domingo, 17 de outubro de 2010

GIL E CHICO APOIAM DILMA

Embora seja do Partido Verde, o ex-ministro da Cultura e cantor Gilberto Gil decidiu tão logo foi anunciado o segundo turno que votaria em Dilma Roussef. Esta semana, outro grande artista brasileiro, Chico Buarque, assinou um manifesto de apoio à candidatura petista. O compositor de A Banda tem uma história de coerência e luta ao lado das forças populares. Mesmo os que não concordam com suas posições políticas respeitam Chico, que é também bom escritor. À exceção é o arremedo de jornalista Diogo Mainardi, da desmoralizada Veja, que outro dia escreveu uma de suas resenhas tentando reduzir toda a obra desse genial artista a nada. O autor de Pedro Pedreiro, Carolina, Cálice, O que Será?, Roda Viva, Construção, Funeral de Um Lavrador, Olhos nos Olhos, Com Açúcar e Com Afeto, Camisola do Dia e de uma centena de músicas reconhecidas no Brasil e no exterior por qualquer intelectual que se dê ao respeito, atacado de forma mesquinha por esse expoente da imprensa marrom. O leitor ou leitora perdoe a indignação e a linguagem, mas é preciso: é um bosta recalcado querendo atingir um gênio e uma figura  extraordinária. Voltando ao tal manifesto liderado pelo Chico, quem também o assinou (para surpresa minha), foi o jornalista da TV Globo Pedro Bial, que inclusive escreveu um artigo acusando o Serra de ter sido "um exilado de luxo" durante a ditadura, um "fujão".

Nenhum comentário:

Postar um comentário