Garanhuns

Garanhuns
Fique em dia com Garanhuns

GOVERNO DE PERNAMBUCO

GOVERNO DE PERNAMBUCO
Presença do Governo no Agreste Meridional

sexta-feira, 10 de junho de 2016

O CINEASTA PAULISTA QUE AMAVA O EROTISMO E REVELOU AS ATRIZES MAIS BONITAS DO BRASIL

ESPECIAL - Walter Hugo Khouri foi um cineasta brasileiro nascido em São Paulo, que viveu de 1929 a 2003. Realizou 29 filmes, inclusive o infantil “Mônica e a Sereia do Rio”, com roteiro de Maurício de Souza. 

Sua obra mais polêmica e famosa é “Amor Estranho Amor”, que tem Xuxa como principal estrela do longa, com uma cena quentíssima em que a futura apresentadora de televisão, no auge da beleza e ainda não conhecida do grande público, faz amor com uma criança. 

Quando Xuxa (na foto de divulgação do filme) estourou, na Globo, e virou a “Rainha dos Baixinhos”, foi à justiça para proibir o filme, com o objetivo de preservar sua imagem artística. Conseguiu, porém perdeu a ação para o Google e na internet podem ser acessadas cenas da atriz com o menino.

O diretor paulista foi chamado por alguns de o “Bergman brasileiro”, por fazer filmes intimistas que lembravam os produzidos pelo consagrado cineasta sueco. 

Alguns, críticos da obra de Khouri, no entanto, o consideravam um imitador barato de Ingmar Bergman. 

Mas o cinema de Walter Hugo tinha qualidades e não se pode comparar suas produções às pornochanchadas da época, tampouco a esse besteirol que vai às telas hoje, normalmente com o dedo da TV Globo no meio. 

Os filmes do diretor de Noite Vazia (considerado seu melhor trabalho) foram feitos com roteiros inteligentes, bons diálogos, fotografia e trilhas sonoras caprichadas e excelentes elencos. 

O cineasta caprichava principalmente nas mulheres e lançou ou trabalhou com algumas das atrizes mais bonitas do Brasil do seu tempo. Um crítico de cinema nacional, brincando, fez um trocadilho, usando o nome de um filme americano: “Ele sim era o homem que amava as mulheres”. 

Outra marca do diretor de “Amor Estranho Amor” era o erotismo, presente em toda a sua obra, com cenas avançadas para a época, muito sensuais, porém passadas de maneira refinada, com a valorização do nu feminino sem que o corpo das mulheres ou uma relação sexual fosse mostrada de maneira grosseira ou vulgar. 

Para o leitor ter uma ideia do bom gosto de Walter Hugo Khouri com as mulheres confira algumas das atrizes que trabalharam em seus filmes: Selma Egrei, Lúcia Veríssimo, Sandra Bréa, Vera Fischer, Xuxa, Norma Bengell, Christiane Torloni, Nicole Puzzi, Monique Lafond, Bia Seidl, Ana Paula Arósio, Lilian Lemmertz, Kate Hansen, Renée de Vielmond e Dina Sfat. 

Algumas dessas beldades, que também tinham muito talento,  já não estão mais entre nós. Caso de Dina Sfat, Lilian Lemmertz e Sandra Bréa (foto do meio, de azul).

Da filmografia do cineasta brasileiro fazem parte os citados Noite Vazia, Amor Voraz, Anjo da Noite, Convite ao Prazer, O Desejo, As Deusas, As Feras, "Eros, o Deus de Amor" , Forever, O Último Êxtase e Corpo Ardente.
Nicole Puzzi em "Convite ao Prazer"
Norma Bengell em "Noite Vazia"
Lúcia Veríssimo na Playboy, nua,  tal qual
aparece no filme "As Feras"

2 comentários:

  1. "....faz amor com uma criança..."

    OS PETISTAS VÃO DEFENDER PEDOFILIA AGORA É??

    ResponderExcluir
  2. "O homem que amava as mulheres", de François Truffaut, não é um filme americano, mas francês... Por favor...

    ResponderExcluir