ALEPE

ALEPE
ALEPE

GOVERNO DO ESTADO

GOVERNO DO ESTADO
GOVERNO DE PERNAMBUCO - FUNDARPE

domingo, 25 de abril de 2010

GRANDES NOMES DA MPB XIX



(Ao clicar no nome acima você acessa o vídeo "A Belle de Jour",
interpretada pelo cantor com participação de Wanderléia)


Alceu Paiva Valença nasceu em São Bento do Una, município localizado numa área de transição entre o Agreste e o Sertão pernambucano. Seu pai, Décio Valença, chegou a disputar a prefeitura de sua terra, sem sucesso, mas seu tio, o médico Lívio Valença além de ter governado São Bento exerceu sete mandatos consecutivos de deputado estadual. De família de médicos, fazendeiros e políticos, Alceu se formou em Direito, na Faculdade do Recife. Não se interessaria, porém, por terras, gado, medicina, advocacia ou votos. Sua vocação era a música, sentimento herdado provavelmente de seu avô, Paulo Alves Valença, que gostava de viola e poesia. Além disso, o som que vinha das ruas da cidade natal, através dos auto-falantes, encantaram o menino. Ouvia Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro e Marinês.
Alceu Valença terminou o curso de Direito e por uns tempos foi jornalista, chegando a trabalhar como repórter no Jornal do Brasil. Percebeu logo, no entanto, que sua vocação era a música e os sons que jorravam do Recife, com frevo, maracatu, coco, repente, o rock que importado chegava à capital - tudo isso fermentou na sua cabeça agitada, fazendo com que o artista em potencial produzisse, no futuro, um trabalho completamente original. Nunca foi MPB puro, no sentido de gênero, o rock e o pop, em sua música, tiveram de conviver com a influência dos trovadores, cantadores e repentistas nordestinos e se houve uma influência tropicalista ele foi além, num ritmo bem pernambucano, sãobentense e nordestino.
Com o amigo Geraldo Azevedo, este natural de Petrolina, Alceu pegou o caminho do Sul maravilha e participou de festivais, sem conseguir muita coisa no início. Gravou o seu primeiro disco em parceria com o sertanejo, uma quase obra prima que hoje é uma raridade de se encontrar, mas na época ficou restrito a um público mais vanguardista da velha Veneza Brasileira.
Depois do primeiro vinil com Geraldinho, o cantor lançou "A Noite do Espantalho" (trilha sonora de um filme), "Molhado de Suor", "Vivo" e "Espelho Cristalino". Discos muitos bons, capazes de despertar a atenção do público universitário e da crítica especializada. As canções desses albúns, contudo, não seriam capazes de transformá-lo ainda num grande ídolo da música nacional. No início dos anos 80, com "Coração Bobo", começou a virada dos artista da família Valença. A faixa título estourou nas rádios e abriu caminho para shows em todas as regiões do país. A partir daí e do grande sucesso do disco de 1982, "Cavalo de Pau", Alceu Valença se tornou um astro na mesma dimensão dos baianos Caetano e Gil ou dos cearenses Fagner e Belchior, passando a ser conhecido em todo Brasil e passando a fazer turnês inclusive internacionais.
De família de políticos da esquerda (Dr. Lívio era muito ligado a Miguel Arraes), Alceu Valença provocou um escândalo em Pernambuco quando em 1990 participou da campanha ao Governo de Joaquim Francisco, um legítimo filhote da ditadura. O artista começou a ser patrulhado e chegou a ser vaiado em shows no Recife e Olinda, esta cidade que adotou como se fosse sua. Coisas passageiras, hoje sem tanta importância, pois a trajetória do cantor, as músicas que fez, o som que produziu contribuíram com a renovação da MPB e nos trouxeram e trazem até hoje um legado importante na história da música nordestina e nacional.
Um marco na vida de Alceu é a participação no chamado "Grande Encontro", show com a participação de Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Elba Ramalho, do qual foram lançados dois CDs que venderam milhares de cópias.
Entre as canções que marcaram época desse artista de São Bento do Una, podemos lembrar de Talismã (do primeiro disco com Geraldinho), Coração Bobo, Tropicana, Vou Danado pra Catende, Como Dois Animais, Pelas Ruas que Andei, Estação da Luz e Bicho Maluco Beleza.
Aos 64 anos, Alceu Valença ainda está em forma e prepara no final deste ano, no Marco Zero do Recife, a gravação do seu terceiro DVD.
Alceu Valença, com todas as honras mais um pernambucano na série Grandes Nomes da MPB de Todos os Tempos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário