Governo Municipal

Governo Municipal
Juntos por uma Grande Cidade

Governo do Estado

Governo do Estado
Governo do Estado

domingo, 31 de maio de 2015

Plano Municipal de Educação é aprovado pela Câmara em Caetés

A Câmara de Vereadores de Caetés aprovou na última terça-feira (26), por unanimidade, o Plano Municipal de Educação (PME). O projeto de lei estabelece 20 metas a serem cumpridas nos próximos 10 anos para elevar os índices educacionais do município. O texto agora segue para a sanção do Prefeito Armando Duarte.

O texto-base havia sido apresentado no dia 12 de maio pela Secretária de Educação e membro da Comissão Central, Soraya Cristina de Almeida. Entre as metas estabelecidas no PME está a universalização do acesso à educação infantil para crianças de quatro a cinco anos, do ensino fundamental e do ensino médio. O plano prevê também maiores investimentos na educação em tempo integral, além da valorização dos profissionais do magistério.


“Todo processo de elaboração do PME representa um marco para a educação de Caetés, pois teremos legitimado um plano de educação caracterizado como Política de Estado que firma compromissos com a sociedade para o alcance de suas expectativas”, concluiu a secretária.

Equipes de saúde vacinam idosos no CEALA



Nesta última quarta-feira (27), dia da feira livre em Lajedo e de grande movimentação, a equipe do programa Boa Vida esteve vacinando 200 pessoas no Centro de Abastecimento Municipal, o CEALA. O intuito é aplicar a vacina da gripe destinada principalmente ao público idoso.

Segundo o site do Ministério da Saúde, esperava-se imunizar 80% da população e apenas 46,2% recebeu a vacina. Lembrando que a vacina da gripe é para pessoas com 60 anos ou mais, gestantes, mulheres com até 45 dias após o parto, crianças de 6 meses a menores de 5 anos e doentes crônicos, além de servidores do sistema penitenciário. 

Devido a pouca procura pela vacina, o Ministério da Saúde prorrogou a campanha de vacinação da gripe influenza até 5 de junho, e as técnicas, enfermeiras e os agentes comunitários de saúde do Boa Vida (PACS) passaram a manhã vacinando idosos transeuntes.

NAS MÃOS DE DEUS

Hoje, domingo, dia 31, o jornalista e blogueiro segue para o Recife. Na segunda, logo cedo, está marcado o internamento num hospital público da capital. Lá deve ser marcada, talvez ainda esta semana, a cirurgia para a retirada de um tumor na cabeça. É o mesmo que me apavorou oito anos e meio atrás, foi retirado e voltou para assombrar novamente não somente a mim, mas também os familiares e amigos.
Lógico que tive medo e fiquei apreensivo, principalmente no começo. Agora estou bem mais calmo, confiando em Deus e na corrente dos amigos de que “tudo vai dar certo”.
Quero sobreviver a mais este teste porque gosto da vida, tenho coisas a escrever, pelo menos dois livros prontos para publicação, uma missão ainda para terminar.
Gosto da minha mulher de todos os meus filhos, da minha mãe, dos meus irmãos, dos meus amigos, de Garanhuns, seu clima e geografia privilegiados.
Gosto de livros, de músicas, de filmes, de arte em geral, de gente e peço ao bom Deus que me preserve com saúde junto desses bens. Não peço bois, nem terra, nem muito dinheiro, só o básico e o acesso aos bens culturais.
Durante o tempo que passarei fora o blog estará sendo “alimentado” pelo meu filho Tiago. Ele é bastante jovem e não é jornalista, porém confio que fará um bom trabalho, embora tenha outros compromissos na sua vida particular.
Os que mandam notícias de Iati, Bom Conselho, Lajedo, Garanhuns, Capoeiras, Caetés, São Bento do Una e qualquer outro município da região podem continuar fazendo através do e-mail robertoalmeidacsc@gamail.com que Tiago Almeida irá atendê-los dentro do possível.
Viajo à tarde. Confesso, contudo, que já estou com saudades. Da cidade que amanheceu chuvosa e fria, dos filhos que não vão poder me acompanhar, dos lugares próximos que não vou poder visitar por uns dias, dos amigos que não receberei por uns tempos, dos lugares que deixarei de frequentar provisoriamente.
Sou, porém, dos que não acreditam em acaso e acha que de uma maneira incompreensível para nós humanos tudo está traçado em algum lugar. O que acontece tinha de acontecer. Às vezes a gente interfere na cena, muito ou pouco, às vezes somos levados, como numa ventania.
Deus está em algum lugar, ou em todo lugar. Sabendo o que quer, nos auscultando e quando conseguimos chegar Nele, quando conseguimos a conexão com o Divino tudo pode acontecer, até mesmo o ou os milagres.
Assim não tenho muito o que temer. Tudo está escrito e será como Deus quiser.
Aprendi desde a outra vez que ficamos em certas ocasiões sem poder fazer nada – aí nem pai, mãe, irmãos, amigos, autoridades, poderosos, podem fazer nada, a não ser dar algum conforto ou ajuda material -, mas o essencial, a vida, essa só Deus pode decidir se vamos continuar a tê-la.
Quero. Com todo o meu ser. Por mim, pelos meus. Mas seja feito o que Deus quiser. A vontade dele é soberana. Porque mais do que todos nós Ele sabe o que é melhor para este mundo aparentemente injusto e desigual.
Estamos tranquilos e felizes, conscientes de que “Se Deus é por nós, quem será contra nós”  ?

