ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

terça-feira, 22 de março de 2011

LULA E DILMA

O Governo da presidenta Dilma Roussef está ainda no terceiro mês. É lógico que é pouco tempo para avaliar; classificar como ruim, péssimo, bom, ótimo ou regular. Certo setores da imprensa nacional, contudo, já chegaram a conclusão de que a gestão é diferente da anterior. Os mesmos adversários de Lula, defensores de José Serra e da volta do Brasil às mãos do PSDB, só faltam dizer e escrever nos seus jornalões e espaços de TV, rádio e internet, que a petista conduz melhor a administração pública. Chega a ser hilariante, como chegou a afirmar hoje o ex-presidente. Derrotados em seis turnos de eleição presidencial - em 2002, 2006 e 2010 - os tucanos, demos e seus aliados da elite e da grande imprensa tentam provocar uma divisão dentro do PT e dos setores progressistas, de modo principalmente a evitar o pior - na ótica deles - que seria a volta de Luiz Inácio em 2014. Nas entrelinhas, é como se estivessem querendo expressar: ´"É melhor essa mulher, ex-guerrilheira, mas que não veio dos grotões do Nordeste e estudou alguma coisa, que o verborrágico peão e sua empáfia". A Globo, a Folha de São Paulo, o Estadão, o Jornal do Commercio e outros órgãos de imprensa respeitados, na verdade ainda não encontraram o caminho a seguir. Por enquanto, estão "indo de Dilma" para desconstruir Lula. Aos governistas, cabe ficar unidos, superar as dificuldades do momento e fazer uma boa gestão. Se em 2014 os setores populares e progressistas tiverem dois nomes fortes - a presidenta e o ex-presidente - será um luxo, e aí os tucanos terão de se reciclar, assim como seus aliados. Daqui a três anos, possivelmente Serra e Alckmin irão dar lugar a novas lideranças que vão surgir no campo social democrata, restando fôlego ainda para Aécio Neves, um político mais leve, mais habilidoso e menos reacionário do que os paulistas. Esse perfil mais moderno do ex-governador de Minas tem ficado evidente nas últimas eleições nacionais. De quebra, o neto de Tancredo parece ser melhor administrador do que seus concorrentes bicudos. Dilma vai ser a estrela até as eleições de 2014. Apesar disso, quando chegar lá ela ainda pode precisar de Lula como seu maior "cabo eleitoral". (Na foto da Folha de São Paulo, Lula e Marisa, mais discretos, porque o poder agora é exercido por Dilma).

***O anúncio da Festa de São José pode ser visto em tamanho ampliado depois do Arquivo do Blog, no final da página.

4 comentários:

  1. Dilma Rousseff, presidente brasileira, fará sua segunda viagem internacional na próxima semana. Programou visita a Portugal. Deve passar quatro dias em terras portuguesas. Vai se reunir com o presidente português, Anibal Cavaco Silva, e o primeiro-ministro, José Sócrates Carvalho. Os encontros devem acontecer no dia 31 de março.

    O real motivo da viagem a Portugal, porém, acontecerá no dia anterior. No dia 30 de março, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai receber o título de doutor honoris causa da Universidade de Coimbra.

    Dilma, ex-ministra de Lula, a quem deve sua eleição para Presidência da República, faz questão de estar presente no evento em que o ex-chefe será agraciado.

    Nas palavras de um assessor, a viagem de Dilma faz parte dos sinais que tem enviado e pretende continuar enviando aos "profissionais de intrigas de plantão", que, segundo ele, insistem em criar atritos inexistentes entre os dois.

    Um aliado de Dilma e Lula faz questão de destacar que, apesar das diferenças de estilo, os dois jamais entrarão em atrito. A atual presidente reconhece que, sem Lula, não teria chegado ao cargo máximo do país.

    Diferenças de estilo que, por sinal, estão agradando inclusive a oposição. A presença do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em Brasília durante a visita do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, foi mais uma demonstração da avaliação positiva que faz dessa fase inicial da gestão da petista.

    FHC, durante a campanha, não poupou críticas em relação à então candidata Dilma. Passada a eleição, porém, e diante dos primeiros meses da administração da petista, o tucano emite sinais de aprovação sobre o comportamento da atual presidente.

    Fernando Henrique Cardoso segue como principal referência dentro do PSDB, apesar de muitos amigos dentro do seu partido insistirem em não reconhecer esse seu papel. Suas últimas declarações favoráveis a Dilma Rousseff devem estar deixando o grupo de José Serra bastante contrariado, que no início do atual governo ensaiou críticas contra os primeiros atos da petista.

