SEBRAE

SEBRAE
SEBRAE

ALEPE

ALEPE
ALEPE

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O PORQUÊ DO PROFESSOR PEDRO FALCÃO

Luiz Carlos, o então governador Mendoncinha
e o professor Pedro Falcão, na UPE Garanhuns 
Normalmente quando um nome novo aparece no cenário político tem alguém articulando a novidade nos bastidores. Na maioria dos casos não é invenção, nem boato, fatos não são fabricados a partir do nada. É comum, nessas ocasiões, a população encarar o "balão de ensaio" como uma brincadeira ou uma piada. Quando menos se dá conta o cidadão percebe substância de determinada postulação, que termina atropelando as estrelas principais escaladas numa determinada corrida eleitoral.

Em Garanhuns, no ano de 1992, a disputa pela prefeitura seria entre Tinoco e Givaldo. O primeiro era favorito, o segundo tentava provocar a mudança. Bartolomeu e Almir, bem jovens na época, pareciam ter se lançado numa aventura, um lance atrevido que não poderia dar em nada. O ousado médico de flores ganhou a eleição com mais de 16 mil votos de frente.

Quatro anos depois, o imbatível Ivo Amaral perdeu por dois mil votos para Silvino. Este não era propriamente uma novidade. Mas diziam que teria dificuldades para se reeleger vereador. Terminou sendo prefeito oito anos.

Chega 2004 e Silvino, embora com um governo bem avaliado, não tem um nome forte para enfrentar Bartolomeu, líder das pesquisas. Aparece com uma novidade: o proprietário de Farmácia Luiz Carlos de Oliveira, que vivia atrás de um balcão e nunca quis saber de política. Começou desacreditado e patinando nas pesquisas, porém no dia da eleição tinha votos de sobra. Ganhou com mais de cinco mil votos de diferença.

Isso vem de longe, desde a primeira eleição de Amílcar Valença e pode se repetir ainda muitas vezes. A população cansa de alguém, ou de uma determinada situação e resolve apostar numa mudança, um nome novo que está sendo testado no processo político. 

Tendo aprendido a lição com Silvino, de quem hoje é adversário político, Luiz Carlos já percebeu a necessidade de fazer seu sucessor. Já deu uma melhorada na gestão, ajudou a eleger Izaías Régis (ninguém duvide disso: sem o apoio do prefeito o deputado não tinha chegado lá) e agora se prepara para mais dois anos de trabalho e o pleito de 2012.

O prefeito de Garanhuns tem várias opções no seu grupo. O próprio deputado Izaías Régis, o vereador Dimas Carvalho, o vice-prefeito Almir Penaforte e o também vereador Marcelo Marçal. Todos eles, no entanto, não constituem novidade na política local e o homem do Palácio Celso Galvão precisa não somente vencer, mas deixar no seu lugar alguém de sua inteira confiança. Nesse ponto, o irmão de maçonaria Dimas é um caso a ser pensado.

Novidade maior, porém, seriam a professora Eliane Simões e o professor Pedro Falcão. A primeira teve seu nome sugerido ao eleitorado garanhuense, tendo prefeito e equipe anotado o impacto (positivo ou negativo) causado junto aos diversos segmentos da sociedade. Posteriormente surgiu o nome do segundo, que deve ainda estar sendo avaliado.

Mas por que Pedro Falcão?

Com domicílio eleitoral em São João o sonho do professor talvez fosse disputar a eleição em sua terra natal. De preferência com apoio do prefeito e amigo Pedro Barbosa.

O diretor da UPE, contudo, nos últimos anos se revelou um bom administrador, contribuiu para o crescimento da Universidade de Pernambuco em Garanhuns e para completar caiu nas graças do governador Eduardo Campos. Pode-se dizer sem medo de errar que os dois hoje são praticamente amigos. O neto de Arraes gosta do professor radicado na terra das sete colinas. 

