quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

UMA VISÃO PARTICULAR DO CRIADOR


Falar, escrever contra ou a favor de um Deus dá Ibope. A última edição do Correio Sete Colinas, com três artigos (Jodeval Duarte, Roberto Almeida e Cleómenes Oliveira) a respeito da existência ou não do Criador rendeu acaloradas discussões na região. Repercute em Garanhuns, Bom Conselho, Lajedo, Capoeiras e como duas matérias foram colocadas no blog sobre o tema chegamos também ao Recife. Nefertari, que assina o Blog Rosas do Capibaribe, nos enviou esse inteligente e bem escrito texto, entrando na discussão:


"Eu não tenho religião. As religiões mais separam que unem. Não que preguem isso, mas os seus adeptos parecem crer que a sua religião é a única verdade. Então, cada um acha que sua crença é melhor que a do outro. E enquanto se pensar desse modo, não haverá união nem paz na terra. Há muito deixei a religião. Mas, tenho a minha filosofia, a minha crença. "Amar o próximo como a nós mesmos" é um excelente mandamento, que, se fosse seguido, o mundo seria ótimo. "Amar a Deus, sobre todas as coisas", também. Se amo a Deus, tenho que procurar ver no outro, a mim mesma, respeitar, tolerar, gostar, ver nele um ser feito à imagem e semelhança do que nos criou. Claro está, essa "imagem e semelhança" ainda não foi alcançada. Mas, vamos sim, tentando conquistá-la. A estrada da vida é de evolução. Para os que querem, naturalmente. Creio sim, que algo nos transcende, que existe algo maior e melhor que nós,uma Inteligência Superior. Assim, creio em Deus. Deus como imagino, o "Deus da meu coração, da minha compreensão." Cada um imagina Deus, como pode e tem capacidade de entender. Acredito também na reencarnação, no carma individual e coletivo. Essas duas crenças estão em minha vida e me sustentam. Sem isso, a vida seria uma nulidade, um vazio, uma coisa sem nexo. Há muitas perguntas sem respostas. Não tenho ainda respostas para tudo. Para o mal que existe - pois existe o Bem e o Mal. Mas, acredito, sim, em Deus. Não quero participar de nenhuma religião, mas, a maioria delas, são boas no que pregam. Contudo, não gosto de dogmas que restringem o pensar.Bem... quem falou com Moisés, deve ter sido algo vindo de Deus e certamente não foi a salsa, que é um tempero(e um ritmo das Américas, e Moisés não foi pra lá dançar); nem mesmo foi a SARÇA que lá estava, uma planta, também: ela jamais poderia falar com voz humana. E o que Moisés ouviu, não foi uma fala humana. Foi algo dentro de si, dentro dele próprio, uma revelação, a VOZ INTERIOR quevem da Alma - essa nossa partícula Divina".

Um comentário:

  1. Para aqueles que pensam que uma discussão ou debate deve ter pelo menos dois lados, vejam meu comentário sobre o texto da Nefertari, no tópico Confissões de Fé. Que bom que o debate aconteça e as pessoas descubram as opiniões sobre Deus, que estão longe de serem iguais.

    Cleómenes Oliveira (http://www.citltda.com)

    ResponderExcluir