Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O HOMEM MAIS PODEROSO DO BRASIL


Por Homero Fonseca*

O Dr. Sérgio Moro é um homem honrado. Também é metódico, frio, eficiente e convicto de ser predestinado a erradicar a corrupção no Brasil. À frente da Operação Lava-jato, como titular da 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, tornou-se uma celebridade internacional. Do alto de seu prestígio e superioridade moral, não costuma responder às críticas. Nas últimas semanas, entretanto, desceu do pedestal.

Pela primeira vez, desde o início da Operação, o juiz perdeu as estribeiras publicamente ao ser comparado pelo físico Rogério Cézar Cerqueira Leite, em artigo na Folha de S. Paulo (11/10), ao místico italiano Girolamo Savonarola e acusado de por em prática um “esquema fanático” em nome de uma “intolerância moralista”. Como sabem os leitores, Savonarola foi um frade dominicano que, na Florença do século 15, arrebatou as massas denunciando em pregações fervorosas os pecados da poderosa família Médici e do próprio Vaticano. 

Moro acusou o golpe. Mandou uma carta à redação do jornal, publicada dia 12, estranhando seja seu adversário membro do Conselho Editorial do jornalão (o que não deixa de ser uma insinuação para seu afastamento) e sugerindo que artigos “que veiculam somente preconceito e rancor, sem qualquer base factual, deveriam ser evitados, ainda mais por jornais com a tradição e a história da Folha” (o que é claramente uma defesa da censura à imprensa).

No final do artigo, o renomado cientista, depois de lembrar que o fanático Savonarola havia sido queimado por ordem do corrupto papa Alexandre 6º, tascou a advertência: “Cuidado Moro, o destino dos moralistas fanáticos é a fogueira”. Por isso, o justiceiro de Curitiba acusou o articulista de “sugerir atos de violência contra o ora magistrado”. Ora, qualquer pessoa medianamente letrada e com um mínimo senso de discernimento entende que a “fogueira” se trata de uma imagem metafórica: Rogério Cézar Cerqueira Leite não estava incitando ninguém a tocar fogo no juiz, como filhinhos de papai de vez em quando fazem com índios e mendigos pelas noites do Brasil, mas ironizando o fato de que, uma vez cumprida sua missão divina (acabar com Lula e o PT), Sérgio Moro poderá ser descartado pelas mesmas elites que o elevaram à condição de herói nacional, como aliás fizeram com o ex-presidente da Câmara, que ainda nas manifestações pró-impeachment de março passado era homenageado com cartazes: “Eu sou Eduardo Cunha”..

O DESTINO DE MORO - A Lava-jato chegou, enfim, ao seu momento mais dramático: com a prisão de Cunha e o acordo da delação premiada de Marcelo Odebrecht, tudo pode acontecer. A prisão de Lula, já testada quando da condução coercitiva, é questão de dias. Mas o perigo se alastrou. Romero Jucá não sabia que estava sendo gravado, mas sabia o que estava dizendo quando comentou que era preciso “delimitar” a operação (traduzindo: pegamos o PT, vamos parar aqui), senão “todo mundo vai ser comido”.

A situação abre perspectiva para uma série de lances à frente: Cunha fará acordo de delação? De quem ele entregará as cabeças? Até onde ele irá para escancarar o sistema corrupto e corruptor? Ou é melhor não fazer acordo de delação, não mexer em casa de marimbondo?

Já o acordo de delação de Marcelo Odebrecht é infinitamente mais explosivo. É “a delação do fim do mundo” — alarma-se a Veja, na capa da edição desta semana. A chamada da matéria na internet “mostra as dimensões superlativas e o potencial explosivo da delação premiada de 75 executivos da empreiteira Odebrecht, incluindo seu ex-presidente Marcelo Odebrecht. Distribuído em mais de 300 anexos — 300 novas histórias sobre a corrupção no Brasil –, o acordo a ser assinado com o Ministério Público envolve os ex-presidentes Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva, o atual, Michel Temer, tucanos de alta plumagem, como José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin, peemedebistas fortemente ligados a Temer, como o senador Romero Jucá e o ministro Geddel Vieira Lima, e os dois principais nomes do PMDB no Rio de Janeiro: o prefeito Eduardo Paes e o ex-governador Sérgio Cabral. As revelações na delação da empreiteira, que faturou 125 bilhões de reais em 2015 e reuniu 400 advogados para costurar o acordo, levam procuradores da força-tarefa da Lava Jato a constatar que ‘se os executivos comprovarem tudo o que dizem, a política será definida como a.O. e d.O. — antes e depois da Odebrecht’. O sempre comedido juiz federal Sergio Moro também dá dimensão da turbulência que se aproxima ao comentar: ‘Espero que o Brasil sobreviva’”[5].

