Assembleia Legislativa

Assembleia Legislativa
Assembleia Legislativa

terça-feira, 28 de junho de 2011

QUEM É O HOMENAGEADO DO FESTIVAL

Se fizer uma pesquisa em Garanhuns para saber se a população local sabe quem é (ou quem foi) Lula Côrtes (foto acima), pode estar certo de que mais de 90% vai responder que nunca ouviu falar. Esse recifense, porém, que morreu em março deste ano, merece ser lembrado pelo povo pernambucano pelo seu trabalho como artista plástico, músico, cantor, poeta e compositor. Saiba um pouco da vida e obra do homenageado do Festival de Inverno de 2011.

Luiz Augusto Martins Côrtes, conhecido nos meios artísticos como Lula Côrtes, nasceu na capital pernambucana em 1949. Foi um dos primeiros, no meio musical, a fundir os ritmos nordestinos com o rock. Trabalhou em parceria com Zé Ramalho, Alceu Valença, Lirinha, Tito Lívio, Zé da Flauta, Robertinho do Recife, dentre outros famosos da cena musical pernambucana. O vinil "Paêbirú", lançado na década de 70, por Lula e Zé Ramalho, é um dos seus discos mais procurados e virou raridade, porque quase todas as cópias foram destruídas pela cheia de 75.  Fez parte da banda de Alceu na segunda metade dos anos 70, nessa mesma época gravou alguns discos na Rosemblit que nunca foram lançados, mas em 1980 conseguiu colocar no mercado "O Gosto Novo da Vida", pela Ariola. A maioria de sua produção, nos anos seguintes, foi registrada pela Banda Má Companhia. Participou ainda dos discos de Zé Ramalho de 1978 (o primeiro, que inclui Chão de Giz e Avohai), 1985 e 1986.

Geraldo Azevedo e Alceu Valença, cantores que farão a abertura do Festival de Inverno de Garanhuns, conhecem bem a obra de Lula Côrtes, conviveram com o artista. Devem, portanto, proporcionar um momento de muita emoção quando estiverem fazendo a homenagem ao amigo.

4 comentários:

  1. Nada contra o artista que foi Lula Côrtes, que evidentemente tem o seu mérito. Mas...nada a ver com Garanhuns. Devemos homenagear a nossa gente, os nossos artistas. Garanhuns sempre foi conhecida como um reduto de intelecuais. Não teria sido melhor homenagear Ronildo Maia Leite ou Waldimir Maia Leite, os irmãos jornalistas ambos de Garanhuns, que tão bem divulgaram a nossa cidade em seus escritos? Lembra dos versos de Ronildo: "O Céu existe. Entre sete colinas. Garanhuns é de lá"?
    E porque não o grande cantor Augusto Calheiros, ou um dos nossos inúmeros poetas, a exemplo de Artur Maia, ou escritores como Luís Jardim. Ou ainda, Souto Dourado, que além de ter sido prefeito, também escreveu sobre Garanhuns. Não vamos esquecer a nossa história, a nossa gente! Precisamos, urgentemente, resgatar o Festival de Inverno. Há muito tempo que ele não é mais de Garanhuns.

    ResponderExcluir
  2. Por falta de gente que lute por ele

    ResponderExcluir
  3. Garanhuns sempre é "estuprada" por esse intelectuais da capital, que não conhecem nem um pouco da nossa realidade.

    ResponderExcluir
  4. tá parecendo zé da lua vermelha que homenageia gente que ninguém conhece em caetés, esse pessoal acha que pode fazer o que quizer com o dinheiro público.

    ResponderExcluir