*Fiz o possível para não citar nomes. Numa hora dessas é impossível não cometer alguma injustiça. Mas não poderia deixar de lembrar que mais esteve junto do início do ano até hoje: Maria das Neves Almeida, Tereza Silva, Tiago Almeida, Lulinha Almeida, Carol, Dani, Vitória, Eduardo Almeida, Aurélio, Júnior, Ana Cláudia, Luizinho Roldão, Socorro Régis, Ivo Amaral, Jorge, Marly, Professora Sônia (Capoeiras), Carla, Izaías e Michelli Régis. A todos e os que por acaso esqueci obrigado de coração.

O DESTINO DOS DESAPARECIDOS

A usina de Campos (RJ) usada 
para ocultação da cadáveres

MEMÓRIA - Nos primeiros anos da década de 70, entre o final do Governo Médici e início da Gestão de Ernesto Geisel, os órgãos de repressão aumentaram o cerco aos que faziam oposição ao regime militar. Mais pessoas foram mortas.
Em São Paulo, somente entre 1973 e 1975 oitenta militantes políticos foram assassinados. A maioria morria sob tortura. Com o grande número de mortos surgiu um problema. O que fazer com os corpos? O que dizer à sociedade?
A versão preferida da ditadura, na época de Médici, era publicar notas nos jornais e emissoras de TV comunicando que militante tal ou comunista tal trocou tiros com a polícia e morreu. Outras vezes se divulgava a versão de suicídio. Com mais e mais gente morrendo (sendo matada) ficou difícil fazer a população acreditar em tanta troca de tiros e tantos suicídios.
Foi aí que nasceu a figura do Desaparecido. O homem, a mulher ou uma criança vítima de esquadrão da morte era eliminado e simplesmente “desaparecia”. Não estava vivo nem morto, evaporava e nem os familiares eram informados nunca do que aconteceu de fato.
Isso criou um mistério no Brasil por muitos anos. Apenas uns 20 anos depois de iniciada essa prática se teve a primeira pista do que os agentes da repressão estavam fazendo com os sumidos.
Na década de 90, no Cemitério Dom Bosco, de São Paulo, foi descoberta uma vala para enterrar como indigentes ou desconhecidos pessoas mortas pelo regime militar. Foram descobertos centenas de corpos e a imprensa ficou meses dando notícias sobre o caso. Até uma minissérie da TV Globo (Anos Rebeles) tratou do assunto e a prefeita do município de São Paulo da época, Luíza Erundina, então no PT (hoje PSB) deu todo apoio para que a verdade viesse à tona.
Em 2012 um delegado aposentado, Cláudio Antônio Guerra, deu um depoimento transformado em livro com novas revelações sobre o destino dos desaparecidos. Ele confessou ter participado da “guerra suja” dos tempos da ditadura e informou que a Usina Cambayba, localizada no município de Campos (RJ) de propriedade da família do empresário Heli Ribeiro, servia de “campo de concentração e desova" dos militantes mortos sob tortura nos porões do regime. Pela ajuda ao Governo, o empresário recebia generosos empréstimos dos bancos oficiais.
Assim como no Cemitério de Perus, em São Paulo, muitos cadáveres foram ocultados na usina do interior do Rio de Janeiro.
Segundo o delegado e torturador,  o pernambucano Fernando Santa Cruz e seu amigo Eduardo Collier, presos e que desapareceram no mesmo dia, foram levados à Usina Cambayba. Funcionava como um campo de concentração e tinha um equipamento para incinerar completamente os corpos. A tecnologia podia ser nazista, mas isso funcionou e aconteceu aqui mesmo no Brasil.

