SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

domingo, 20 de março de 2011

FERNANDO HENRIQUE ELOGIA DILMA

Leandro CólonO Estado de S. Paulo
O ex-presidente da República Fernando Henrique elogiou neste sábado, 19, o convite da presidente Dilma Rousseff para participar, em Brasília, do almoço oferecido ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.
"Achei uma gentileza, senão não teria vindo", disse. "Em matéria de Estado, quando se está representando o País, não cabem divisões partidárias. A presidente Dilma demonstrou que tem compreensão correta dessa matéria", afirmou.
"Temos que ter uma relação. Não é necessário tratar um como Deus e outro como demônio. Aí não dá", afirmou FHC, referindo-se à proximidade de Dilma com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Convidado, Lula não quis participar do encontro com Obama. Outros três ex-presidentes, além de FHC, estiveram no almoço: José Sarney, Itamar Franco e Fernando Collor.
FHC ironizou o fato de Lula, na condição de presidente, nunca tê-lo convidado, como fez Dilma. "É que o Lula é meu amigo de tantos anos atrás e achou que não era necessário", afirmou. E alfinetou: "O Lula, quando eu era presidente, esteve comigo. Muitas vezes".
Fernando Henrique ainda defendeu o discurso firme de Dilma Rousseff na recepção a Obama. "O discurso de interesse do Brasil tem que ser duro, tem que dizer as verdades como são, quais os nossos interesses". 
*Publicado também nos blog da Folha e de Ricado Noblat.

Um comentário:

  1. "EUA não têm mais como impor nada para o mundo", diz FHC
    PUBLICIDADE

    DE SÃO PAULO

    O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, 79, diz que o presidente Barack Obama chega hoje ao Brasil num novo momento mundial, em que "os EUA vão parar de gritar, vão ter de sussurrar".

    Em entrevista à colunista da Folha, Eliane Cantanhêde, FHC acrescentou que os EUA precisam mudar com o mundo: "Não dá para ser mais aquele isolacionismo imperial, do "eu quero" e acontece".

    Na opinião dele, o abalo nas relações Brasil-EUA na era Lula foi por causa do Irã, mas a presidente Dilma Rousseff não está promovendo guinada, "só ajustes".

    "Os EUA, sozinhos, já não têm mais como impor nada ao mundo, mas é preciso o Brasil entender que os nossos interesses não se alinham numa só direção. Vamos ver que sinal o Obama vai emitir. Se for de que, em certas matérias, vamos jogar juntos, nós não devemos achar que estamos nos subordinando aos EUA".Estais notando FAÉ esse discurso não é de LULA não, é de teu ídolo FHC.O mundo é outro professor.A geo-política está mudando companheiro.
    Isso é para as viúvas de FHC lerem e refletirem sobre o atual contexto político e econômico mundial,LUCINHA,PINHEIRO,FAÉ,HADRIEL e muitos outros,chupem esssa manga companheiros.
    Einstein,recife/PE

    ResponderExcluir