Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

domingo, 7 de agosto de 2016

CRISE LEVA PAULA FERNANDES À DECADÊNCIA



A difícil situação econômica do Brasil tem feito muita gente perder dinheiro ou ficar completamente liso, sem poder mesmo comprar o básico para sua casa.

A crise atinge indistintamente comerciantes, vendedores, cabeleireiras, mecânicos, profissionais liberais, trabalhadores informais, colégios, jornais, agências de publicidade, emissoras de rádio ou TV, ou mesmo artistas de grande aceitação popular.

Um exemplo dessas dificuldades foi o último Festival de Inverno de Garanhuns, quando o Governo do Estado reduziu drasticamente a verba do evento, tivemos uma programação que deixou a desejar, resultando que a Praça Mestre Dominguinhos ficou quase vazia em determinados dias.

O movimento diminuiu em todos os polos e no centro da cidade, causando prejuízos nas lojas, nos bares, restaurante e hotéis, que não fizeram os negócios esperados, numa situação bem diferente dos anos anteriores.



PAULA FERNANDES – Uma artista de nome nacional que foi atingida em cheio pela crise foi a cantora Paula Fernandes. Ela cobrava até pouco tempo atrás o cachê de R$ 250 mil para fazer um show em qualquer cidade.

Como os contratos para apresentações começaram a cair e shows em algumas cidades foram cancelados por falta de procura de ingresso, a cantora decidiu reduzir o cachê para mais da metade e agora cobra R$ 120 mil, mais ou menos o valor de sua apresentação em Garanhuns em 2011.

Além da crise, Paula Fernandes tem sido prejudicada por conta de algumas notícias negativas sobre ela na mídia nacional.

Uma reportagem exibida no domingo espetacular, da TV Record, mostrou que o pai da artista mineira vive praticamente na miséria e ela não faz nada para ajudá-lo.

A cantora teria mágoas do pai por ele ter abandonado sua mãe.

Em outras apresentações, Paula teria sido antipática com os fãs e numa das cidades em que esteve chegou a pedir aos seguranças para expulsar uma tiete. Esta saiu completamente decepcionada com a atitude da artista que admirava.

Apesar da redução do cachê em mais de 50%, a estrela continua tendo problemas para preencher a agenda e nos próximos meses tem menos shows contratados do que gostaria.

Numa entrevista ao TV Fama, da Rede TV, Paulinha admitiu que está sendo prejudicada pela crise. “As pessoas não vão deixar de comer para assistir um show”, disse à emissora.

No início desta década Paula Fernandes tornou-se a maior vendedora de discos e DVDs do Brasil, ultrapassando 1 milhão de cópias com “Pássaro de Fogo” e chegando perto disso com “Meus Encantos”.

Hoje está muito longe disso, por isso alguns sites já publicaram reportagens sustentando que a artista entrou em decadência.

2 comentários:

  1. Parabéns pelo sua postagem sobre o FIG, este ano FICOU PROVADO que as atrações regionais não atraem PÚBLICO para o FIG, o que deixou registrado na história como o pior de todos os tempos, em termos de atrações, público, e movimento na economia da cidade.

    Quanto as atrações veja que absurdo uma cantora como a PAULA que sempre vive na mídia cobra de 120 a 150 mil por show, por pirraça a FUNDARPE prefere contratar para Garanhuns uma atração ruim sem mídia pelo mesmo valor, prejudicando o que eles consideram o maior evento cultural. O festival deste ano perdeu a oportunidade de trazer grandes artistas bons com cachê bem mais barato por conta da crise.

    ResponderExcluir
  2. COLHENDO O QUE PLANTOU. ABANDONOU O PAI, QUE PASSA FOME, NECESSIDADES...ESNOBA FAS, NAO TIRA FOTO COM UMA CRIANÇA, NAO RECEBE CONTRATANTES, DA ESPORRO EM APRESENTADORES (FAUSTAO QUE O DIGA), NAO GOSTA DAR ENTREVISTAS, CHEGA ATRASADA EM COMPROMISSOS, EXIGENTE, SEM EDUCAÇAO...SE ACHANDO POP STAR TIPO MICHAEL JACKSON...TEM QUE SE FUDER MESMO. QUE BOM QUE ESTOURANDO MONTE CANTORAS SERTANEJAS E DUPLAS FEMENINA...VA COM DEUS QUERIDA.

    ResponderExcluir