A eleição do prefeito de Garanhuns em 2012 passa pelo atual ocupante do Palácio Celso Galvão, pelo governador de Pernambuco e também por Zé da Luz, que obteve mais de 16 mil votos aqui no dia três de outubro. O ex-prefeito de Caetés, assumindo ou não o seu mandato, pode desistir do projeto de se candidatar novamente à prefeitura local, compondo com o nome preferido de Eduardo Campos. Aí é que o professor Pedro Falcão pode entrar como uma luva nessa equação política: representa uma novidade, tem credibilidade, pode ser abençoado ao mesmo tempo pelo governador e pelo prefeito. De quebra ainda pode juntar Zé da Luz e Luiz no mesmo palanque. Impossível? Ora, quem diria que Izaías Régis, que chamava Luiz da Farmácia de ateu, em 2004, terminaria agradecendo com lágrimas nos olhos o apoio que recebeu do prefeito em 2010? Em política parece que não existe o não, o jamais e o impossível.

São apenas os primeiros lances do xadrez político de 2012 e a eleição deste ano ainda nem foi concluída, pois ainda não sabemos o nome do novo presidente da República. E política muda como nuvem, como bem apregoava Magalhães Pinto, um sábio estrategista mineiro. Assim, tudo ainda é hipótese, por enquanto, mas dependendo do andar da carruagem pode se transformar na mais pura realidade. Tudo depende dos atores envolvidos e dos humores do eleitorado.
O processo político, quando visto assim, com a lupa, chega a ser muito interessante.

11 comentários:

  1. PAULO CAMELO, COMENTA: O TEXTO ORA ELABORADO POR ROBERTO ALMEIDA, DEMONSTRA CLARAMENTE QUE FOI FEITO ÀS PRESSAS, UMA VEZ QUE A FOTO ESTÁ INADEQUADA E DESATUALIZADA. É MUITO COMPLICADO ESSA DEDUÇÃO, A QUAL INDICA QUE OS SETORES CONSERVADORES DA NOSSA CIDADE NÃO TÊM UM NOME COMPETITIVO PARA DISPUTAR AS ELEIÇÕES DE 2012. TANTO É VERDADE QUE ESTAR SE BUSCANDO CONVENCER UM EDUCADOR A TRANSFERIR O DOMICÍLIO ELEITORAL DE SÃO JOÃO PARA GARANHUNS, PARA SER CANDIDATO A PREFEITO EM 2012. É MUITA CARÊNCIA DE OPÇÕES POLÍTICAS DA NOSSA POBRE CIDADE, APESAR DOS SEUS 130 MIL HABITANTES. É MUITO TRISTE PARA GARANHUNS, FICARMOS SOB O CRIVO DO EX-PREFEITO DE CAETÉS, ZÉ DA LUZ, DO GOVERNADOR E AGORA DOS EDUCADORES. CONVÉM LEMBRAR QUE O GOVERNADOR, EDUARDO CAMPOS, REELEITO COM MAIS DE 70% DOS VOTOS, COM APOIO DE PREFEITOS E PARLAMENTARES, MESMO ASSIM NÃO CONSEGUE FAZER CAMPANHA PARA SUA CANDIDATA A PRESIDENTE DA REPÚBLICA, DILMA ROUSSEF, SEM A PRESENÇA DO PRESIDENTE LULA. É PRECISO QUE SE CORTE O CORDÃO UMBILICAL DESSES POLÍTICOS DEPENDENTES.

    ResponderExcluir
  2. paulo infelizmente pra ti o eleitorado está buscando alternativas ,como você diz"forasteiros"
    agora comparar a administração de uma faculdade em crescimento com a prefeitura de garanhuns é forçar a barra.
    vamos aguardar o desenrolar do TSE,pois Zé da luz conquistou de vez o eleitorado de garanhuns,principalmente os mais humildes e necessitados de um olhar mais humano da parte do poder público.
    o governador terá papel definidor nos rumos da campanha, o prefeito luiz carlos acho que não conseguirá diminuir a rejeição que detém no eleitorado repassando-a pra seus candidatos.
    tudo não passa de suposições e achismoskkk
    einstein,recife/PE

