Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 12 de abril de 2017

ÁLVARO PORTO PARTE PARA A DEFESA DE IZAÍAS

Álvaro Porto e Izaías Régis já estiveram distanciados politicamente, principalmente quando da eleição da Mesa Diretora da Câmara Municipal, dois anos atrás. Mas qualquer divergência parece estar superada e este hoje o deputado e ex-prefeito de Canhotinho não somente elogia o gestor garanhuense, mas faz sua defesa nas críticas que recebeu por políticos ligados ao governador Paulo Câmara.

O parlamentar destaca que Izaías tem popularidade, ao contrário do que acontece com o governador do Estado. Este é o principal ponto de um discurso feito por Álvaro ontem na Assembleia Legislativa, conforme matéria enviada por sua assessoria. Confira:

A importância do Festival Viva Dominguinhos para a economia e a vida cultural do Agreste foi destacada em discurso na tarde desta terça-feira (11.04) pelo deputado estadual Álvaro Porto (PSD), na Assembleia. O evento, que entrou para o Calendário Oficial de Eventos do Estado de Pernambuco por meio de projeto de lei de autoria de Porto, terá sua quarta edição entre os dias 20 e 22 deste mês, em Garanhuns. No discurso, o deputado fez também questão de ressaltar o empenho do prefeito daquele município, Izaías Régis (PTB), em manter o festival mesmo sem apoio do Governo do Estado. E salientou que a aprovação do petebista, sempre por volta dos 80%, responde as recentes críticas destinadas a ele por governistas.

Régis foi atacado por governistas não ter recebido, na semana passada, o governador Paulo Câmara (PSB), em Garanhuns. O socialista promoveu, na cidade, reuniões de mais uma etapa do programa Pernambuco em Ação. O prefeito encaminhou secretários aos eventos e afirmou não ter condições de comparecer para não constranger Câmara. Disse que, caso fosse, teria que fazer ao governador cobranças pelas falhas da gestão. E argumentou que esse era a vontade dos garanhuenses.

Porto disse que Régis dispõe de um patrimônio que está bem escasso pelas bandas do Palácio do Campo das Princesas. “O prefeito tem um governo bem sucedido e, principalmente, tem reconhecimento e apoio popular. Foi reeleito em outubro de 2016 com 68% dos votos válidos e mantém índices de aprovação sempre em torno dos 80%”, afirmou. “Já o governador, cujos aliados atacam Izaías, tem a gestão desaprovada por 74% dos pernambucanos. Ou seja, diante da verdade imposta pelos números, as críticas se perdem na vala das declarações que ofendem o próprio ofensor”, completou.

O deputado lembrou que, mesmo sem apoio do governo, Régis tem conseguido engrandecer o Viva Dominguinhos. “Além de ressaltar a relevância da obra do sanfoneiro e compositor, o festival movimenta a economia, o turismo e a vida cultural do Agreste. Mais de 110 mil pessoas lotam os shows e hotéis, bares e restaurantes registram crescimento de movimento. Isso só confirma que investir na preservação do legado e da história de Dominguinhos atrai público e aquece serviços e comércio. Só o governo não vê isso”. 

CARREIRA DE SUCESSO - Falecido em 2013, Dominguinhos tinha como nome de batismo José Domingos de Moraes. Foi considerado o mais importante herdeiro artístico de Luiz Gonzaga, a quem conheceu aos 8 anos. Foi “seu Lua”, inclusive, quem deu a ele a primeira sanfona. Aos 13 anos já estava morando no Rio de Janeiro. Apadrinhado por Gonzagão, foi em busca do seu sonho. 

De lá para cá, a história é conhecida. Dominguinhos brilhou por onde passou. Transitou na cúpula da MPB e fez produtivas parcerias com nomes consagrados nacionalmente, a exemplo de Gilberto Gil, Chico Buarque, Anastácia e Djavan. Fez sucesso em rádio, em novelas e em shows sempre lotados e elogiados em todo o país. Um dos momentos mais expressivos da sua trajetória ocorreu em 2002, quando recebeu o Grammy Latino pelo CD “Chegando de Mansinho”.

Um comentário:

  1. Esse PSD é um partidinho SORRATEIRO, parte de seus deputas, ficam mamando no governo e parte fica atacando e mamando também.

    O gpverno de PAULO MENTIRINHA é tão inepto que nem é capaz de exigir uniformidade do discurso dos partidos aliados a ele.

    ResponderExcluir