    Coincidência ou não, os serristas recolheram sua artilharia. Até quando? A conferir nos próximos lances da disputa pelo comando do PSDB.
    Chupem essa manga BICUDOS de PLANTÃO.
    Einstein,recife/PE

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca pensei que o Einstein conseguisse lê mais de 4 linhas. Ele hoje escreveu mais de 4. Mas não leu. E escreveu, não leu, o pau comeu. Eu nunca vi tanta bobagem junta. Ele é que está merecendo o título de doutor honoris causa que vão dar ao apedeuta-ex-mor. Aliás, o nome que se dar, nos meios acadêmicos ao título de doutor honoris causa, é “asno per cause”, o que significa, num tradução literal: “porque ele é um asno”. Muitas vezes, o cara que o recebe não é um asno, mas aqueles que o dão agem como tal.

    Esta estória de que se quer atritar Dilma com Lula é coisa dos marulistas tentando acordar do sono profundo um governo inerte e sem brilho, do poste. Todos sabemos que, como político o apedeuta dá de 10 a 0 no poste. Aliás, dizer que ela é uma política é brincar com o povo, como sempre o apedeuta brincou. Todo mundo sabe que não se passa um só dia que os dois não conversem para o apedeuta dá as ordens. O não convite de Dilma para que Lula fosse encontrar o Obama, foi feito através do Itamarati, para gerar uma desculpa a mais, do que aquela ridícula do churrasco. O grande motivo é que ele não pode se comportar bem quando está numa reunião onde ele não sinta as luzes das câmeras nele. E agora como ex isto é mais difícil. E ele sabe disso.

    Os marulistas estão se apegando agora num momento de educação do FHC que elogiou a Dilma. Ninguém pode nem ser gentil. Um mínimo de educação e civilidade já é tomado como um fato político importante. Jamais o apedeuta foi ou será capaz de um gesto destes. O ciúme que ele tem do FHC, porque ele é um gentleman , não sairá com título nenhum de doutor. Eu tenho medo é que lá na solenidade de entrega do título, ele levante o canudo e diga: “Te cuida FHC, eu também tenho um”, e entortar o poste de vergonha.

    Lucinha Peixoto (Blog da CIT)

    ResponderExcluir
  3. O PT é o novo PSDB e Lula só difere de FHC por ser populista, em outras palavras, quem menos coisas ilícitas fez não é melhor do que aquele que mais fez, a vontade de fazer a coisa errada existiu em ambas as partes, mas como é Brasil, tudo acaba em pizza e o mais engraçadinho se sai melhor na fita.
    Mudando um pouco o assunto, fiquei com pena dos petistas radicais, tiveram que engolir sem dizer nem uma vírgula o Obama, como o tempo e o poder muda as pessoas e de arrasto as instituições.
    Na reforma politica que esta para acontecer se é que vai acontecer, na minha opinão, deveriam acabar com essa legião de partidos e ser criados apenas dois: os que estão no poder e os que querem chegar ao poder, quem sabe assim o pobre e mortal cidadão/eleitor que passa a vida acreditando na filosofia de uma pessoa ou partido sejam poupados. Tendo dois partidos os discursos não terão muito o que dizer e poupa a cabeça do eleitor, ficaria semelhante aos partidos Democrata e Republicano nos EUA.
    Eu particularmente segui certo politico bem popular desde 1989 e com o passar do tempo o discurso foi mudando e eu continue a segui-lo, com o poder nas mãos fez muitas coisas boas, talvez as melhores já feitas, mas também fez tudo aquilo que batia quando não estava no poder e eu continue a segui-lo, até que ele conseguiu supera toda a minha admiração por ele de dois anos para cá, ai deixe de segui-lo e vi que devemos nos colocar em primeiro lugar e aos políticos devemos apoiar quando faz as coisas certas de acordo com as leis e sempre cobrando cada vez mais, afinal de contas ninguém o obrigou a estar lá, pois todo cidadão deveria ter na cabeça que quem estar no poder tem a obrigação de administrar bem como um dono que qualquer negocio que queira sempre crescer e se desenvolver, pois administradores públicos não são feitos para serem idolatrados, idolatria pra mim só a Jesus Cristo.

    Eduardo do Vale

    ResponderExcluir