SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

sábado, 22 de outubro de 2011

O DIA DA CRIAÇÃO

Hoje é sábado e “a vida vem em ondas como o mar”. Vinicius já partiu, meu pai também, embora neste dia seja impossível não vê-lo descendo a Barão do Rio Branco, entrando nos armazéns de atacado para comprar produtos necessários ao seu empreendimento na Praça João Borrego.

A manhã já veio com o sol. À minha frente, como todos os dias, a imagem do Cristo, em volta deles passarinhos trazendo os misteriosos recados de Deus.

Fui dormir e acordo com Melancia. Não a fruta, ou a mulher de formas avantajadas explorada nos programas de televisão. Estou me referindo ao surpreendente romance da irlandesa Marian Keyes, lançado no Brasil em 2003 e best sellers em vários países, principalmente na Inglaterra. Inteligente, engraçado, crítico, com boas pitadas de um feminismo merecedor da nossa simpatia.

Garanhuns fervilha no centro, homens e mulheres do Agreste vão às compras; movimento que será superado na próxima semana, quando todos tiverem recebido o santo salário.

O Coração do Homem Bomba faz tum-tum. É o Zeca Baleiro, num show dançante em Minas Gerais, disponível em DVD desde 2009. Grandes sacadas do cantor e compositor maranhense, diferente em tudo do seu conterrâneo José Sarney, uma das pragas do país chamado Brasil.

O artista já fez releituras interessantes de Benito de Paula, Roberto Carlos e Martinho da Vila. Neste último trabalho faz maravilhas com uma letra de Luiz Ayrão, o mesmo da bela Nossa Canção.


Será que essa gente percebeu, 
que essa morena desse amigo meu
Tá me dando bola tão descontraída, 
só que eu não vou em bola dividida
Pois se eu ganho a moça eu tenho o meu castigo
Se ela faz com ele, vai fazer comigo
E vai fazer comigo exatamente igual
E ela é uma morena sensacional
Digna de um crime passional
E eu não quero ser manchete de jornal...


É uma outra música na versão de Zeca Baleiro. Dançante, uma batida forte, com cada verso sendo acentuado na interpretação. O que era levemente brega vira ironia, ficou moderno, envolvente.

Outubro está caminhando para o fim, o sábado começa. Livros, músicas, filmes, mulheres bonitas, sexo, amor, prazer... E tem gente que só pensa no dinheiro, em tudo vê o money, o tráfico,  a compra, a negociação...

Mentes poluídas. Gente que nunca leu um livro, não entende um poema, não lembra que o sábado é o “dia da criação” e que “a vida vem em ondas, como o mar”.

Um comentário:

  1. ÓTIMA MENSAGEM, Roberto! - E, em boa hora, você fez a separação de Zeca Baleiro do grande bandido Zé Sarney. - Infelizmente, os maranhenses têm que viver sob as patas dos Sarneys. São os Zequinhas, as Roseanas, os Murads, além do "empresário" Fernando Sarney, que comprou o Judiciário e está aí livre dos processos aos quais respondia. - E o povo que se dane. - Por que a "grande" imprensa não pega pesado na desmoralização do Judiciário? - Por que ela, a "grande" imprensa, não procura os bandidos de toga, de que nos falou a ministra Eliana Calmon? - Aproveito o ensejo para citar o nome de um homem honrado: Waldir Pires, ex-governador da Bahia e ex-ministro da Defesa. Waldir Pires dirigiu longo telegrama à ministra Eliana, solidarizando-se com ela e parabenizando-a por suas declarações sobre os bandidos que se escondem atrás das togas./.

    ResponderExcluir