quinta-feira, 24 de outubro de 2013

AS SANFONAS CHORAM A MORTE DE ARLINDO DOS OITO BAIXOS

O sanfoneiro Arlindo dos Oito Baixos, 72 anos, faleceu no início da tarde desta quarta-feira (23), no Instituto de Medicina Integral de Prof. Fernando Figueira (Imip). Um dos detentores do título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, o músico tinha diabetes e já havia amputado as duas pernas em decorrência de problemas circulatório. Seu coração funcionava com apenas 30% da capacidade e fazia sessões periódicas de hemodiálise.

De acordo com o produtor cultural Anselmo Alves, mesmo muito debilitado, Arlindo dos Oito Baixos ainda empunhava sua sanfona de oito baixos. Anselmo é autor do documentário  Arlindo dos 8 Baixos: o mestre do Beberibe. Para realizá-lo, ele chegou a gravar 120 horas de gravação com Arlindo, que antes de se dedicar à música profissionalmente foi barbeiro e vendedor de feira. Segundo Anselmo, foi graças a Luiz Gonzaga que Arlindo trocou a sanfona de 120 baixos pelos oito baixos que o consagrou.

Nascido em Sirinhaém, na Mata Sul de Pernambuco, Arlindo toca desde os dez anos, a maioria dele no oito baixos. Foi Luiz Gonzaga que sugeriu que passasse para a sanfona de 120 baixos. Aliás, Arlindo é dos poucos sanfoneiros que podem se orgulhar de ter tocado com o Rei do Baião. Mais do que isso, ter acompanhado Gonzagão por quase 20 anos. Ao mesmo tempo, ele construía uma carreira solo que se consolidou e ficou ainda mais conhecida quando abriu o Forró do Arlindo, hoje Espaço Cultural Arlindo dos Oito Baixos, em Dois Unidos. O que começou como uma brincadeira de fundo de quintal da casa do sanfoneiro tornou-se numa referência de forró para todo o Nordeste.

No DVD, que registra um show na Feneart, no Centro de Convenções, há três anos, Arlindo não se limita a rever a carreira. Faz uma retrospectiva do próprio forró sanfonado. Incursiona pelos mais diversos ritmos empregados no forró instrumental: xaxado (Xaxadinho das Alagoas), arrasta-pé (Isto aqui tá bom demais), baião (Sol com a mão), frevos (Vassourinha) e chorinho (Saxofone porque choras). 

(Fonte: JC Online/Foto:Guga Matos)

Um comentário:

  1. Só agora, descobri o grande artista pernambucano, Arlindo dos oito baixos.Foi asistindo alguns videos de Luizinho Calixto que conheci a obra de Arlindo. S0u apaixonado pela safona de 8 baixos e pude perceber como Arçindo amava sua profissâo, mesmo já, bastante enfermo ele continuava a alegrar as pessoas com suas lindas musicas, que |Deus ilumine onde ele estiver.

    ResponderExcluir