segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O PESO DE LUIZ CARLOS EM 2012

O fato do prefeito Luiz Carlos (PDT) estar com uma avaliação negativa como gestor faz com muitos pensem equivocadamente que o pedetista não terá peso nenhum na campanha política de 2012. Muitos acham fácil falar, esculachar de todo jeito a administração municipal, esquecendo que Bartolomeu Quidute, hoje com pouco crédito entre os eleitores, fez o seu sucessor em 1996, derrotando o tido como imbatível Ivo Amaral.

Luiz Carlos teve perto de 35 mil votos em 2008, uma diferença de mais de 15 mil em relação ao segundo colocado, que foi Zé da Luz. Com todo desgaste que teve de lá para cá, não é possivelmente que pessoalmente, com a força da máquina e o apoio dos vereadores não dê ao candidato que receber seu apoio, no próximo ano, algo entre 4 e 8 mil votos. E se o pleito for decido por uma margem pequena, o que é provável, esse contingente que marchar ao lado do Governo Municipal será decisivo na eleição.

O ex-prefeito Silvino Duarte, que é profissional e pragmático, sabe tanto disso que esqueceu suas diferenças com o sucessor e já esteve próximo dele em duas oportunidades, no momento político delicado que se vive no município. E nas visitas diárias que faz aos bairros da cidade não tem se preocupado em falar mal do gestor. Quando encontra um homem ou mulher se referindo a "Seu Luiz" com respeito, carinho ou gratidão faz questão de acatar a opinião e até já externou a alguém ligado ao governante esse posicionamento. Ou seja: o ex-prefeito admitiu que Luiz Carlos de Oliveira ainda tem seus eleitores fiéis na cidade.

Depois de ter se posicionado duramente contra a pré-candidatura do prefeito de Lajedo em Garanhuns, Luiz resolveu dar uma trégua e agir mais nos bastidores. Não pretende hostilizar o governador Eduardo Campos e está consciente de que muita coisa pode acontecer. Quem sabe mais na frente se acha uma saída honrosa para Antônio João e ficam todos da base aliada juntos no município? Quem sabe o que acontecerá no futuro com as pré-candidaturas de Izaías e Zé da Luz? Em política tudo é possível, raciocina um secretário próximo do prefeito, até um acordo envolvendo Sérgio Guerra, o neto de Miguel Arraes, Aurora ou Silvino.

O prefeito, então, vai deixar os arroubos de lado porque já bateu na mesa defendendo a soberania de Garanhuns. Agora é estudar a direção dos ventos da política, ter muita cautela, mas no momento certo mostrar que está vivo no processo e não abrir mão de influir na escolha do seu sucessor.

Luiz Carlos terá candidato sim. Só não se sabe ainda quem. Dependendo da conjuntura poderá ser um ou outro e não está descartado que ele apoie o mesmo nome do governador. Caso não seja o prefeito de Lajedo, bem entendido.

Alguém é capaz de chegar nas rádios e dizer abertamente: "Eu não aceito o apoio de Luiz, dos seus vereadores nem da máquina municipal!". Pode ser. Desde que seja desses pré-candidatos olímpicos ou um amador. Mas política sempre foi para quem é do ramo.

9 comentários:

  1. Robertão, despresível o apôio do prefeito não é. Tem aquela velha safadeza da MÁQUINA, trabalhar para um ou outro, quando poderia e deveria trabalhar para todos, por igual. Sem contanto que o poder municipal possa favorecer a quem quer que seja, sei que é utópico, más não custa nada pedir ao nobre mandatário de Garanhuns, que termine seu mandato com honra. Quanto ao seu último parágrafo, eu conheço um pretenso candidato que não aceita a ajuda macabra, se é que ela existe: Paulo Camelo, é o cidadão, e não gosta de brincadeiras. Mário Antonio Leite dos Santos.