O que significa essa frase (“Espero que o Brasil sobreviva”)? Em primeiro lugar, significa que Dr. Moro sabe perfeitamente o que pode acontecer (a “deslegitimização” e a demolição transbordarem do PT para todo o sistema político). O que virá em seu lugar? Um Berlusconi tropical? Um Trump brasileiro? Jair Bolsonaro? Em segundo, quem sabe o juiz messiânico não se convenceu, ao longo do processo, de que o câncer da corrupção não será extinto apenas com a extirpação do tumor petista. Ou talvez ele tenha perdido o controle do carro a 140km/h e agora não possa parar mais. Ele tinha decretado sigilo nas investigações sobre a Odebrecht, mas o MPF vem agora e anuncia o acordo de delação. Contradições internas? Em 14 de julho último, em palestra no Instituto Brasil, do Wilson Center, em Washington, Moro anunciara que pretendia encerrar sua parte na Operação Lava-jato até o fim deste ano[6]. Agora, com o acordo de delação da Odebrecht este prazo vai para muito além.

O espírito de Savonarola baixou de vez no Dr. Moro? Um dos mais notórios portavozes da direita, Reinaldo Azevedo, desconfia que sim. E até cita o místico italiano ao informar que Sérgio Moro e o buliçoso (adjetivo de Reinaldo) Deltan Dallagnol participaram de uma audiência promovida pela Câmara dos Deputados, para debater as 10 Medidas Contra a Corrupção, propostas pelo Ministério Público Federal. Segundo o relato do publicista: “Deltan, para não variar, falou em tom de paladino, missionário e animador de comício. É claro que é impróprio, mas nem entro nisso agora. O que me interessou foi uma fala de Moro, prestem atenção: ’Em outras palavras e sem querer ser maniqueísta, ou coisa que o valha, é o Congresso demonstrar de que lado ele se encontra nessa equação’. Sabem em que momento ele disse isso? Quando se referia à aprovação das 10 medidas. Resultado: ou você as apoia — e, portanto, é contra a corrupção — ou você as crítica, e, pois, defende corruptos.” E finaliza Azevedo: “Isso não é fala de juiz. Isso é fala de político[7].” (Engraçado: quando só o PT estava na berlinda, Moro era imparcial, modelo de Justiça; agora que todo o sistema político corrupto está teoricamente ameaçado, Moro já virou político.)

Voltando ao artigo, Azevedo cita extensa fala do ministro do STF, Gilmar Mendes, também criticando acidamente Moro, culminando com a enigmática expressão: “usa-se o combate à corrupção para defender privilégios inaceitáveis.” Que privilégios, Dr. Gilmar? Parece um recado cifrado.

Agora, vamos juntar as pontas: lá atrás, em conversa privada, o senador Jucá já se preocupava em parar a Lava-jato, senão “todo mundo vai ser comido”. Com as novas jogadas de Sérgio Moro, Reinaldo Azevedo e Gilmar Mendes já vêm publicamente atacar o antes infalível juiz.

Aonde vamos chegar, finalmente? O Dr. Sérgio Fernando Moro é um homem honrado. Talvez honrado demais na visão dos golpistas. Aguardem o comportamento da mídia e da elite interessada em restabelecer “o clima de normalidade política e econômica” para implantar o projeto neoliberal espúrio que está sendo empurrado goela abaixo do povo brasileiro. Talvez Moro vá longe demais e por isso seja queimado na fogueira, como profetizou Rogério Cézar Cerqueira Leite.

Para ler o artigo na íntegra acesse o link abaixo:


*Homero Fonseca é ex-secretário de Imprensa da Prefeitura do Recife, jornalista e escritor. Trabalhou nos principais jornais do Recife e foi editor da Revista Continente Multicultural em sua melhor fase.