    ResponderExcluir
  3. Paulo: a foto é antiga, mas mostra que Pedro Falcão, pelo cargo que exerce, de há muito mantém relação com o poder - prefeitos e governadores (Silvino e Aurora também aparecem na foto). Quanto ao texto é claríssimo: O professor hoje tem um relacionamento próximo do governador. Sou eleitor de Capoeiras, como você sabe, mas nem por isso estou impedido de opinar sobre a política de Garanhuns. O fato de Pedro ter nascido ou ter domicílio em São João em absoluto não o desqualifica para uma disputa aqui. Ele tem inserção no município há muito tempo. É o caso também de Fernando Ferro. Nasceu em Bom Conselho, contudo tem vivência e votos na cidade e poderia também ser uma opção como candidato. Existem outros nomes. Num mundo globalizado como esse, com migrações constantes, internet e tudo mais é estreitar demais a discussão querer exigir do candidato que tenha nascido aqui ou ali. Vamos esquecer os muros e pensar macro, caro Paulo Camelo. De que adianta você ser daqui e eu ter nascido em Capoeiras se o povo dessas cidades prefere outras opções?

    ResponderExcluir
  4. PAULO CAMELO, FAZ A RÉPLICA AO PROFESSOR "ANÔNIMO" E A ROBERTO ALMEIDA: RELENDO O TEXTO POR MIM ESCRITO, EM MOMENTO ALGUM EU ENTRO NO MÉRITO DOS PROFISSIONAIS EM EDUCAÇÃO, PEDRO FALCÃO E ELIANE SIMÕES, E NEM TÃO POUCO FAÇO QUALQUER COMPARATIVO ENTRE EDUCAÇÃO E PREFEITURA. DORAVANTE, SUGIRO QUE FAÇAM O DEVIDO COMENTÁRIO NOS LIMITES DO TEXTO EM TELA. EM DECORRÊNCIA DA CARÊNCIA DE QUADRO POLÍTICO ESTÁ SE TENTANDO DESFALCAR A EDUCAÇÃO DE GARANHUNS, A QUAL ESTÁ INDO MUITO BEM, PARA LANÇAR PESSOAS BEM SUCEDIDAS, COMO OS EDUCADORES, ORA CITADOS, NUM TERRENO "MINADO" QUE SE CHAMA POLÍTICA, ESPECIALMENTE EM NOSSA CIDADE. POSSO LHES DIZER QUE ESSA POSIÇÃO É COMPARTILHADA POR MILHARES DE CONTERRÂNEOS, OS QUAIS SÃO VEEMENTE CONTRA QUE OS SEUS EDUCADORES SE DESLOQUEM PARA A POLÍTICA, PRINCIPALMENTE PORQUÊ A POLÍTICA EM GARANHUNS É MILIONÁRIA E ESTÁ FICANDO A CADA DIA QUE SE PASSA MUITO VIOLENTA. ESSA ARTICULAÇÃO, PRÓ-EDUCADORES, OCORRE PORQUE SETORES CONSERVADORES DE NOSSA CIDADE, CARECEM DE OPÇÕES POLÍTICAS PARA APRESENTAREM UM PESSOA COMPETITIVA PARA A PRÓXIMA ELEIÇÃO PARA PREFEITO. QUANDO UM POLÍTICO CONSERVADOR SE LANÇA CANDIDATO A PREFEITO, ELE SÓ FAZ TAL OPÇÃO SE TIVER "PADRINHOS FORTES", E ESTES, NO CASO ESPECÍFICO DE GARANHUNS, SÃO TODOS, OS "PADRINHOS", INTEGRANTES DA LEGIÃO ESTRANGEIRA. PORQUÊ EM GARANHUNS À DIREITA ESTAR ÓRFÃ, CARECENDO DE LÍDER BURGUÊS. VEJA O CASO DE SILVINO DUARTE, O QUAL, EM QUALQUER ELEIÇÃO, PARTE, DE LARGADA, COM MAIS 8 MIL VOTOS. MESMO ASSIM, NÃO DISPUTOU A ELEIÇÃO DE 2008 PORQUE O SEU "PADRINHO", SENADOR SÉRGIO GUERRA, NÃO SE COMPROMETEU EM FINANCIAR TOTALMENTE A SUA CAMPANHA POLÍTICA. ZÉ DA LUZ, QUE TANTO VOCÊS FALAM É TOTALMENTE DEPENDENTE DO GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS. ATÉ QUANDO FALA, ELE MENCIONA O NOME DO GOVERNADOR E DA DEPUTADO FEDERAL ANA ARRAES, VÁRIAS VEZES. AGORA A POUCO O GRUPO QUE APÓIA O DEPUTADO FEDERAL INOCÊNCIO OLIVEIRA, DO PR (PARTIDO REPUBLICANO), FOI BEM CLARO EM DIZER QUE A PARTICIPAÇÃO NO PLEITO MUNICIPAL DE 2012, DEPENDENTE DE INOCÊNCIO. POR OUTRO LADO, EM CARUARU, ARCOVERDE, SERRA TALHADA (TERRA DE INOCÊNCIO), PETROLINA, ETC, AS ELEIÇÕES MUNICIPAIS SÃO DECIDIDAS E FINANCIADAS PELOS PRÓPRIOS POLÍTICOS DA LOCALIDADE. ATUALMENTE, EM GARANHUNS, SÓ EXISTE UM POLÍTICO, CONSERVADOR, QUE SE TIVESSE RECURSOS PRÓPRIOS, GASTARIA 1, 2, 3, 4 MILHÕES DE REAIS NUMA ELEIÇÃO PARA PREFEITO. ESTE POLÍTICO CHAMA-SE GIVALDO CALADO. INDEPENDENTE DA POSIÇÃO POLÍTICA, CONSIDERO QUE GIVALDO CALADO, NATURAL DE CORRENTES, E IVO AMARAL, NATURAL DE LAJEDO, SÃO UNS DOS POUCOS POLÍTICOS, QUE CONHEÇO, QUE VESTIRAM A CAMISA DA NOSSA CIDADE E SÃO MAIS GARANHUENSES DO QUE MUITOS QUE NASCERAM, DIGAMOS NO BERÇO DA CATEDRAL DE SANTO ANTÔNIO. CONSIDERO SILVINO DUARTE (NATURAL DE PRINCESA IZABEL/PB) E LUIZ CARLOS (NATURAL DE CALÇADOS/PE), AMBOS INTEGRANTES DA LEGIÃO ESTRANGEIRA PORQUÊ OS MESMOS PERDERAM OS 8 ANOS DO GOVERNO LULA. QUANDO SE FALA EM FERNANDO FERRO, É OUTRA SITUAÇÃO NA QUAL SETORES CONSERVADORES PROCURAM O "GUARDA-CHUVA" DO DEPUTADO FEDERAL FERNANDO FERRO, PARA DAR AO GRUPO UM VERNIZ DE "ESQUERDA", ATRIBUIÇÃO QUE SEUS APOIADORES NÃO POSSUEM. MAS, SE DILMA PERDER PARA PRESIDENTE, ESSE PROJETO, COM FERNANDO FERRO, VAI DE ÁGUA ABAIXO. RESUMINDO POSSO LHES DIZER QUE GARANHUNS: É DOMINADA PELA LEGIÃO ESTRANGEIRA; TEM CARÊNCIA DE QUADRO POLÍTICO, SEJA DIREITA OU DE ESQUERDA; NÃO TEM POLÍTICO, CONSERVADOR, INDEPENDENTE FINANCEIRAMENTE; NÃO POSSUI LÍDER BURGUÊS; NÃO TEM LÍDER ESTUDANTIL, NEM SINDICAL, NEM EMPRESARIAL; A ATIVIDADE CULTURAL É POUCO INCENTIVADA; A POPULAÇAO TEM POUCA AUTO-ESTIMA, ETC; TENHO DITO

