SECRETARIA DE SAÚDE DO ESTADO

GRANDES NOMES DA MPB XXIII



*Clicando no nome do artista, acima, você acessa um vídeo de Martinho cantando "Mulheres", um dos grandes sucessos de sua carreira. Espere dois ou três minutos para carregar, deixa a tela do computador inteira e se delicie com a voz gostosa do cantor carioca. Atente para o detalhe da introdução, quando ele lê um texto poético sobre as mulheres em francês).

Filho de agricultores, Martinho José Ferreira, o Martinho da Vila, nasceu em Duas Barras, no interior do Estado do Rio de Janeiro. Ainda criança veio morar com os pais na capital. Tendo feito curso no Senai, como o presidente Lula, o artista teve como primeira profissão a atividade de Auxiliar de Químico Industrial. Mais tarde serviu o Exército, chegando a sargento, e como militar se formou e se especializou também como Contador e Escrevente. A vocação do carioca, no entanto, era a música. Em 1967 e 68 se apresentou nos festivais da TV Record, tendo emplacado nos dois anos canções que caíram no gosto do público, a exemplo de Menina Moça e Casa de Bamba, este um grande sucesso nacional no final dos anos 60.

Tornou-se realmente um grande ídolo do samba e da música popular brasileira com o lançamento do seu primeiro LP, em 1969. O disco incluía músicas como a já citada Casa de Bamba, O Pequeno Burguês e Quem é do Mar não Enjoa. Nos primeiros anos, apesar do sucesso, Martinho ainda iria ser acusado de ser repetitivo, de manter no repertório canções que eram quase uma cópia da outra. Com o tempo, porém, ele mostrou ter talento e versatilidade. E não apenas como cantor de samba, interpretando outros gêneros, como bossa nova, MPB, marchas, frevos e até tango.

Em 1995, já com quase 20 anos de carreira, Martinho da Vila conseguiu a façanha de vender mais de um milhão de discos com o álbum “Ta Delícia, Ta Gostoso”. Foi o primeiro sambista a conseguir esta marca.

Martinho Ferreira virou o da Vila por conta do seu amor pela Escola de Samba Unidos de Vila Isabel. Já fez vários sambas-enredo para a agremiação carnavalesca e é uma espécie de presidente de honra da prestigiada escola carioca. Nos últimos anos, o artista tem se dedicado a alguns projetos interessantes, como a apresentação do“Concerto Negro”, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Gravou ainda um disco reunindo músicas de vários países em que se fala a língua portuguesa. O título do CD diz tudo: “Lusofonia”.

Uma das curiosidades deste homem do povo que se tornou ídolo no Brasil e em outros países, é que já cantor consagrado voltou um dia a fazenda em Duas Barras, onde viveu até os quatro anos. Descobriu que estava à venda e não hesitou: comprou o imóvel e transformou-o num lugar para descansar da agitação do Rio de Janeiro.

Martinho da Vila esteve numa das edições do Festival de Inverno de Garanhuns, anos atrás e arrastou um dos maiores públicos que já se viu na Esplanda Guadalajara fazendo um show impecável. Bom de palco, bom de disco, excelente intérprete, compositor e cantor, Martinho figura com toda honra na galeria dos maiores nomes da música popular brasileira de todos os tempos. (Fontes de consulta: Site oficial do artista e enciclopédia livre do Google).

Nenhum comentário:

Postar um comentário