7 comentários:

  1. O honrado Juiz Sérgio Moro já se consolidou como a preferência nacional dos cidadão de bem. Vai ser difícil querer desconstruir a imagem dele, haja vista a formação da personalidade do Sr. Sérgio Moro vem do berço, com foco na doutrina cristã. Humildade, humanidade, princípios éticos e morais. O conhecimento jurídico veio das instituições (escola, faculdade) e, com certeza, de um grande esforço pessoal de aprimoramento. As pessoas no Brasil ainda não entenderam que atacar Moro e a Lava jato é ir contra os brasileiros indignados. A lava jato é conquista dos brasileiros cansados da impunidade e da corrupção. Moro é a encarnação do espírito de Justiça que não existia no Brasil, até a Lava jato lavar a alma do Brasileiro. MORO LAVA NOSSA ALMA!!!

    Nunca antes na história desse País um Juiz de Direito foi tão atacado. Nunca antes na História desse País um Juiz de Direito se viu sob um fogo de artilharia tão cerrado. À esquerda, ele é bombardeado pelos asseclas do PT. À direita, ele é atacado por jornalistazinhos e gente sem a menor expressão. O Juiz Sérgio Moro parece a Polônia de 1939: À Leste, invadida pela URSS; à Oeste, invadida pela Alemanha. O Juiz Sérgio Moro está cercado por todos os lados, sendo atacado por todos os lados. Cada lado com seus patrões inconfessáveis. Do Lado do Moro somente o Povo. QUEREM MAIS?!?!?!

    P.S.: - MORO É HERÓI NACIONAL. LULA É LADRÃO INTERNACIONAL (PRINCIPALMENTE EM ANGOLA, CUBA, VENEZUELA E REPÚBLICA DOMINICANA)...

    ResponderExcluir
  2. PESSOAS QUE TÊM NO SEU DNA O PRINCÍPIO DA SENSATEZ, DISCERNIMENTO E DA HONESTIDADE, NÃO TEM MACONHA QUE COMA O JUÍZO DELA OU MUDE O SEU COMPORTAMENTO A RESPEITO DOS VALORES MORAIS DE UMA SOCIEDADE. SENÃO VEJAMOS: A MACONHEIRA E ROQUEIRA RITA LEE DEU UMA ENTREVISTA PARA O JORNAL A FOLHA DE SÃO PAULO. EM CERTO MOMENTO, O JORNAL QUIS SABER A OPINIÃO DA VOVÓ ROQUEIRA SOBRE ALGUMAS FIGURAS. ELA RESPONDEU:

    Dilma Rousseff
    Passo
    Lula
    Passo
    Temer
    Passo

    SÉRGIO MORO:
    FICO

    Eduardo Cunha
    Passo
    Aécio Neves
    Passo
    Fernando Haddad
    Passo
    João Doria
    Passo
    Marcelo Crivella
    Passo
    Marcelo Freixo
    Passo
    P.S.: - Isso é uma prova maior que o Brasil não tem apenas Chico Buarque e Caetano Veloso. Em que pese serem dois excelentes compositores, mas são, politicamente falando, dois imbecis protetores de petralhas...

