Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

OPOSIÇÃO DE CAETÉS VOLTA A ENXUGAR GELO

Por Wando Pontes*

Há exatos quatro anos, após a derrota nas urnas do então candidato a prefeito Sampainho (PSB), filho do ex-prefeito, Zé da Luz, a oposição de Caetés, de forma desesperada, entrou com um pedido de cassação de mandato do recém-eleito prefeito na época, Armando Duarte (PTB).

Na reclamação, os socialistas alegaram abuso do poder econômico, e apresentaram documentos e gravações de moradores de diferentes sítios do município, revelando ter recebido algum benefício para votar em Armando Mas segundo a defesa do prefeito eleito em 2012,  tudo não passou de uma “armação” da oposição, fato que foi comprovado após apuração da justiça,  que deu ganho de causa a Armando Duarte para exercer o seu mandato de prefeito.

Agora, quatro anos depois, a mesma oposição derrotada nas urnas, por 129 votos, no pleito 2012, voltou a perder para Armando Duarte, por uma diferença de 2.595 votos e novamente, não aceitando o resultado das urnas, vai à justiça eleitoral, levanta suposições e questionamentos frágeis na tentativa de anular uma eleição legitimada pela democracia e pela esmagadora vontade do povo de Caetés. 

Com transparência e honestidade, marcas que balizam a conduta do prefeito de Caetés, informamos para tranquilidade de todos os seus eleitores, que as suas prestações de contas do pleito eleitoral 2016, questionadas na justiça pela “oposição barulhenta”,  foram realizadas com sucesso dentro do prazo estipulado e já estão na justiça eleitoral e que, todo e qualquer tipo de novos esclarecimentos serão fornecidos sempre que se fizer necessário, pois, a “Coligação Caetés no Rumo Certo” que elegeu Armando Duarte,   declarou todos os gastos de campanha nas suas prestações de contas aos órgãos de fiscalização da justiça eleitoral.

IMPUGNAÇÃO -  Por outro lado, informamos que foi dada entrada no pedido de impugnação da prestação de contas finais de BENEDITO SEVERINO DA SILVA e JOSÉ GERSON FERREIRA DE MIRANDA, candidatos a prefeito e vice-prefeito pela coligação opositora “Frente Popular de Caetés”, pois, dentro das determinações legais, verificou-se que,  a citada coligação foi quem não apresentou corretamente as suas prestações de contas de final da campanha para a Justiça eleitoral.

Observou-se a total ausência de informação de entrada e saída de recursos para custear até o próprio material de campanha, revelando assim, a utilização de recursos financeiros não contabilizados, configurando desta maneira, atos ilícitos.       

Depois de uma campanha rasteira por parte da oposição de Caetés, onde não faltaram provocações, acusações levianas e até a divulgação de pesquisa falsa, sem autorização da justiça eleitoral, fato que enganou seu próprio eleitorado, levando inúmeras pessoas a fazer apostas e consequentemente perder carros, casas, terrenos e muito dinheiro, agora, tentam novamente levantar acusações sem consistência judicial e novos fatos mentirosos, visando tão somente o acirramento dos ânimos entre os munícipes e uma falsa esperança, como já assistimos há quatro anos.


Neste momento o adágio popular “O feitiço volta-se contra o feiticeiro” cai como uma luva para a oposição de Caetés. 

*Wando Pontes é radialista, marqueteiro político e Secretário de Cultura de Caetés.

3 comentários:

  1. PENSE BEM ELEITORES DE CAETÉS...VEJA QUE A OPOSIÇÃO DESTA CIDADE NÃO COMPRE COM SUAS OBRIGAÇÕES COM A JUSTIÇA.SEMPRE ENGANOU A POPULAÇÃO ELES NÃO PRESTARAM CONTAS DOS GASTOS DE UMA SIMPLES CAMPANHA POLÍTICA.AGORA ANALISE E REFLITA IMAGINE SE ELES TIVESSE NO COMANDO DA PREFEITURA O QUE IRIA ACONTECER COM O DINHEIRO PUBLICO.NÃO É FEIO LEMBRA QUE ESTE MESMO GRUPO TEM MAIS DE 40 PROCESSO NA JUSTIÇA POR DESVIO DE DINHEIRO DO POVO DESTA CIDADE.

    JORGE CAETÉS PÉ

    ResponderExcluir
  2. AMIGO,essa prática de EMPRESÁRIOS e EMPREITEIROS financiarem todas as CAMPANHAS POLÍTICAS vem do século passado.Tudo para o DR. GILMAR MENDES e os TREs e TSE foram legais.MENTIRA.

    Esses esquemas vem abastecendo todas as campanhas políticas desde o regime ditatorial.Todos denunciavam ,mas todos usavam e usam.

    Saiba você de uma coisa: nenhuma empresa,firma ou empreiteira que ganha LICITAÇÕES de governos municipais,estaduais e federal podem e devem doar dinheiro a partidos e a políticos.A LEI 8.666/93 e a Lei Eleitoral 9.504/97 proíbem.Somente o Dr. Gilmar Mendes e os TREs e TSE aprovaram as prestações como LEGAIS.TUDO ILEGAL.

    Motivo pela qual a OAB apresentou uma ADI e o STF votou pelo fim por 8 x 3 contra o voto do DR. GILMAR MENDES que hoje tristemente preside o TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE).

    O EDUARDO CUNHA APRESENTOU UMA PEC legalizando todas as doações empresariais.O Senado votou contra por 36 x 31 e a DILMA vetou.Eles ,Eduardo Cunha e 220 Deputados federais tentaram derrubar o veto da DILMA, motivo pela qual, 367 DEPUTADOS FEDERAIS E 62 SENADORES votaram pelo AFASTAMENTO DA PRESIDENTE DILMA DO PODER.

    0 RESTO É CONVERSA FIADA E NADA MAIS!

    PROFESSOR ZECA BARBOSA -LAGOA DO OURO-PE.

    ResponderExcluir
  3. Eu já li quase tudo sobre apelação dos perdedores assim que passam as eleições.Das eleições municipais a estaduais e federal e até agora quase nada se apurou e poucos resultados foram obtidos.Criam -se expectativas e no final quem sai ganhando são os vitoriosos nas urnas sejam legais ou não,sejam corretas ou não,mas que no fringir dos ovos quase todos praticam as mesmas coisas e aliciaram ou aliciam os eleitores usando os mesmos hábitos e os mesmos costumes condenados por todos nós e já faz uns 50 anos.

    Lagoa do Ouro,São João , Correntes, Garanhuns, Caetés, Capoeiras, Águas Belas, Brejão,Saloá,Caruaru,Recife,Ipojuca,Serra Talhada,Minas Gerais,São Paulo,Rio de Janeiro e o Brasil.

    A maior denúncia foi Aécio Neves que fez contra a Dilma do PT alegando que houve fraude nas urnas eletrônicas.Para mim foi a denúncia mais frágil já feita desde o ano 2000 quando as urnas entraram e ação.

    ResponderExcluir