O SAMBA PAULISTA DE PAULO VANZOLINI

CULTURA - Quando se fala em música brasileira, principalmente samba, São Paulo não é propriamente a primeira cidade que vem à lembrança.
Quando se escrevem sobre os grande compositores brasileiros – Pixinguinha, Noel Rosa, Paulinho da Viola Chico Buarque, Tom Jobim Vinicius de Moraes, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Dorival Caimmy, João Gilberto, Capiba, Nélson Ferreira, Alceu Valença, Luiz Gonzaga – São Paulo, Bahia, Pernambuco e outros Estados vêm logo a cabeça. São Paulo é uma das últimas opções.
Mas na pauliceia, cantada em poesia por Rita Lee, Caetano e tantos outros tem pelo menos dois compositores que são tão bons quanto cariocas, baianos, cearenses, maranhenses e pernambucanos.
Um é o Adoniram Barbosa, compositor de Iracema, Samba do Arnesto,  Trem das Onze e outras canções eternas da MPB.
O outro é o Paulo Vanzolini, que morreu em 2013, que além de excelente compositor era zoólogo e preferia ser reconhecido como tal.  "É a única coisa de que gosto, a única coisa que sei fazer", disse uma vez à revista Scientific American Brasil ao se referir à profissão.

GERSINHO FILHO DÁ NOVA DINÂMICA AOS TRABALHOS DA CÂMARA MUNICIPAL DE GARANHUNS

O presidente da Casa Raimundo de Moraes, vereador Gersinho Filho, está dando uma nova dinâmica aos trabalhos do Legislativo Municipal. Graças a abertura do parlamentar e ao bom relacionamento da Câmara com o Poder Executivo, cada vereador está podendo mostrar serviço, formular suas solicitações, dentro do possível atendidas pelo prefeito Izaías Régis.

Gersinho está dando todo apoio também às reuniões itinerantes da Câmara, como a que aconteceu no distrito de São Pedro e vai se repetir em outros distritos e bairros de Garanhuns.

PAVIMENTAÇÃO - O vereador Gil PM (PRB), apresentou requerimentos na Câmara Municipal de Garanhuns solicitando do chefe do poder executivo a pavimentação asfáltica das seguintes  ruas no bairro do magano: Carlos Gomes, Lamartine babo, Ascenso Ferreira, Otilia Peixoto 1 e 2, travessa capitão Pedro Rodrigues, travessa Iraci  Medeiros e Darcy Medeiros.

De acordo com Gil PM , a iniciativa do pedido é pensando na melhoria e no bem estar dos moradores daquela localidade, bem como da segurança e boas condições de tráfego para a população em geral, afirmou Gil PM.

REUNIÃO EM SÃO PEDRO - A Câmara Municipal de  Garanhuns  realizou no distrito de são Pedro, na quinta, dia 27, sua 1ª Reunião Itinerante na escola José Ferreira sobrinho e contou com a presença de moradores do distrito que assistiram e alguns participaram com debates em prol de melhorias para aquele distrito.  Primeira câmara no interior de Pernambuco a ter uma interprete de libras (Juliana).

As reuniões da Câmara Municipal de Garanhuns serão feitas em todos os bairros e distritos do município (reuniões itinerantes).

sábado, 30 de maio de 2015

GOL NOS ACRÉSCIMOS SALVA O NÁUTICO DA DERROTA

Um gol do atacante Douglas aos 47 minutos do segundo tempo salvou o Náutico neste sábado (30) de sofrer a primeira derrota no Campeonato Brasileiro da Série B, em jogo contra o Sampaio Correia do Maranhão.

O gol livrou o Timbu de perder e o manteve no G.4 (quatro primeiros colocados que no final acessam a Série A) em terceiro lugar, com o mesmos 10 pontos do Bahia e Botafogo, primeiro e segundo lugares pelos saldo de gols.

O Náutico poderia ter até saído de campo com uma vitória, não fosse a infelicidade ou incompetência do meia Bruno Alves que perdeu dois gols sozinho, tendo na frente apenas a meta e o goleiro. 

Mas o placar foi justo porque foi uma partida equilibrada e o Sampaio Correia também perdeu boas chances. Além disso o goleiro do alvirrubro, Júlio César, fez pelo menos duas defesas milagrosas.

O Santa Cruz, o outro representante de Pernambuco na Série B, jogou ontem à noite, no Arruda e perdeu para o ABC de Natal por 1 x0. 

O tricolor está na zona de rebaixamentos com uma vitória e três derrotas até o momento.

Pela série A o Sport joga neste domingo,  às 11h, na Vila Belmiro, contra o Santos, atual campeão paulista.

(Foto: Blog do Torcedor).

TODO O TALENTO DE PETRÚCIO AMORIM


CULTURA - Petrúcio Amorim, 57 anos, é um dos orgulhos de Caruaru e de Pernambuco.

Assim como Flávio José é melhor intérprete dos ritmos nordestinos depois de Luiz Gonzaga, Petrúcio é sem dúvida, o melhor compositor da música regional da atualidade.

Bastam três canções do artista caruaruense para comprovar seu talento e sensibilidade: Dono do Mundo, Cidade Grande e a antológica Tareco e Mariola.

Petrúcio nasceu no bairro de Vassoural, na capital do Agreste e nas suas músicas canta como poucos o lugar em que nasceu. No início da carreira, ao levar seguidos nãos para se apresentar no São João de sua cidade, ficou com aquilo “entalado”. No Recife, sentou na varanda pensou muito e criou uma obra prima como resposta ao burocrata insensível.

