ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

quinta-feira, 26 de abril de 2012

ARMANDO PREOCUPADO COM OS EFEITOS DA SECA

Em pronunciamento no Senado Federal, o senador Armando Monteiro (PTB/PE) manifestou sua preocupação com a seca no Nordeste, sobretudo no Sertão e no Agreste de Pernambuco. 

“Há 29 municípios em estado de emergência, 22 no Sertão e sete no Agreste, impactando diretamente a vida de 300 mil pessoas. Os efeitos da estiagem atingem a agricultura e a pecuária. Cerca de cem mil pequenos produtores rurais do Sertão já perderam suas lavouras de milho e feijão”, apontou o senador, destacando que cerca de 300 mil toneladas de alimentos já deixaram de ser produzidas, conforme dados da Secretária de Agricultura e Reforma Agrária de Pernambuco. 

Segundo o senador, a situação é grave e em muitos casos irreversível em termos de perdas econômicas. “Os criadores intensificaram as vendas para abate, receosos com a falta de pastagens e perda de peso dos animais. Nesse momento, é preciso salvar os rebanhos bovino, caprino e ovino, que somam seis milhões de cabeças e representam o principal capital dos pecuaristas da região”, disse. 

Armando Monteiro parabenizou a forma ágil que a presidente Dilma Rousseff vem enfrentando o problema. “Quero saudar a forma ágil com que o Governo Federal, especialmente a presidente Dilma, vem garantindo a liberação de recursos para o enfrentamento desse quadro. "Refiro-me à publicação da Medida Provisória nº 566, que já contempla a liberação de créditos extraordinários para o Ministério do Desenvolvimento Agrário e Ministério da Integração, que se destinam às ações de caráter emergencial, como a garantia do seguro-safra, assistência financeira aos produtores não cobertos por esse sistema, o Bolsa Estiagem e ações na área de defesa civil”, elogiou. 

Para Armando Monteiro, é preciso investir em projetos estruturantes para evitar a utilização de soluções paliativas, como é o caso dos carros-pipa. “Há décadas registramos o tempo passar e lamentavelmente utilizamos de soluções emergenciais como os carros-pipa, quando já poderíamos ter implementado projetos de caráter estruturante, que pudessem, de alguma forma atenuar esse quadro, assim como combater o problema”, ponderou. 

As iniciativas deflagradas no governo do ex-presidente Lula, para combater a seca no Nordeste, também foram lembradas pelo senador, como a construção da transposição do rio São Francisco. “Temos de louvar algumas iniciativas do presidente Lula quando bancou o projeto da transposição do São Francisco. O importante é que alguns eixos da transposição viabilizarão a possibilidade de que uma nova rede de adutoras possa ser implantada, fazendo desses pontos eixos de captação de água para o atendimento de áreas. 

No caso de Pernambuco, por exemplo, há um projeto da adutora do agreste que poderá vir a beneficiar 60 municípios dessa região, considerada a de maior densidade demográfica, com alto déficit hídrico no nosso Estado”. Ao final do discurso o senador ressaltou as ações céleres encampadas pelo ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. “O ministro Fernando Bezerra tem atuado de forma firme na tomada de decisões. Além disso, ele irá coordenar e administrar as ações definidas pelo governo federal para o combate a seca no nordeste”, destacou.

Um comentário:

  1. Armando deveria se preocupar com as besteira que Izaias anda fazendo em Garanhuns, o seu candidato estar por fio para ser denunciado pelo MP pois as contas da Aciagangat, irão ser colocadas a apreciação, ai Dr. Armando vai ficar pendurado até porquer foi do seu gabinete que saiu a maioria dos recursos- Sandro perrela - Boa Vista- Garanhuns

    ResponderExcluir