    ResponderExcluir
  2. Caro Roberto,
    Lê um comentário desse escrito por você dar arrepio. Você que tem participado de tantos embates eleitorais nos leva a acreditar que você aprendeu alguma coisa, se não pela inteligência, pelo menos pela quantidade, do repetitivo.
    Viver Garanhuns, conhecer os problemas desmoralizantes do prefeito (que também é importado), das falcatruas, dos desmandes administrativos, da tirania com os funcionários públicos, da falta de planejamento, dos lixos nas ruas, dos buracos das calçadas, do abandono, e principalmente do desrespeito (como você frisou 35.000 mil votos) as 35.000 pessoas que acreditaram nele e confiaram um novo mandato. Cadê a saúde? A segurança? O apoio a indústria e o combate ao desemprego? Se você sabe, diga-nos, mostre-nos. Seja você amigo de Garanhuns por esse prisma, não permitindo nem elogiando essa administração atual.
    Você ta indo aos domingos visitar municípios vizinho em busca de algo que possa falar. Não gaste sua gasolina, dé uma voltinha por aqui mesmo que você irá ter um vasto material de trabalho, ou você não pode? Não lhe é permitido? Agora vem você com essa perola: enaltecendo um gestor e sua potencialidade. Pra você tá amaciando essa massa falida levanta em nos muitas suspeitas.
    Nos gostaríamos muito de tá fazendo isso, elogiar e ver seu poder administrativo sendo realizado em nossa cidade. Ele não deixa, nem nos nem você dizer algo de positivo e ler isso vindo de te, nos levanta muitas suspeitas. É preciso ter dele “muitos argumentos”.
    Acho que caro (no sentido da palavra) no inicio deste texto, resume bem tudo que tá escrito (ou os motivos que te levaram a essa coisa). Tenha dó.
    Nos estamos feridos na alma, abandonados a sorte, humilhados no brio de ser Garanhuns, cansados de esperar por dias melhores, sangrando em lagrimas de amarguras, morto de esperanças e você ainda vem colocar o dedo em nossa ferida. Puxa Roberto, como isso dói, dói muito.
    Se liberte, seja a nossa voz não a dele, escute a nos não a ele. Garanto que o que temos a dá é um bem muito maior: a nossa gratidão e respeito, por que isso não tem preço.

    ResponderExcluir
  3. o peso de luiz carlos deve ser umas 100 gramaskkkkkkkkkkkk gildo santos eliopolis gildosantos2376@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. não se trata de saber se o prefeito é ruim ou bom vemos que é uma análise política correta.

    ResponderExcluir
  5. eu ja fiz essa analise. pior imposivel. pedro paulo cohab 1

    ResponderExcluir
  6. Os votos de Luiz Carlos não cabe em uma Kombi.

    ResponderExcluir
  7. José Fernandes Costa29 de novembro de 2011 17:30

    Li o texto e os comentários. - Confesso que NÃO entendi o que o Jorge Enoque (20h46) quis dizer. - O texto é só uma análise jornalística, bem ponderada. - NÃO dá mais, NEM menos valor ao prefeito. - Apenas, resume uma realidade política. - Só./.

    ResponderExcluir
  8. Esse ze fernando se mete em tudo

    ResponderExcluir
  9. Se eu e você caro blogueiro e leitor analisarmos bem a nossa política a nível de Municipio, de Estado e de Brasil nada é diferente do que já se fez e já se praticou em todo o país de 1970 até hoje.


    Quando chega ao poder o partido que éra a esperança de verdadeiras mudanças nada praticamente aconteceu.

    As regras eleitorais são as mesmas, os vícios são os mesmos, as imposições são as mesmas, a prática de ideias Maquiavélicas sãos as mesmas, as formas e as fórmulas são as mesmas, os conchavos idem, os descréditos são os mesmos, as esperanças saindo pelo ralo, enfim, estamos vendo que tudo está se transformando para pior.

    Os erros vem de longoS anos e ninguém que está fora ou dentro do poder admite seus erros publicamente.

    Somente vi um homem neste país pedir desculpas pelos erros cometidos que foi o EX-PRESIDENTE LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA.

    Portanto, difícil não é perdoar e sim pedir desculpas, e o Lula o fez com muita propriedade e convicção.

    Errar todos os políticos erraram e às vezes praticaram esses erros em função do SISTEMA político brasileiro que leva o cidadão a praticar o jogo sujo, medíocre,covarde e traiçoeiro que é a política partidária.

    As traiçoeiragens são tão grandes e escancaradas que, faz nojo a gente comentar num Blog que preza pela seriedade e honradez das palavras.

    Que bom se todos admitisseM os seus erros assim como fez o Lula e o próprio Fernando Collor de Melo quando afirmou que se fosse presidente novamente não cometeria a besteira de sequestrar a poupança do povo brasileiro.

    Garanhuns tem grandes homens, grandes personagens e pessoas a altura de governar esta cidade eu não tenho a menor dúvida sob hipótese nenhuma.

    O que falta é uma grande união de todos, o que não é fácil de fazer, não que essas pessoas não sejam capazes, porém é o SISTEMA POLÍTICO BRASILEIRO que insinua a prática puramente fisiológica do poder e dos conchavos que são feitos para se governar em todas as esferas de governo.

    Agora, quem quiser insistir pode, quem quiser lançar qualquer candidato pelo seu partido também pode, o que não pode e não deve é ficar nesse jogo medíocre de ficar condenando esse ou aquele candidato quando deveriam é partir firme para fazer uma coligação partidária em PROL DE GARANHUNS.

    O resto é apenas fumaça jogada no ar nem nexo nenhum.

    ZECA BARBOSA PROFESSOR (Lagoa do Ouro-PE).

    ResponderExcluir