Eu não preciso de você
O mundo é grande e o destino me espera
Não é você quem vai me dar na primavera
As flores lindas que eu sonhei no meu verão
Eu não preciso de você
Já fiz de tudo pra mudar meu endereço
Já revirei a minha vida pelo avesso
Juro por Deus, não encontrei você mais não

A universidade de Petrúcio Amorim foi o mundo, a vida, mas qual um Patativa de Assaré ele tem a sensibilidade que muitos doutores não têm.

Tanto que numa entrevista à TV Asa Branca, num programa impecável exibido hoje, na televisão caruaruense, o cantor revela suas maiores influências: Luiz Gonzaga, Chico Buarque e Roberto Carlos.

“Gonzaga mostrou o Nordeste, Roberto canta o amor como ninguém e Chico revela o Brasil verdadeiro, que está escondido”, filosofou.

Matuto de Caruaru, a primeira vez que foi ao Recife tomou um choque. E produziu esta pérola, que está atualíssima:

"Cidade grande, moça bela

Tu tens o cheiro da ilusão

Quem passou na tua janela

Já conheceu a solidão
Cidade grande

Chaminé de gasolina

Foi minha sina

Nos teus braços vir parar
Tua grandeza
Me levou a um delírio
Feito um colírio
Clareando o meu olhar
Cidade grande
Paraíso da loucura
Quem te procura
Feito eu vim te procurar
Sofre um bocado
Pra entender o teu mistério
Falando sério
Foi difícil acostumar (Refrão)

Teu movimento

Eu comparei a um formigueiro

De tão ligeiro

Comecei a imaginar
Meu Deus do céu
Como é que a felicidade
Nessa cidade
Acha um espaço pra morar
Minha tristeza
Rejeitou tua alegria
Num belo dia
Quando eu pude perceber
Que o progresso
É que faz do teu dinheiro
Um cativeiro
Onde se mata pra vive.

Petrúcio Amorim, Maciel Melo (autor de Caboclo Sonhador, que poderia também ter sido composta pelo caruaruense), Jorge de Altinho, Flávio José, Fagner, Elba Ramalho. 
Esses nomes estão ligados às composições do primeiro e a música nordestina, num som de qualidade muito acima do lixo divulgado no Faustão, Regina Casé e outras inutilidades do plim plim. 
Se Exu deu ao mundo o talento de Luiz Gonzaga, se em Garanhuns nasceu o Mestre Dominguinhos, Caruaru pode ser orgulhar dos seus artistas, como Petrúcio Amorim.
Os artistas, os poetas, fazem o mundo menos árido e mais bonito.
"Desigualdade
Rima com hipocrisia
Não tem verso nem poesia
Que console o cantador
A natureza na fumaça se mistura
Morre a criatura
E o planeta sente a dor
O desespero
No olhar de uma criança
A humanidade
Fecha os olhos pra não ver
Televisão: fantasia e violência
aumenta o crime e cresce a fome do poder
.
Eu não sou dono do mundo
Mas tenho culpa porque sou filho do dono...."  (Filho do Dono - Petrucio Amorim).

LISCA DOIDO, EDUARDO BAPTISTA E O NOVO PERFIL DE TREINADOR DO FUTEBOL BRASILEIRO

ESPORTES - O Blog do Torcedor publicou boa matéria sobre a mudança que está havendo o perfil do técnico do futebol brasileiro.

Antes eram os medalhões, agora são os jovens que estão “com a bola toda”.
Muricy, Wanderley, Felipão. Esses três aí eram os mais cotados e ganhavam todos os títulos, estivessem à frente de um time de Pernambuco, Rio de Janeiro ou São Paulo. Hoje esses estão em decadência e desempregados.

Os nomes da vez são Marcelo Fernandes (Santos), Eduardo Baptista (Sport) e Lisca (Náutico).

Eduardo começou nas categorias de base do Sport assumiu o time num momento ruim e deu certo. Já foi campeão pernambucano e da Copa do Nordeste, viveu bons e maus momentos e seu nome já foi sondado por grandes clubes do Sul e Sudeste. Tem 45 anos e muito futuro pela frente no mundo do futebol.

Marcelo foi jogador do Náutico no início da década de 2000, tendo sido campeão no timaço que tinha Kuki e Jorge Henrique. No Santos trabalhou com Muricy e outros treinadores e teve sua primeira grande chance este ano, quando assumiu o comando do Peixe e foi campeão paulista. Completou 41 anos em 2015.

Lisca (Luís Carlos Lima), 43, começou no Internacional de Porto Alegre onde foi técnico das categorias de base. Dois tios seus foram goleiros do Colorado. Treinou o Juventude e outros times do Rio Grande do Sul, quando começou a se projetar. Veio para o Náutico o ano passado, saiu, voltou e vive nas graças da torcida. É conhecido como “Lisca Doido”, mas tem mais juízo de que muitos que são considerados sãos.

