segunda-feira, 14 de novembro de 2011

PREOCUPAÇÃO COM O RELÓGIO DE FLORES

O Relógio de Flores completa 30 anos de sua inauguração em janeiro de 2012. Os Amigos do Parque Euclides Dourado querem fazer uma homenagem ao mais visitado cartão postal da cidade. Só não fizeram ainda porque a Praça Tavares Correia está em obras, cercada por tablados. A reforma tendo terminado ou não esse grupo de garanhuenses querem assinalar as três décadas de funcionamento do relógio até dezembro. Estão preocupados, também, com as mudanças na antiga praça. Temem que após a conclusão dos trabalhos o concreto fique mais em evidência de que o verde e as flores do local. (Na imagem feita em computador uma visão de como ficará a Praça Tavares Correia e o Relógio de Flores).

10 comentários:

  1. O Parque Dona Lindu, do Recife que o diga. João da Costa e João Paulo tambem.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, o design atual da praça é mais bonito, aquelas flores lilas e aquele mini corredor com o piso de tronco de arvores é lindo! Não vejo flores nessa imagens, relogio das flores agora seria relogio de que?
    - Junior

    ResponderExcluir
  3. Esse prefeitinho ainda quer deixar nosso relógio de flores com mais concreto que verde? Bastava ele conservar, coisa que nao fez ao longo se sua administracao.
    Vera Lúcia

    ResponderExcluir
  4. Os tapumes postos por parte da Prefeitura nos logradoros publicos * Relogio das Flores, Praca Irmao Miranda e Praca Dom Moura * pelo tempo, varios meses, mais parece uma Obra subteranea Estacao de METRO, pois nao vemos OPERARIOS trabalhando. Os anteparos servem de esconderigo para marginais e sanitario publico.

    ResponderExcluir
  5. Robertão, só espero que o Super Secretário, não corte nenhuma árvore, como fez no Parque Euclides Dourado, desta vez estamos de olho no cidadão.

    ResponderExcluir
  6. Caro Roberto, solidarizo-me com os conterrâneos em suas preocupações. Essa reforma não poderia vir em pior hora, e o digo não pela ideia de reforma em si, mas pelo projeto em específico que foi apresentado e já está sendo executado pela Prefeitura Municipal. Um grande atentado não só contra a quase centenária Praça Tavares Correia, como contra a própria concepção do Relógio, idealizado pelo saudoso poeta Francisco Bandeira de Mello, falecido há pouco menos de um mês, de modo a assinalar a semelhança entre a "Suíça pernambucana" e suas irmãs helvéticas, sobretudo com Genebra. Lançada a proposta, a o prefeito Ivo Amaral comprou-a e ergueu o belo Relógio, que acabou transformando-se no principal cartão-postal de Garanhuns, também a ajudando a consolidar-se como a "Cidade das flores". Isso se deu há exatos 30 anos. Ao longo de sua história - e disso pouca gente sabe -, o Relógio foi vítima de vários atos de vandalismo, verdadeiros atentados. Para se ter uma ideia, pouco tempo depois de inaugurado, em questão de meses, "O Monitor" estampava em suas manchetes que vândalos haviam passado com um carro por cima do Relógio na calada da noite, destruindo-o. Para conter a violência, foi preciso equipar a Praça com uma guarida policial permanente. Muitas têm sido as tentativas de atentar contra nossa grande efígie, mas nenhuma delas justifica-se menos que a atual, já que promovida pela própria Prefeitura. Falo em atentado porque o projeto que está sendo executado não só compromete fisicamente a Praça Tavares Correia, na medida em que possivelmente inclui a derrubada de algumas das centenárias árvores plantadas ainda na gestão do visionário prefeito Euclides Dourado, quanto bate de frente com a concepção da própria Praça para ser um espaço voltado ao verde e, sobretudo, às flores. Não nego a necessidade de uma intervenção de modo a permitir uma maior acessibilidade ao Relógio, como alegado pela Prefeitura, mas tal não justifica o "mar de concreto" em que o relógio se verá "mergulhado" quando o projeto esteja concluído, mais se assemelhando a uma "caqueira" enterrada em meio ao pavimento intertravado. Pavimento intertravado este, aliás, que consiste em uma péssima escolha de material, o qual além de causar uma má-aparência estética, também possui amplas debilidades de conservação. As experiências com seu uso no Recife, na orla de Boa Viagem, só para citar, exemplificam o que eu afirmo. Ademais, e não menos importante, o projeto compromete o sombreamento da Praça, elemento de essencial importância para manter e estimular o uso desse tipo de espaço público pela população. Em suma, o "mar de concreto", aliado à perda do sombreamento das árvores que serão derrubadas não só compromete a concepção do espaço como um todo - um verdadeiro atentado histórico - como sua própria viabilidade, uma vez que, nunca é demais lembrar, não é sempre que Garanhuns registra 10, 12ºC em seus termômetros, e no verão poucas serão as pessoas que se aventurarão a desfrutar de um espaço transformado em algo tão hostil, tão desnecessariamente quente. Solidarizo-me com o pleito dos Amigos do Parque Euclides Dourado e reclamo já que o projeto, antes de completado, seja posto em discussão. Ainda sou do argumento de que que a Praça Tavares Correia está praticamente pronta, necessitando apenas de alguns ajustes, como o de criar-se um caminho facilitado para aqueles que portam necessidades especiais, e que por isso os recursos que serão gastos nela poderiam - deveriam, aliás - ser melhor investidos em outros equipamentos urbanos que já não conservam as mesmas condições de utilização, como é o caso da Praça Guadalajara, cujas pedras portuguesas estão soltas e os mármores quebrados, carecendo de investimentos urgentes de recuperação. Garanhuns tem que se mobilizar em torno de seu Relógio e de sua Praça, nem que seja em memória do grande poeta Bandeira de Mello, o qual decerto não ficaria feliz em ver sua grande ideia e seu grande legado para a nossa terrinha ser assim desfigurado.

    ResponderExcluir
  7. Da forma que anda as obras de responsabilidade do governo municipal, esta tem tudo para se transformar numa nova praça Irmãos Miranda.

    ResponderExcluir
  8. E só mudar o nome a praça para...Praça do Concreto, já qeu as flores estão casa fez mais rara.

    ResponderExcluir
  9. Qual o valor detinados as Obras, inacabadas, sera que os recursoa sao liberados pelo tem de execucao. Vale lembrar que o Projeto em curso neste Governo de latcicios no antgo Bom Pastor , chegou a ser recolhido pelo orgao, que liberou os recursos por falta de sua execacao em tem determinado.

    ResponderExcluir
  10. É isto aí, Igor! Falou e disse!! :)

    ResponderExcluir