    ResponderExcluir
  5. esse discurso é bonito para um trabalho acadêmico,mas para ganhar voto tens de mudar essa postura rudimentar e rancorosa.
    como vais atrair a juventude?como seduzir os mais carentes?e as elites como se comportar?
    tenho dito e você fica irritadiço.
    einstein,recife/PE

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. PAULO CAMELO, COMENTA TEXTO DO PROFESSOR DA REDE ESTADUAL DE ENSINO DE GARANHUNS, AGORA COM PSEUDÔNIMO DE "EINSTEIN": NÃO FUJA DO ASSUNTO, SE LIMITE A COMENTAR O TEXTO EM TELA. LEMBRANDO QUE QUEM "SEDUZ" OS MAIS CARENTES É O GOVERNO LULA. SOU SOLIDÁRIO AOS MAIS CARENTES COM O OBJETIVO DE LIBERTÁ-LOS DAS AMARRAS DOS GOVERNANTES DOMINADORES, A EXEMPLO DO GOVERNO LULA. POR FIM, QUERO LHE DIZER QUE NÃO TENHO ESSA APTIDÃO ELEITOREIRA, POR VOCÊ IMAGINADA. TENHO DITO.

    ResponderExcluir
  8. Paulo postei o comentário acima, mas depois resolvi falar contigo primeiro.Pedi pra Roberto, não postar o comentário, porque desejo conversar contigo antes.Sinceramente estou cheio de tuas insinuações.Não sou moleque.

    ResponderExcluir
  9. Liguei várias vezes para Paulo Camelo, mas não atende o telefone.Retirei a postagem,por que a fiz com raiva, pois já estou de saco cheio das Insinuações dele.Após ter feito, refleti e percebi que o melhor é ter uma conversa direta. Pedi a Roberto que não postasse, mas por algum motivo,ele acabou postando.Peço que dê retorno e marque local e armas para resolveremos a PARADA.kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  10. O Problema que Paulo encasquetou que o Eistein, Dimas Souto e outros anônimos, sou eu.Ao invés de vir diretamente a mim, passou a fazer postagem com insinuações ao meu respeito.Como gosto de resolver as coisas de forma clara e transparente, hoje convidei-o a me procurar para conversarmos.Ele esteve no SINTEPE e fui claro com ele.Não sou eu os postadores com psedônimos ou anônimos, que quando faço as críticas assino embaixo, tenho dois nicks um com o meu nome outro em nome da Coordenação Agreste Meridional.Como disse, em outro parte deste blog, não sou homem de utilizar-me do anonimato pra tratar coisas sérias.Espero que nossa conversa tenha esclarecido o mal entendido.

    ResponderExcluir
  11. PAULO CAMELO, COMENTA A EXPLICAÇÃO DE AUGUSTO SOUTO: Em primeiro lugar quero lhe dizer, como também ao Roberto Almeida, proprietário do blog, que as divergências que surgem sobre os assuntos que escrevo fazem parte da minha exposição ao tecer alguma opinião sobre determinado tema. Assim, nada a reclamar. Na reunião que tive com o Augusto Souto, a quem expliquei as razões que me levaram a tê-lo como "o anônimo ou pseudônimo", portanto não foi uma suposição sem o mínimo de fundamento, ouvi do mesmo a afirmativa de que ele "não escreve artigo sem assinar e nem faz crítica rebaixando quem quer que seja". Ótimo. Diante dessa explicação eu não posso considerá-lo como o tal do "anônimo ou pseudônimo". Palavra é Palavra. Tudo bem. Por outro lado, sobra para Roberto Almeida, como também para outros bloguistas, a responsabilidade em proteger todos aqueles que publicam textos que só procuram me atingir pessoalmente, como também a outras pessoas. Ou seja, quem me critica tem um forte complexo de superioridade. O que me chama atenção é fragilidade de alguns blogs ao não serem capazes em identificar os anônimos ou pseudônimos. Por outro lado, alguns bloguistas dizem, e juram, que jamais publicarão textos dos anônimos ou pseudônimos, mas, não sei porque razão resolvem publicar textos de pessoas não identificados para atacar pessoalmente Paulo Camelo, como ocorreu recentemente no blog de Ronaldo César. Altamir é outro, que vai mais além, uma vez que não publica o texto completo e ainda muda minha posição política sobre o 2º Turno. Mas, vamos em frente, cada um é responsável pelo que escreve e os bloguistas pelo que permitem publicar. Sendo assim, continuarei escrevendo, uma vez que acredito que estou contribuindo com a discussão política e a democracia, na esperança de que os proprietários dos blogs não permitam que determinadas pessoas identificadas, ou não, esculhambem com um veículo tão importante como são os blogs. Afinal, vocês, bloguistas, cantam vitória pelo número de acessos, mas não conseguem medir quantas pessoas estão decepcionadas pelos textos de baixo nível e despolitizados, os quais são publicados em suas páginas. TENHO DITO.

    ResponderExcluir