(Foto: Blog do Torcedor).

GERSINHO HOMENAGEIA FAMÍLIA DE GIVALDO CALADO

POLÍTICA -Proposta do vereador e presidente da Câmara Municipal de Garanhuns, Gersinho Filho, dá o nome de Geraldo Calado de Freitas a sala dos ex-vereadores de Garanhuns.

A homenagem emocionou o empresário e também ex-vereador Givaldo Calado, que fez questão de agradecer a Gersinho.

“Eu meu nome pessoal e de toda minha família agradeço ao amigo e todos os seus pares”, escreveu Givaldo que também enviou ao presidente da Câmara um exemplar do livro “Um semeador de Sonhos”, que conta um pouco a vida de Geraldo Calado.

IZAÍAS VISITA OBRAS EM TRÊS BAIRROS DA CIDADE

CIDADE - Acompanhado dos vereadores Gersinho Filho, Haroldo Vicente e Zaqueu Lins o prefeito Izaías Régis (PTB) visitou nesta sexta-feira, dia 28, os moradores de Aloísio Pinto, Manoel Chéu e Massaranduba. O objetivo da visita foi acompanhar o andamento das obras do município nesses locais. "É muito gratificante ver a alegria das pessoas vendo um sonho antigo virar realidade. Esse foi um compromisso nosso com a população", comentou Izaías.

Em Manoel Chéu as obras de pavimentação em paralelepípedos e drenagem das 16 ruas estão a todo vapor. Serão mais de R$ 2 milhões investidos com recursos do município. O prazo para a conclusão da obra é de 12 meses.

Ainda de acordo com o prefeito essa obra vai melhorar a vida dos moradores. "Vamos construir uma ponte para ligar a comunidade ao bairro Aloísio Pinto. Estamos investindo, em Garanhuns, com os impostos pagos pelos nossos garanhunenses. E o resultado são obras por toda a cidade", afirmou o gestor. 

O prefeito também visitou as obras no bairro Aloísio Pinto e Boa Vista,  orçadas em mais de R$ 3 milhões. Depois o gestor seguiu para o bairro da Massaranduba. A dona de casa Joselma da Silva, moradora da comunidade disse que depois que a rua dela foi pavimentada a vida mudou para melhor. 

"Depois da obra aqui na Rua Ataúlfo Alves a vida da gente melhorou bastante. Antes quando  chovia entrava água pelas casas e agora está bem melhor.  Não tem mais poeira na rua antes nós lavávamos aqui e com pouco tempo estava tudo sujo de novo. Sem falar na água suja que passava por aqui. Estou muito feliz!", disse a dona de casa. 

O Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE/PE) oficializou, por meio da 1ª  Câmara, a aprovação de todas as contas de governo da Prefeitura de Garanhuns, referentes ao ano de 2013. O Governo Municipal vem sendo comandado pelo prefeito Izaías Régis (PTB) desde o referido ano, e tem avançado em diversas áreas. A decisão foi unânime.
De acordo com o procurador-adjunto, Lucicláudio Góis, “a aprovação das contas públicas demonstra o comprometimento da gestão com a legalidade e regularidade dos gastos públicos, atestado pelo órgão fiscalizador do controle externo, no caso o Tribunal de Contas de Pernambuco”, destaca o servidor.
A análise dos gastos se refere aos limites de despesas de pessoal, recolhimentos, índices em Educação e recolhimento previdenciário. O TCE, após aprovar a prestação de contas, recomendou à Câmara de Vereadores de Garanhuns para que a Casa Raimundo de Moraes aprove as referidas contas do exercício de 2013.
DENÚNCIA ARQUIVADA -O Governo Municipal de Garanhuns, por meio do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Garanhuns (IPSG), vem a público, informar que recebeu, oficialmente, do Ministério Público do Estado de Pernambuco (MPPE), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania – Comarca de Garanhuns, a informação de que o inquérito civil, instaurado a partir de denúncia apresentada pelo vereador Sivaldo Albino, que apontava “risco à saúde financeira” do IPSG, foi arquivado.
 O vereador, de oposição à gestão do prefeito Izaías Régis, pedia “maior transparência” no processo de pagamento dos inativos do município, que passou do tesouro municipal para o instituto. Convocado pelo Ministério Público para fazer os devidos esclarecimentos, nosso instituto enviou um ofício defendendo a legalidade do projeto de lei destacando, também, as Certidões de Regularidade Previdenciária e Extrato Externo de Regime Previdenciário – todas em dia com o Ministério da Previdência Social (MPS).

