Natal de Garanhuns

Natal de Garanhuns
A Magia do Natal

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

terça-feira, 8 de novembro de 2016

JUIZ DE GARANHUNS APLICA MULTA DE 53 MIL POR DIVULGAÇÃO DE PESQUISA NÃO REGISTRADA

Pesquisa eleitoral não registrada, divulgada nas redes sociais em Garanhuns, na campanha passada, ainda está dando dores de cabeça aos responsáveis.

O juiz Francisco Milton Araújo Júnior, da 52ª Zona Eleitoral, condenou Cássia Vanícia Amaral Lima e Paulo Henrique Mota dos Santos a pagar uma multa no valor de R$ 53.205,000 pela divulgação da referida pesquisa pela internet, sem que a mesma tenha sido registrada no TRE.

Os dois ainda podem recorrer da decisão à instância superior.

O vereador Sivaldo Albino, candidato a prefeito de Garanhuns em outubro passado, e o seu vice, o atleta Carlos Tevano, supostamente beneficiados pela “pesquisa irregular”, foram inocentados no caso e não precisam quitar nada perante à Justiça Eleitoral.


Os dois infratores teriam agido à revelia dos candidatos.

2 comentários:

  1. PAULO CAMELO, COMENTA: Foi apenas um ato de indisciplina, o qual foi cometido pelos dois jovens. Creio que uma advertência, seguida de um trabalho voluntário num Centro de Assistência a Pessoas Necessitadas, seria mais educativo, haja visto que certamente os jovens apenas estudam e não têm trabalho remunerado. Além do mais o valor é muito alto. Considere, também, que a minha candidatura a Prefeito do Garanhuns, não foi prejudicada por conta dessa "pesquisa virtual"

    ResponderExcluir
  2. PAULO CAMELO ESTÁ TENTANDO USAR DA MESMA "FILOSOFIA PENOSA" QUE O RÉU LULA TENTA IMPREGNAR NA MENTE DA PETEZADA DESONESTA COM SEUS RESPECTIVOS PUXA-SACOS, OU SEJA: SÓ PORQUE ELE SE ACHA OU DIZ QUE TIROU NÃO SEI QUANTOS MILHARES DE "PIDÃO" NORDESTINO DA POBREZA, MESMO ROUBANDO, COMPROVADAMENTE(RÉU EM TRÊS PROCESSOS), NÃO MERECE SER PRESO NEM CONDENADO E A LEI DEVERIA, PERDOÁ-LO, POR ELE TER SIDO O PAI DOS POBRES(?)...

    P.S.: - Paulo deve conhecer muito bem, na lei, que há uma expressão em latim que diz "DURA LEX, SED LEX" –a lei é dura, mas é a lei. Involuntariamente, quem sabe, Camelo tá insinuando que, no Brasil, na base do JEITINHO, vale o "DURA LEX, SED LATEX"—a lei é dura, mas estica...

    ResponderExcluir