    ResponderExcluir
  3. PAULO CAMELO e SUAS CONSIDERAÇÕES:
    O nosso país é atrasado em tudo, senão vejamos:
    1 - Após o "descobrimento do Brasil", somente em outubro de 2016, a grande imprensa, defensora dos interesses das Classes Dominantes, através da revista "VEJA", publica um artigo sobre o avanço da Direita, no Brasil, nas eleições municipais de 2016. Antes era "tabu" falar nessa denominação de classe. Quando a imprensa se refere a esquerda, ou os contrários, chama logo de "comunistas";
    2 - A Reforma Agrária já aconteceu, desde meados do século passado, em vários países capitalistas, inclusive nos EUA. Por outro lado, no Brasil a discussão sobre Reforma Agrária é caso de "polícia" e obra dos "comunistas";
    3 - O que alguns jornalistas precisam saber e o juiz Sérgio Moro, também, é que numa Democracia Burguesa, os três poderes atuam em conformidade para manter a dominação das Classes Dominantes do país. Esta veracidade deixou de existir, propositalmente, na entrevista que o juiz Sérgio Moro, concedeu ao jornal O Estado de São Paulo ("O Estadão) na edição do domingo, dia 06.11.2016. Porquê: porque o jornalista se limitou a fazer perguntas de cunho jurídico, moral e político. Assim, o jornalista deixou de analisar a "Operação Lava-Jato", no contexto da estabilidade do capitalismo brasileiro;
    4 - A magistratura brasileira deve entender, especialmente o juiz Sérgio Moro, que o jurídico tem seus limites, sob pena de colocar em ruínas o capitalismo brasileiro, abrindo caminho para o desemprego em massa e a intervenção do capital internacional em nossa economia, destruindo nossa soberania;
    5 - Nos EUA e na Europa, o jurídico pune as pessoas, mas não destrói as empresas. Aqui no Brasil, as leis estão caducas e colocam tudo num "balde só", provocando a falência das empresas e o desemprego em massa;
    Não estou aqui para defender o Sistema Econômico Capitalista, uma vez a corrupção é algo inerente ao próprio Sistema, mas para dizer que o que foi dito pelo físico Rogério Cezar, não é uma profecia, e sim, uma "encruzilhada" em que o juiz Sérgio Moro, está inserido por conta das contradições do atual sistema jurídico brasileiro numa economia capitalista. Assim, a deleção premiada do Marcelo Odebrecht, deve provocar o refluxo do juiz Sérgio Moro, para salvar o capital nacional. Deste modo, a burguesia nacional, a qual tramou pela queda de Dilma, deve, também, tramar pela queda de Temer e outros comparsas, fazendo um grande acordo de "salvação nacional", com o poder judiciário, mudando algumas leis jurídicas e política, em nome da "Ordem Burguesa".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vossa Senhoria analisou com muita propriedade os aspectos econômicos e jurídicos sem se ater as questões paroquianas nos chamando para a reflexão.

      O Congresso Nacional na sua mediocridade míope julgou as contas públicas de uma presidenta por ter cometidos pedaladas fiscais contrariando a constituição e meteu um impeachment nela taxado a mesma com o seu partido de corrupta.Tudo bem!

      Hoje eles herdaram a operação lava jato para cuidar do galinheiro cujas raposas mandam neste país há mais de 50 anos.É de pai para filho.PMDB neles!

      Excluir
  4. José Fernandes Costa7 de novembro de 2016 17:25

    Poucos lerão esse artigo ou crônica na por inteiro... - Eu li. - Sérgio Moro fala em nome do PSDB... Deltan Dallagnol fala como pastor da Igreja Batista... Gilmar MenTes fala, também, só em favor do PSDB... Eduardo Cunha fala em nome de negociatas... Jucá, com todas as incriminações que pesam contra ele, é "homem forte" do governo Temerário... Assim como o é Geddel Vieira Lima... E todos têm medo do bando Eduardo Cunha! - Reinaldo Azevedo é somente um cínico a mais nesse universo!! - Somando esses personagens, todos eles juntos valem MENOS do que Girolamo Savonarola !! /.


    ResponderExcluir
  5. Eu sempre disse aqui e onde falo sobre essas coisas...

    ENQUANTO A LAVAJATO NÃO PEGAR, A MÍDIA INTEIRA, INDO DE BLOGS A GLOBOS, EU TENHO A CERTEZA DE QUE NÃO FOI FEITO NADA!!!

    ResponderExcluir
  6. Juntos, o povo que tem vergonha na cara e o nosso ídolo maior do Paraná vamos DESPETRALHIZAR a máquina pública e eliminar esses ratos e baratas que saquearam os cofres da nação durante 13 anos... O Juiz Moro fez e faz história no Brasil. Com ele, cadeia deixou de ser lugar para os três P (preto, pobre e put@). Ricos na tranca. Dinheiro da Petrobrás recuperado. Esperanças de um Brasil melhor e a petezada bandida na cadeia, inclusive o chefe da quadrilha que vai pegar mais de 125 anos de cadeia pelos crimes cometidos...

    P.S.: - PALAVRAS DE SÉRGIO MORO QUE TEM O ENDOSSO DE TODAS AS PESSOAS QUE AINDA TÊM DIGNIDADE E VERGONHA NA CARA: “O Brasil pode se orgulhar de estar, dentro da lei, enfrentando seriamente a corrupção. A vergonha está na corrupção, não na aplicação da lei.”...

    ResponderExcluir