 A Prefeitura aproveita para ressaltar que com a transferência dos inativos, foi possível a compensação junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) de mais de R$ 2 milhões, além de ter aumentado a alíquota do município, o que significou mais lucro ao IPSG. A própria Câmara de Vereadores, que também foi chamada para esclarecimentos, informou que a aprovação do projeto de lei seguiu os trâmites legais, passando por comissões pertinentes, seguindo o Regimento da Casa Raimundo de Moraes, descartando a tal “pressão do Executivo”, apontada pelo denunciante.

 O documento oficial, assinado pelo promotor Domingos Sávio Pereira Agra, de 26 de março de 2015, diz que “Examinando-se os autos, verifico que não há elementos indicativos de improbidade administrativa. Pelos documentos colhidos no decorrer da instrução do inquérito civil, indica-se a legalidade dos atos e a ausência de dano ao Instituto de Previdência dos Servidores de Garanhuns”.

Por fim, o Governo de Garanhuns deixa claro que atua em prol do bem-estar e do desenvolvimento, em todas as áreas, da população e do município, e neste caso especialmente dos seus aposentados e pensionistas. E, mais uma vez, tem a seriedade com que vem tratando a gestão pública, reafirmada.
O trabalho de fiscalização do Legislativo é salutar e de extrema importância para a democracia, mas quando se faz denúncias, sem embasamento e provas, a verdade sempre aparece e termina com o arquivamento gradativo pelo órgão oficial. E ainda chamado o autor da denúncia para que “notifique-se o denunciante”.  (Secom/Roberto Almeida)..

LAJEDO LANÇA PROGRAMA MAIS EDUCAÇÃO

A tarde desta sexta-feira (29) foi dedicada à Educação em Lajedo. Inaugurando as novas instalações do programa Mais Educação na Rua João Pessoa, a secretária Neide Félix e o prefeito Rossine garantem a ampliação de tempos, espaços e oportunidades educativas. Com apoio da Secretaria de Cultura, o grupo de dança Contínuo deu um show de arte com a apresentação do ‘Maculêafro’.

Para quem não conhece, o programa ofertado pelo MEC é estratégia de ampliação escolar pública municipal e estadual melhorando o ambiente através da comunhão nos quesitos pedagógicos, de meio ambiente, esporte e lazer, cultura, direitos humanos, saúde, comunicação e setores da educação como o econômico e científico.

Dividido em polos de grafitagem, judô, dança e hip hop, alunos e populares podiam conferir os trabalhos desenvolvidos pelos monitores que receberam kits e camisas. Alunos também puderam adotar mudas de árvores oferecidas pela gestora da Escola Ambiental, numa proposta de canteiros sustentáveis. Enquanto isso, o instrumentalista Berto emocionou a todos com seu trompete.
Encerrando, a coordenadora do programa Mais Educação, Alda Lima frisou a prestação de contas imperativa que o município tem, inserindo o reconhecimento dos próprios alunos, seja jovem ou criança.

SOLIDARIEDADE A RONALDO CÉSAR



Do compadre e amigo Ronaldo César:

Amigos,

Sinto informar o falecimento do meu avô, João Gonçalves, patriarca da família.

Com 91 anos, era saudável e lúcido.. Na verdade, até poucos meses atrás. Agora, Deus preferiu chamá-lo ao perceber que estava começando a fraquejar.

Foi casado com D. Dorinha, com quem teve nove filhos. Daí, dezenas de netos e bisnetos.

João era filho de José Gonçalves e D. Firma, de Lagoa do Ouro. Berço da família. De lá, espalhamo-nos pela região. Seus irmãos: Tio Arlindo chegou a ser prefeito de Correntes. Tio Chiquinho foi para Bom Conselho. Tia Lala Gonçalves permaneceu em Lagoa do Ouro. Tio Zito Gonçalves é coronel da reserva da Polícia Militar. Tia Laura veio para Garanhuns. De todos, fica agora somente tio Zito.

João Gonçalves era uma figura. Simples, trabalhador, inteligente, e um líder nato. Conhecedor sobre tudo. Alvirrubro e apaixonado por política. Onde tivesse, logo se formava uma roda de conversa para ouvi-lo.

Foi um dos primeiros moradores da Vila do Quartel. Há muitos uns 20 anos mora na Rua Agostinho Branco, a Rua do Sossego.

Suas atividades profissionais mais importantes: Caminhoneiro, feirante e doceiro. 

Gostava de política. E como gostava. No meu entender, sempre esteve do lado certo.

Era do MDB de Cristina Tavares, Marcos Freire e Arraes. Nunca mudou de lado. Em 89 votou em Mário Covas. Depois votou em Lula. Sempre acompanhou o velho Arraes. Era uma época difícil.

Recentemente, em uma reunião do PSB, Dr. Ivan Rodrigues fez uma bela homenagem ao velho João. O plenário cheio do Hotel Palace aplaudiu meu avô. "Era no lombo do caminhão de João que nós realizávamos nossos discursos na reabertura da democracia no país" - Disse Ivan, com a credibilidade de quem estava lá.

