reais anuais.Todas as categorias pressionarão por aumentos à partir de janeiro de 2015.Tudo porque os deles SOBE,SOBE E SOBE e os nossos DESCE,DESCE E DESCE!!!!!!!!!!!.

    Dr. Eduardo Campos fez o dever de casa tal e qual fez o Lula.Mandou dinheiro para todos os Prefeitos e Governadores do Brasil sem discriminar ninguém. Por isso se tornaram unanimidade no Brasil fazendo diferente de João Figueiredo, José Sarney, Fernando Collor de Melo e Fernando Henrique Cardoso.

    Quem não se lembra quando FHC bloqueou o dinheiro da venda da CELPE para Dr. Miguel Arraes de Alencar não terminar de ELETRIFICAR todo o Estado de Pernambuco? Mas o Jarbas Vasconcelos terminou de fazê-lo! Para o bom entender, basta somente duas palavras e nada mais! Estas são algumas das minhas verdades. Se menti, peço desculpas!

    ResponderExcluir