Hoje, ao saber de sua morte, Ivan volta a me emocionar: "Tenha muito orgulho do seu avô".

Eu tenho. A família toda tem. 

A dor corta os corações de minha mãe Gelva, e seus irmãos, Nelma, Cléa, Genilza, Genilda, Juciene, Fátima e Espedito. A nona era a caçula, Ana Lúcia, que neste momento deve estar abraçando seu pai no céu.

Meu irmão se chama João Gonçalves de Melo NETO, e hoje, todos nós, e eu meus primos, temos o mesmo nome: Netos de João Gonçalves de Melo.

Valeu vô. Deus te dê o lugar que você merece!

A GLOBO MATA O FUTEBOL BRASILEIRO

Jogo do Náutico na Arena Pernambuco, um dos mais modernos estádios do mundo. Partida válida pela Série B do Campeonato Brasileiro e um público de pouco mais de 5 mil pessoas num estádio que cabem confortavelmente mais de 40 mil torcedores. A torcida do Timbu é pequena, todos sabem e o time começou muito mal o ano, o que desanima seus seguidores. Mas só cinco mil? Precisa levar em conta também que o jogo foi às 10 da noite, em São Lourenço da Mata, que é longe pra c...

E público pequeno no futebol brasileiro não é privilégio de Pernambuco no estágio atual. Em São Paulo, no Rio, a cena se repete em jogos do Botafogo, São Paulo, Flamengo...

Segundo Danilo Soares Félix, em artigo especial para o site 247, quem está matando o futebol nacional é a TV Globo. Vamos conferir:

Com a implosão do Clube dos 13, capitaneada por Andrés Sanchez, na época presidente do Corinthians, os grandes clubes do Brasil se viram diante de negociações particulares por cotas de TV com a Rede Globo, detentora dos direitos de transmissão.

Se for avaliada a divisão do bolo da TV nos contratos assinados de 2011 até 2015, já percebe-se o distanciamento de Flamengo e Corinthians em relação aos demais clubes, entretanto, será no período de 2016 a 2018, também com contratos já assinados, que a diferença vai se acentuar de forma mais agressiva.
Por exemplo, a partir de 2016, grandes clubes que têm sido protagonistas no futebol nacional, tais como Grêmio, Internacional, Atlético-MG, Cruzeiro e Fluminense, receberão aproximadamente R$ 60 milhões anuais, enquanto Flamengo e Corinthians receberão por volta de R$ 170 milhões. Uma diferença financeira impossível de equilibrar, mesmo se todas as demais receitas dos clubes prejudicados subirem expressivamente, incluindo aí arrecadações com sócios, patrocinadores, bilheterias e negociações de direitos econômicos de atletas.

Infelizmente, o fim da negociação em bloco fragilizou a posição dos grandes clubes que possuem torcida mais concentrada em algumas regiões, bem como fortaleceu o poder de barganha daqueles grandes clubes que possuem mais torcedores nas pesquisas de opinião, embora tal diferença de tamanho não se traduza com clareza nas métricas de audiência.
POPULISMO - Seria a vontade da Rede Globo criar dois gigantes brasileiros que possam competir internacionalmente, tornando o campeonato mais atrativo para ser vendido ao mercado internacional? Ou seria mero populismo? Os motivos não importam muito, mas não parece justo que a Rede Globo sozinha decida quem pode ser campeão e quem não pode. Quem vai ser grande e quem vai ser médio. Não é justo, principalmente porque não é isso que acontece nas Ligas mais bem sucedidas da Europa, como a inglesa e a alemã.
A Premier League, campeonato nacional mais bem sucedido do planeta, divide o dinheiro de TV em três fatias. A primeira é uma cota rateada igualmente entre os 20 clubes da primeira divisão. Em 2013/14, essa cota foi de € 65,5 milhões. A segunda cota é a chamada por lá de "mérito", que é paga de acordo com a posição do time na tabela. A cada posição, é pago cerca de € 1,5 milhão. Ou seja: o Cardiff, último colocado, ganhou € 1,5 milhão. O 19º ganhou pouco mais de € 3 milhões e assim por diante. O primeiro colocado, Manchester City, ganhou pouco mais € 30 milhões.
A terceira faixa é a que remunera por exibição na TV. A cada jogo transmitido, o time ganha algo próximo a € 942 mil. O time que teve mais jogos transmitidos foi o Liverpool, com 28, e ganhou € 27,5 milhões por sua audiência na TV. Os dois times que tiveram menos jogos transmitidos foram Cardiff e Fulham, oito vezes. Há uma garantia contratual que cada time ganhará o equivalente de, no mínimo de 10 jogos, transmitidos. Como esses dois times tiveram só oito jogos transmitidos, ganharam a cota de 10 jogos, € 10,8 milhões.
Aqui no Brasil ainda temos agravantes perigosos: a verba da TV ainda é a principal fonte de renda dos clubes, ao contrário do que ocorre na matriz de receitas dos grandes clubes da Europa. E a Rede Globo praticamente não possui concorrentes à altura no país.
Se o cenário de desigualdade de cotas não for reequilibrado, em breve haverá uma disparidade econômica que acabará com a competitividade do futebol brasileiro e impactará diretamente na formação de novos atletas, afinal, teremos menos instituições com capacidade para investir pesadamente na formação de talentos.
Além disso, um campeonato nacional disputado por 2 grandes favoritos e 18 coadjuvantes certamente diminuirá o interesse pelo mesmo no mercado interno, atrapalhando a formação de novos torcedores e consequentemente, afastando potenciais patrocinadores no médio prazo.
Hoje o negócio futebol já concorre com novos tipos de entretenimento que não existiam no passado, tais como games espetaculares, internet, vídeo "on demand", salas de cinema 3D e novos esportes interessantes para os jovens, como o UFC. Diante deste cenário, não parece lógico desestimular a competitividade do futebol nacional, talvez seu principal atrativo.
(Foto: Brasil 247).

quinta-feira, 28 de maio de 2015

REFLEXÕES SOBRE FERNANDO SANTA CRUZ, OS DESAPARECIDOS E O ESTADO TERRORISTA PÓS 1964

MEMÓRIA - Fernando Santa Cruz, 26 anos, advogado, casado com Ana Lúcia e um filho de dois anos, Felipe. 

Jovem, assistiu a chegada da ditadura e aos poucos foi tomando consciência política. Começou a participar dos movimentos de esquerda, lutando pela retomada do Brasil à democracia.

Por conta das perseguições, prisões, risco de vida, Fernando deixou Olinda, os amigos, a família. o pai, Dr. Lincol, a mãe, Dona Elzita, 9 irmãos e foi morar em São Paulo. 

No mês de março de 1973, início  do governo do ditador Ernesto Geisel, Santa Cruz saiu de casa para encontrar com um amigo, Eduardo. 

Nunca mais voltou. Desapareceu, evaporou.

Dona Zita lutou para saber do paradeiro do filho a vida toda, e olha que viveu mais de 100 anos. Destemida, foi à redação de jornais, falou em comícios, escreveu cartas, visitou quarteis, fez tudo para encontrar Fernando, mas não adiantou.

Nunca se sabe oficialmente o que aconteceu, porém todo mundo sabe que o jovem Santa Cruz foi preso, sequestrado, torturado e assassinado pelos militares que tomaram o país de assalto em 1964.

Marcelo Santa Cruz, também advogado, irmão mais velho de Fernando, personagem querido na Região Metropolitana do Recife, foi vereador de Olinda em mais de um mandato.

A família Santa Cruz ainda hoje sente a dor de perda de Fernando. As feridas não cicatrizaram. Muitos são solidários a Dona Zita e os seus, tanto que até um livro – “Onde está meu filho?” – escreveram para contar a história, perpetuá-la na memória do povo pernambucano e brasileiro.

Sempre ouvi ou li alguma coisa sobre Fernando Santa Cruz, mas, confesso minha ignorância, não sabia praticamente nada sobre o personagem. Foi preciso ler de cabo a rabo “Onde está meu filho?” para sair um pouco do analfabetismo em que vivia.

TREVAS  - E agora me sinto um pouco melhor por fugir das trevas e passar a conviver com Fernando, Marcelo, Dona Zita e demais integrantes dessa família maravilhosa.

E me pergunto: “Com 26 anos já se sabe o que quer? É possível tomar as decisões acertadas, assumir o risco de enfrentar uma ditadura feroz tendo apenas um corpo magro e algumas ideias?”

Era correto, naquela época, enfrentar os gorilas através da luta armada? Isso apenas não servia para justificar suas arbitrariedades?

Talvez todos estivessem errados.
O José Dirceu, a Dilma, Fernando Santa Cruz... Não seria mais prudente que esses jovens, nos anos 60, tivessem ficado quietos, na escola, arrumando os neurônios para combater a ditadura de outra forma?

Mas se ninguém tivesse feito nada a ditadura por acaso teria sido menos feroz, teria matado menos gente? Provavelmente não.

E, o mais errado de tudo, é um Governo transformar o Estado numa organização terrorista. Capaz de censurar, prender, sequestrar, torturar de todas as formas, matar e depois mentir com a maior desfaçatez.

Fernando Santa Cruz morreu jovem, é certo, veio muita tristeza com o que fizeram dele. Mas ele pode ser conhecido ou relembrado como um herói. Um exemplo. Para os irmãos, o filho, os jovens de hoje.

E os seus algozes, os que o mataram, como podemos avaliá-los. Apenas como covardes, assassinos? Como criaturas torpes que só merecem asco...


Fernando e Elzita Santa Cruz, presentes.